domingo, fevereiro 26, 2017

Comentários Eleison: Religião de Migração



Comentários Eleison - por Dom Williamson
Número DII (502) - (25 de fevereiro de 2017):

RELIGIÃO DE MIGRAÇÃO


Os homens brancos europeus abandonaram Deus?
Servir-lhes-ão de flagelo negros, muçulmanos, mulheres e judeus!


Então, existe um Poder Global por trás do fluxo em andamento de imigrantes não europeus para a Europa, e a religião é “decisiva” neste fluxo – assim está dito no “Comentário Eleison” da semana passada. Duas questões, então, se levantam: quem ou o que é este poder? E como pode a religião entrar em uma questão tão política?

Em relação à identidade deste Poder Global, de cuja existência o economista húngaro estava tão seguro sem estar disposto a identificá-la, há facilmente acessível na internet (ao menos que tenha sido abafado) um vídeo fascinante e aterrador de uma entrevista filmada em 2010, de poucos minutos de duração, na qual uma judia declara que são os judeus que estão liderando a transformação multicultural da Europa. Barbara Spectre nasceu nos EUA em 1942, graduou-se em estudos filosóficos nos EUA, atuou como educadora profissional desde 1967 em Israel, e em 1999 emigrou para a Suécia para unir-se a seu marido, que era rabino da sinagoga de Estocolmo. Assistindo ao vídeo, parece evidente que ninguém a estaria forçando a revelar quem está por trás da transformação que está em curso atualmente na Europa. Antes, ela sinceramente acredita nessa transformação e no que os judeus estão fazendo com a Europa, porque declara que somente a invasão de imigrantes possibilitará que a Europa sobreviva. Eis aqui suas próprias palavras:

Eu acho que há um ressurgimento do antissemitismo porque neste exato momento a Europa ainda não aprendeu como ser multicultural. E eu acho que nós vamos ser parte da agonia desta transformação, que tem de acontecer. As nações europeias não serão mais sociedades monolíticas, como foram no século passado. Os judeus estarão no centro disto. É uma enorme transformação para a Europa. Elas estão agora entrando num sistema multicultural, e os judeus se ressentirão por causa de nosso papel de liderança. Mas sem este papel, e sem aquela transformação, a Europa não sobreviverá”. (Veja em https://youtu.be/8ERmOpZrKtw)

Eis aqui uma resposta convincente à questão da identidade do Poder Global. Atuante no nível universitário por mais de 30 anos em Israel, ardente sionista e esposa de um rabino, Barbara Spectre poderia facilmente saber o que os judeus estavam planejando para a Europa anos antes de a invasão de imigrantes assumir as proporções do fluxo atual. E o domínio judeu de todos os cinco elementos que o economista húngaro disse serem necessários para organizar um fluxo de imigrantes faz com que a identificação de seu "Poder Global" com o poder judeu seja inteiramente plausível.

Mas por que os judeus quereriam transformar a Europa "monolítica" numa Europa "multicultural"? A resposta é uma força motriz que está muito além e muito acima da simples política.

Desde que os fariseus e o escribas crucificaram Nosso Senhor Jesus Cristo porque Ele estava fazendo com que o povo de Deus deixasse de ser d’Ele pela raça e se tornasse Seu pela fé católica, eles perseguiram Sua Igreja por aproximadamente dois milênios (leiam Complô contra a Igreja, de Maurice Pinay). Ainda hoje os líderes judeus acreditam que Deus só dá a eles dádivas e direitos para governarem o mundo. Ora, o Antigo Testamento certamente veio de Deus, mas ele aponta diretamente para o Novo Testamento, que tomou seu lugar, de modo que os sucessores dos fariseus tiveram de distorcer o Antigo Testamento no Talmud, que é viciosamente anticristão. Assim, o talmudismo é uma falsa religião, mas deu apoio e poder pseudorreligiosos para o antigo impulso farisaico de acabar com a Cristandade.

Ora, a Igreja de Cristo nasceu e cresceu no Oriente Médio e espalhou-se rapidamente por todo o mar Mediterrâneo, mas quando o Oriente Médio e o Norte da África caíram diante do Islã, a Fé foi mantida e espalhada no mundo todo principalmente pelos europeus, da raça branca, e dividiu-se pela Providência entre as várias nações da Europa. Assim, São Francisco Xavier na Índia implorou a Santo Inácio que o enviasse da Europa padres europeus para que atuassem como missionários. Daí o ódio quase religioso dos sucessores dos fariseus contra as nações brancas da Europa, e daí a direção "multicultural" dos judeus para diluir a raça branca e dissolver as nações "monolíticas" da Europa. E, a não ser que essas nações se voltem para Deus e para a Sua única e verdadeira Igreja, Sua Justiça pode vir a permitir que esse impulso obtenha sucesso, a menos que Sua Misericórdia o interrompa...

