terça-feira, junho 19, 2018

Subconsciente: o cérebro automático



Eis um documentário muito interessante sobre parte subconsciente da nossa mente, The Automatic Brain, [O Cérebro Automático] que foi traduzido como “O Cérebro Inconsciente”. Excluindo a mentalidade evolucionista, progressista e algumas cenas inconvenientes e imodestas, o documentário é bem proveitoso.

Pode existir uma certa confusão entre inconsciente e subconsciente, e o inconsciente de Freud, mas digamos que inconsciente é tudo aquilo que não está consciente nem perto de chegar à consciência.

Quando os santos e autores católicos dizem, por exemplo, para tirar o foco de um pensamento substituindo por outro bom, como uma jaculatória, eles estão ensinando a fazer um melhor uso da mente subconsciente, a substituir a crença ruim (um mau pensamento, uma crença em algo mau, que leva a ter medos infundados) por uma crença boa, no caso, as orações que levam a Deus.

A repetição leva ao hábito, e este é algo automático, não fica mais no consciente, e sim abaixo dele, no subconsciente. Sem perceber, tais hábitos, tais pensamentos, vão nos guiando, para o bem ou para o mal, dependendo de quanto carregamos o subconsciente com imagens boas ou más. Quanto mais repetimos palavras “negativas”, mais carregamos nosso subconsciente de automatismos que farão cm que reajamos daquela maneira. Por exemplo, dizer “eu não quero ser rude”, não vai ajudar a nos fazer gentis, porque o subconsciente apaga o “não”. Devemos então dizer “eu quero ser gentil” ou “eu estou cada vez mais gentil”, e fazemos nossa parte para mudar.

Daí o cuidado com a imaginação, com tudo o que alimenta nossa imaginação: livros, filmes, crenças, etc. Não é à toa que a Igreja tem este cuidado conosco, em nos avisar sobre o perigo das más companhias, sejam pessoas, sejam obras de arte. Somos influenciáveis. Aprendemos com o meio à nossa volta. E o subconsciente tem um grande papel nisso.


Episódio 1 de 2:


Episódio 2 de 2:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de fazer seu comentário: ele deve ser relacionado ao post, e feito respeitosamente. Reservo-me o direito de não publicar comentários que julgue desnecessários ou desrespeitosos. Os comentários não expressam a minha opinião e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.