terça-feira, abril 24, 2018

Fanatismo, temperamento e patologia





É interessante saber mais sobre os reflexos condicionados e outros processos fisiológicos e psíquicos nos animais e no ser humano.

O bom no caso dos seres humanos, é que estes possuem vontade, escolha, livre arbítrio, e não precisam comportar-se como animais...embora comportem-se como tal muitas vezes, infelizmente.

Você já ficou surpreso com “conversões” instantâneas? Conhece alguém fanático, seja no campo religioso, seja no campo político, ou outro qualquer? A fisiologia pode explicar casos assim, ao menos uma parte do que acontece.

“Pavlov descobriu que alguns cães de temperamento estável eram mais propensos a desenvolver esses “pontos patológicos limitados” no córtex antes de entrar em colapso sob pressão. Novos padrões de comportamento resultavam desses pontos: podiam ser patadas compulsivas e repetidas na plataforma de experiência, tais como as que se seguem a uma interferência na função glandular ou a alguma forma de debilitação física. Descobriu também que, uma vez adquiridos por cães de temperamento estável, padrões desta natureza são difíceis de erradicar. Isso talvez possa ajudar a explicar por que seres humanos de caráter forte muitas vezes ficam fanáticos convictos e com ideias fixas quando, subitamente, “encontram Deus”, aderem ao vegetarianismo ou se tornam marxistas: é que um pequeno ponto cortical talvez tenha atingido um estado permanente de inércia patológica.”

(A Luta pela Mente, de William Sargant. Edição eletrônica 
http://www.ebooksbrasil.org/eLibris/mente.html)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de fazer seu comentário: ele deve ser relacionado ao post, e feito respeitosamente. Reservo-me o direito de não publicar comentários que julgue desnecessários ou desrespeitosos. Os comentários não expressam a minha opinião e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.