Kyrie eleison.


*Traduzido por Leticia Fantin.

quarta-feira, fevereiro 22, 2017

O pingente da discórdia: quando o mimimi fala mais alto



E o abortismo -- quem diria! -- chegou às joalherias... 

Pois é! Chegamos ao ponto no qual um simples compartilhamento de uma imagem de uma jóia retratando um bebê no útero virou motivo de "mimimi". 

segunda-feira, fevereiro 20, 2017

Comentários Eleison: Políticas de Migração

Comentários Eleison - por Dom Williamson
Número DI (501) - (18 de fevereiro de 2017):

POLÍTICAS DE MIGRAÇÃO


Que os Brancos e Muçulmanos lutem, em guerra mortal!
Então poderemos reinar, como nunca o fizemos antes.


Discutindo uma semana depois na televisão húngara sobre o mau comportamento dos imigrantes em Colônia no final do ano passado, o principal economista da Hungria, que já fora político, Dr. László Bogár, procurou descobrir as raízes do problema da invasão de imigrantes, que prossegue na Europa (assistam em: youtu.be/TKpe4swiVOc). Sua análise das raízes políticas vai até onde a opinião pública lhe permite dar nome ao Inominável Poder Global por trás da invasão, mas ele não se aproxima das raízes religiosas, que são decisivas. Mas, quem pensa ainda hoje que a religião influencia em qualquer coisa no mundo? É de esperar-se que os leitores destes “Comentários” possam tanto conceber que esse Poder maléfico existe, como que a verdadeira Igreja Católica é a única que pode neutralizar seu veneno. A seguir, em itálico, a análise do Dr. Bogár, resumida e adaptada:

Um Poder Global deseja destruir tudo o que é humano, tudo o que tem dignidade. E como o Homem Branco Europeu ainda possui muito disso, ele deseja destruir o Homem Branco Europeu. Consequentemente, ele está conduzindo para a Europa uma massa de imigrantes estrangeiros com o auxílio de recursos gigantescos. De fato, deve ser óbvio para qualquer um que tenha um mínimo de bom senso que, para um deslocamento relativamente rápido de milhões de pessoas por milhares de quilômetros, certas coisas são necessárias.

Em primeiro lugar, para financiar a operação, falemos num mínimo de dez bilhões de dólares. Em segundo lugar, para dirigir e controlar o deslocamento, precisa-se de um mínimo de alguns milhares de agentes estritamente secretos, e se alguma vez uma luz brilhou ocasionalmente nesta operação habilmente disfarçada, então, e em terceiro lugar, os meios de comunicação foram necessários para reparar o disfarce rapidamente. Em quarto lugar, para organizar a operação, foi indispensável a colaboração completa do sindicato global do crime com suas dezenas de milhares de traficantes de seres humanos para lidar com os migrantes. E, finalmente, a colaboração cínica dos principais políticos europeus era necessária, como a do Primeiro Ministro britânico que nos visitou aqui hoje, e a dos líderes da França e da Alemanha, todos os quais participaram igualmente na destruição da Líbia e da Síria. Além de criar o caos, esses líderes orgulhosamente anunciaram que estão fazendo isso em nome da Europa, da cultura ocidental, da democracia. Eis os verdadeiros culpados do horror que vimos recentemente em Colônia, e alguma coisa me diz que este é apenas um leve prelúdio para algo muito mais sinistro...

A verdade é que a Europa está sendo arrastada para um conflito tão brutal quanto a I e a II Guerra Mundial, pelo mesmo Poder Global. Com efeito, a Europa está deixando-se arrastar para uma III Guerra Mundial. A invasão de imigrantes é apenas o produto final de um enorme processo oculto. Agora, alguém pode neutralizar o horror ao fim do processo, mas se não entendemos o próprio processo e o cortamos desde suas raízes dentro da estrutura de poder global, então horrores como a invasão de imigrantes só continuarão. Infelizmente, a cooperação internacional é necessária aqui, mas a realidade é que o líder húngaro, Viktor Orban, tem estado virtualmente sozinho. Quando a Líbia foi infernalmente bombardeada, ele foi o ÚNICO político europeu que expressou suas preocupações e reservas sobre quais seriam as consequências estratégicas. Poucos, mas muito poucos políticos expressaram as mesmas preocupações. Por conseguinte, a Hungria teve de dar um passo adiante, e é por isso que estamos sob constante ataque. Na Hungria não precisamos travar uma guerra civil porque fechamos as nossas fronteiras, mas agora temos de esperar que as outras nações da Europa façam o mesmo.

