terça-feira, julho 11, 2017

Dogmas e erros espíritas



[Debatendo com espíritas]

A comunicação com os espíritos é algo que pode ser discutido e que o espírita pode deixar de acreditar e continuar sendo espírita. Pode? Porque se isso acontece então a pessoa não é mais espírita, já que a base do espiritismo é a dita comunicação com os mortos. Isso é dogma. Não sei qual o problema em reconhecer isso.

E sobre a pergunta relativa ao desenvolvimento das capacidades: quem não desenvolve tudo aqui na Terra terá tudo no Céu. O corpo glorioso é realização dos salvos. Nele toda a beleza que Deus pensou para cada ser resplandece em Glória para Ele. Não é preciso reencarnar para nada. A misericórdia do Pai é imensa!

No fundo, toda esta dificuldade dos espíritas, teosofistas, new agers, materialistas e neoespiritualistas em reconhecer as leis divinas, em aceitar a autoridade da Igreja, das Escrituras trata-se da revolta contra o Espírito. Esta revolta (que é característica dos gnosticistas) faz com que eles criem “deuses” no lugar de Deus. Faz com que criem um deus que é distante, “energia”, que “evolui”, entre outras coisas anticristãs. Faz com que queiram transformar o homem em Deus. O espiritismo, por exemplo, é deísta. O materialismo toma a matéria como deus. As semelhanças entre tais grupos não é por acaso.

Vejam um trecho de um livro que eu traduzi rapidamente:

Contudo, possivelmente o mais importante do trabalho é não somente a maneira em que expressa a cosmovisão maçônica, mas também isso em que nos mostra como um paralelo claro dos ensinamentos do ocultismo contemporâneo e do movimento da Nova Era.

O sincretismo religioso; a redução de Jesus a um mero mestre de moral ou um simples conhecedor de mistérios; a apelação clara à gnose; a crença na reencarnação ou a insistência na qual o ser humano é em um deus com possibilidades praticamente infinitas são as marcas características desse ocultismo e, (...) as similitudes não obedecem à casualidade”.

(Trecho de C. Vidal sobre um livro do maçom A. Pike)



Para tais seitas e pseudo-doutrinas Jesus não é Deus, o homem reencarna e tem possibilidades quase infinitas. O detalhe é que ainda negam que Deus dê tais possibilidades, mas não conseguem explicar de onde vêm os talentos de cada um. Falta conhecimento filosófico básico.