quarta-feira, julho 06, 2016

Por caridade, ajude nosso Mosteiro!

Clique aqui para ajudar.

“ A caridade cobre uma multidão de pecados” (I Pedro 4,8)

Caros amigos,
Ave Maria Puríssima!

Para quem ainda não conhece exatamente o nosso mosteiro e suas atividades, segue um resumo.

Nosso mosteiro foi fundado em 1987 por monges vindos da França, do Mosteiro de Santa Maria Madalena do Barroux. Trata-se de um mosteiro beneditino, da congregação do Rev. Pe. Muar, um ramo de beneditinos de vida mista, isto é, que além da contemplação, pela qual se une intimamente a Deus em oração, dedica-se também ao apostolado (missões com o objetivo de promover a união das outras almas a Deus).

A contemplação

Os monges louvam a Deus noite e dia em sua oração do Ofício Divino, a qual é composta basicamente de salmos, leituras das Sagradas Escrituras e dos Padres e Doutores da Igreja e por antífonas compostas e rezadas milenarmente pela Santa Igreja Romana.

“Diz o profeta: ‘Louvei-Vos sete vezes ao dia” (Salmo 118,164; Regra de S. Bento cap. 16); “Levantava-me no meio da noite para louvar-Vos” (Salmo 118,62; Regra de S. Bento cap. 16)

Assim eles cumprem o costume muito antigo, que remonta ao Antigo Testamento, de rezar sete vezes ao dia e uma vez durante a madrugada.

Rezam: as Matinas às 4h (da manhã), depois as Laudes às 6h, Prima às 7:30h, Terça às 10h, Sexta às 12h, Noa às 14:15h, Vésperas às 17h e Completas às 19h. Além dessas orações que compõem o Ofício Divino, há ainda a meditação (oração mental, em que se contempla em silêncio alguma verdade de Fé), o Rosário que os monges rezam em particular e, a mais importante, o Santo Sacrifício da Missa, que é rezado todos os dias, tantas vezes quantos padres haja no mosteiro para celebrá-lo (no momento há 3 sacerdotes) e é assistido por toda a comunidade geralmente às 10:15 ou 11h.

Nessas orações, eles não apenas louvam a Deus, que é o que mais importa, mas também “rogam a Deus pelos vivos e pelos mortos” (7ª obra de misericórdia espiritual). A orações dos monges obtêm muitas graças do Céu para a conversão e santificação das almas, pelo alívio das almas do Purgatório e por muitas outras necessidades. Eles rezam de maneira especial todos os dias por seus benfeitores. Se quiser alcançar alguma graça de conversão ou outra em particular, recomende-a às orações dos monges, pois “a oração do justo tem grande eficácia” (S. Tiago 5,16).

O Apostolado

“Tudo o que fizerdes ao menor dos meus irmãos, é a Mim que o fazeis” (Mateus 25, 40)

Os monges fazem seu apostolado procurando a união das almas a Deus por meio de pregações, confissões, catecismos, retiros, celebração do Santo Sacrifício da Missa, propagação de sacramentais (como escapulários, medalhas e imagens bentas), publicação e venda de livros de formação e de piedade, e pela manutenção de uma escolinha infantil.

Toda essa obra do Mosteiro, assim como a obra dos apóstolos no início da Igreja, não conta com nenhuma ajuda do governo, mas tão somente com a benevolência de almas caridosas, que sabem muito bem que manter tudo isso é bem dispendioso e que os religiosos, por seu voto de pobreza, não possuem nenhum bem com que financiar essas obras.

Apesar de poder contar com a generosidade dessas pessoas, nem sempre o Mosteiro consegue manter-se sem dívidas (como é o ideal para uma instituição religiosa), pois volta e meia, por algum motivo particular, nossos benfeitores não podem continuar a auxiliar nossas obras de caridade. Dessa maneira, o saldo devedor do mosteiro neste mês está bem alto e gostaríamos de fazer um apelo à generosidade de todos aqueles que nos leem, para que possamos pagar os funcionários, que dependem de seu salário para sobreviver, e para podermos continuar nossas obras.

Quem puder ajudar-nos mensalmente com R$ 10,00; R$ 20,00; R$ 50,00 ou qualquer valor que estiver ao seu alcance, escreva-nos fornecendo seus dados para que possamos enviar-lhe um boleto ou, se preferir, pode também fazer donativos via Paypal, Pagseguro ou depósito em uma de nossas contas (fazer doação). Favor comunicar-nos sua doação, pois em agradecimento o incluiremos em nossas orações quotidianas e , se desejar, enviaremos uma medalha milagrosa de N. Sra. das Graças já abençoada, cuja explicação se encontra mais abaixo.

 “Todo aquele que der ainda que seja somente um copo de água fresca a um destes pequeninos, porque é meu discípulo, em verdade eu vos digo: não perderá sua recompensa. ” (Mateus 10,42)

Deus os abençoe,
Dom Tomás de Aquino, OSB

Clique aqui para ajudar.