Infelizmente, quando se trata de erradicar o processo pelo qual os horrores dos imigrantes nas cidades europeias são apenas os frutos podres, é lamentável dizê-lo, a Europa já está totalmente derrotada. O processo só pode levar a uma guerra civil. MAS ESSE É O OBJETIVO. É isso que o Poder Global quer. O Poder Global quer, acima de tudo, uma guerra brutal sem fim de 30 anos, tal como a devastadora Guerra dos Trinta Anos do século XVII (que foi obra do mesmo do Poder Global). Quer precisamente que se desenrole na Europa uma guerra civil que se estenda por décadas.


Kyrie Eleison.


*Traduzido por Cristoph Klug.

domingo, fevereiro 19, 2017

Meu outro blog mudou de endereço


Acessem:

http://mariarosam.blogspot.com.br/

domingo, fevereiro 12, 2017

Comentários Eleison: Quinhentos

Comentários Eleison - por Dom Williamson
Número D (500) - (11 de fevereiro de 2017): 

 QUINHENTOS


"Comentários" são leves, informais, não espadas com peso esmagador –
"Eleison" significa: "tenha misericórdia" – por favor, ó Senhor!


Este número dos Comentários Eleison para a Festa de Nossa Senhora de Lourdes de 2017 é o 500º desde o primeiro que apareceu em 6 de julho de 2007. Por nove anos e meio, os "Comentários" vêm aparecendo na Internet uma vez por semana geralmente aos sábados, a menos que haja algum atraso ou outro, e todas as semanas durante esse tempo, com poucas exceções. Também aos sábados ele sai em uma lista de discussão eletrônica para milhares de assinantes. Em inglês, francês, alemão, italiano e espanhol está disponível em stmarcelinitiative.com, e deixe-se dito aqui que se alguém deixa de receber os "Comentários" por e-mail quando deseja continuar a recebê-los, nunca será por ter sido eliminado da lista de endereços pelos administradores. Normalmente terá sido por algum infortúnio eletrônico, como por exemplo, quando o computador de alguém desvia os "Comentários" para a caixa de spam. Em outros sites, os "Comentários" aparecem semanalmente em tcheco, japonês, coreano e português.

Os "Comentários" nunca são longos, embora ocasionalmente tenham um Suplemento. Em Inglês raramente excedem setecentas palavras, contendo um material que possa caber em uma página A4 com fonte de tamanho 12. Esta brevidade tem a vantagem de garantir aos leitores com pouco tempo livre que sua leitura nunca vai demorar mais do que uns poucos minutos por semana. Por outro lado, a brevidade tem a desvantagem de que os "Comentários" raramente tratarão um assunto com grande profundidade. Ocasionalmente aparecem uns poucos números seguidos sobre um mesmo assunto para examiná-lo com um pouco mais de detalhes, mas mesmo assim o conteúdo não é quase nada acadêmico, nem pretende sê-lo. Os acadêmicos estão sujeitos a usar mais de setecentas palavras para provar um ponto, e muitos leitores hoje têm pouco tempo para algo que tenha mais do que setecentas palavras.

O que os "Comentários" tentam fazer é argumentar a partir da realidade do mundo moderno ao nosso redor para estabelecer alguma conexão razoável e coerente entre, por um lado, a fé católica sem a qual não podemos ser salvos (Hb XI, 6) e, por outro lado, a crescente escuridão do mundo e da Igreja que todos conhecemos. Se os "Comentários" alcançam esse propósito, os leitores devem julgar por si mesmos. Eles certamente não são infalíveis, pois provêm de um bispo católico afastado de qualquer estrutura oficial e declarado duas vezes "excomungado" (1988 e 2015) pela Roma oficial (o que poderia, infelizmente, ser mais uma honra do que um desonra – Deus o sabe). Mas se ele próprio tivesse que reexaminar todos os números anteriores, poderia encontrar juízos que teriam mudado à luz dos eventos posteriores. Ele tem feito o impossível para ser gentil com os homens da Igreja responsáveis ​​pelo Vaticano II e por suas consequências, mas como Don Putti, o fundador de Sisi Nono, uma vez lhe disse: "Sono tutti delinquenti" - objetivamente, todos eles são delinquentes.

Assim, enquanto muitos leitores podem achar os "Comentários" bastante obscuros e muito pessimistas, seu autor pode suspeitar que se ele errou, foi onde ele esteve um pouco otimista demais. Paradoxalmente, o supostamente arquiconservador da FSSPX e arquicrítico da Neoigreja pode estar parecendo bastante complacente com os praticantes da religião Novus Ordo. Ele poderia dizer que tem seguido São Agostinho: "Odiar o erro, mas amar aqueles que erram". Outros podem ser menos gentis e dizer que por baixo ele tem sido um ardente liberal o tempo todo – tais são os prazeres da nossa época moderna. De qualquer forma, ele não espera que os "Comentários" alcancem seu milésimo número. Ele está convencido de que a eletrônica da qual eles dependem seja em um futuro próximo derrubada pela guerra, ou paralisada por agentes da Nova Ordem Mundial, a cujas mentiras a Internet tem causado tanto dano, apesar das múltiplas misérias da Internet.

Enquanto isso, todas as honras e agradecimentos vão para Deus Todo-Poderoso e para Nossa Senhora de Lourdes, por cada pequena maneira com que os primeiros 500 números podem ter ajudado as almas, e que as almas rezem para que mais luz e calor venham de tantos outros números dos "Comentários" quanto a Providência possa prover.


Kyrie eleison.

terça-feira, fevereiro 07, 2017

Dom Tomás de Aquino sobre a utilização da imagem de Nossa Senhora Aparecida.




Breve pronunciamento de S.E.R Dom Tomás de Aquino, sobre a utilização da imagem de Nossa Senhora Aparecida.

Tendo tido conhecimento da escandalosa aprovação recebida por uma escola de samba de utilizar a imagem de Nossa Senhora Aparecida no desfile de carnaval não podemos deixar de elevar nosso protesto contra tal​ profanação.

Em Fátima Nossa Senhora nos advertiu para não ofender mais a Nosso Senhor já tão ofendido.

Que castigos não atrairão sobre nosso país uma tal profanação dirigida contra a ​M​ãe de Deus Nosso Senhor!?

Que Deus não permita que os brasileiros suportem tal insulto e se oponham a esta profanação.


+ Tomás de Aquino OSB

segunda-feira, fevereiro 06, 2017

40 Horas e retiro



Carta Aberta aos Bispos do Brasil


A Congregação Mariana de nossa Capela, junto com ajuda do Apostolado da Oração, enviou na quinta-feira 19/01/17, 302 cartas endereçadas a todos os Bispos do Brasil, pedindo que ao menos um Bispo que seja, se levante contra a utilização da imagem de Nossa Senhora Aparecida no desfile de carnaval de São Paulo que ocorrerá no dia 25 de fevereiro de 2017. Façamos penitência, oração e reparação na intenção de que algum Bispo se levante contra essa tragédia.

Continue lendo.

domingo, fevereiro 05, 2017

Comentários Eleison: Conto de Fadas?

Comentários Eleison - por Dom Williamson

CDXCIX (499) - (4 de fevereiro de 2017): 

Conto de Fadas?


Uma moça tola pode arruinar completamente uma propriedade,
E assim pesar sobre o destino de um Reino!

Era uma vez uma moça (FSSPX) que havia sido muito bem educada por seu bom pai (Dom Lefebvre). Ele havia-a advertido sobre Dom Juan (os papas neomodernistas). Por alguns anos, a jovem foi séria e prudente, resistindo às investidas de Dom Juan. Infelizmente, um dia seu amado pai faleceu, e a jovem herdou sua fortuna. Por algum tempo ela permaneceu fiel a seus comandos. Rodeada por um grupo de outras jovens sábias (os antiliberais da FSSPX), ela continuou a administrar sua fortuna, velando pelos órfãos da propriedade de seu pai (os católicos tradicionais).

Mas o tempo passou. Ela não era mais tão jovem, e começou a sentir medo de ficar muito velha para casar. Ela estava com medo de que, fiando sua lã e trabalhando em seus bordados, logo ficaria sozinha. Pobre menina! Queria tanto ser amada, ter seus filhos legítimos (os tradicionalistas reconhecidos por Roma). Queria fazer mais que somente suas obras de caridade para com os órfãos. Ela estava cansada de sua vida. Era insultada e ridicularizada por seus vizinhos, que queriam que ela se casasse (conservadores e tradicionalistas que se submeteram a Roma).

Bem, Dom Juan já havia demonstrado repetidas vezes quão perverso era, e quanto havia arruinado e desonrado muitas boas garotas (as comunidades submetidas a Roma), mas ele era o herdeiro da maior família do Reino, com o título de Vice-rei (o Vigário de Cristo). Depois de um prolongado estudo sobre o caráter e a virtude da moça, ele decidiu usar uma tática especial para seduzi-la – apelaria a seus sentimentos mais elevados. Assim, começou a admitir que ele estava longe de ser perfeito, e até que havia cometido erros. Ele, inclusive, perguntou à jovem se poderiam encontrar-se para discutir as coisas. A jovem aproveitou a oportunidade para dizer-lhe o que pensava dele e de seus amigos (discussões de 2009-2011). E durante todo este tempo (2006-2012), ela repetiu, até mesmo em público, que o casamento estava fora de questão, a menos que ele corrigisse seus modos.

Então, Dom Juan teve uma brilhante ideia! Ele disse à garota que ela não era como as outras que havia conhecido. Disse que sua resistência teimosa havia aberto seus olhos, que somente ela poderia curar suas feridas (os desastres pós-conciliares) e fazê-lo mudar, e corrigir seus modos para o bem! A moça decidiu aconselhar-se com suas amigas. Ela reuniu-as na propriedade de seu pai (Écône, 2012). Infelizmente para ela, já estavam longe dela as jovens prudentes que seu falecido pai havia escolhido para serem suas companheiras (um bispo e padres da Resistência). Como novas amigas, ela escolhera algumas jovens tontas que estavam embriagadas com o deleite de pensar no casamento de sua amiga com o Vice-Rei. Assim, elas ajudaram a convencê-la (Capítulo Geral de 2012 e suas consequências) de que ela poderia mudar seu futuro marido, como Santa Clotilde havia transformado Clóvis. Disseram a ela que o desejo de Dom Juan de ser ajudado por ela demonstrava que ele já estava se corrigindo!

Enquanto isso, Dom Juan continuou a empresa de sedução mantendo contatos e discussões com a jovem e suas amigas mais próximas. Assim, apesar das censuras e dos repetidos avisos das jovens sábias, que agora viviam no bosque ao redor da casa na propriedade do pai, ela já havia se decidido! Ela acreditou no que Dom Juan estava lhe dizendo! Ela acreditou nos argumentos das jovens tontas! Sim, ela, e somente ela, conseguiria salvar Dom Juan de si mesmo! Como seu velho e querido pai não teria dado sua aprovação?!

Pobre jovem! Ela havia perdido seu contato com a realidade. Não podia mais ver que a natureza mesma do Vice-Rei era corrompida, e que ele estava seguro de corrompê-la também, e a todos os seus futuros filhos, e a todos os órfãos da propriedade de seu pai. E quanto às moças prudentes, elas estavam tremendo de frio no bosque ao redor da propriedade de onde haviam sido expulsas. Choraram pelo velho e bom pai, com lamentações de partir o coração. Se ao menos ele pudesse voltar! Ó Deus! Ai de nós! Mas a única resposta a seu pesaroso pranto foi o gemido do vento de inverno por entre as árvores. Era noite...

Kyrie eleison.


Traduzido por Leticia Fantin.

sexta-feira, fevereiro 03, 2017

O Oculto em um Filme Infantil

Por Laura Wood
2 de fevereiro de 2017

A besta na nova versão da Disney de A Bela e a Fera tem chifres - como Baphomet. Veja o relatório em Fellowship of the Minds, onde o Dr. Eowyn* escreve:

A mensagem do novo filme da Disney A Bela e a Fera é esta:

“O Diabo é mal interpretado! Ele só quer o seu amor! O Diabo te ama e quer te dar riquezas e elegância. Tudo que você tem que fazer é dizer a ele que você o ama, e ele vai se transformar em um príncipe bonito, e você vai viver feliz para sempre.”



* Para ver as imagens que representam a Fera, clique no link do artigo