quinta-feira, novembro 08, 2018

A Farsa da "Homofobia"



Qualificar agressões criminosas como "homofobia" é inadequado, simplesmente por que não se trata de uma fobia no sentido psicológico do termo. É aqui que se encontra o ardil da coisa: o marxismo é coletivista, crê na bondade natural do ser humano e desloca a culpa de qualquer crime dos indivíduos para a sociedade. Dentro dessa lógica, o roubo não é propriamente culpa do ladrão, mas de uma sociedade economicamente desigual; já a agressão aos homossexuais também não é culpa propriamente do agressor, mas de uma sociedade culturalmente avessa à homossexualidade. E qual é a grande matriz cultural da nossa sociedade? O cristianismo! E é assim que se rotulam tanto os criminosos que agridem os gays nas ruas, quanto os cristãos que apenas defendem seus valores morais, igualmente como "homofóbicos". O termo "homofobia" só serve para colocar todos no mesmo balaio e fazer com que os cristãos ou traiam seus princípios, ou sejam tratados com criminosos [1][2]. E é por isso que não podemos aceitar o uso desse termo. Trata-se de um rótulo desonesto[3][4].
Duas observações:
1- É curioso que o movimento LGBT não aceite o uso do termo "homossexualismo", alegando que o sufixo "ismo" é indicativo de doença. Ora, em primeiro lugar o sufixo "ismo" tem diversas outras aplicações, podendo ser indicativo de prática ou ideologia, por exemplo. "Socialismo" é doença? Às vezes, parece. Em segundo lugar, não aceitar o sufixo "ismo", mas rotular os opositores como "homofóbicos", sendo o radical grego "fobia" consagrado na literatura psicológica como designativo de transtorno mental é, no mínimo, hipocrisia. Isso sem falar no non-sense da construção etimológica da palavra, pois "homo" remete apenas a "igual" e não a "homossexual".
2- O mesmo ardil desonesto promovido pelo movimento LGBT em relação à "homofobia" o movimento feminista faz alegando que há na sociedade uma "cultura do estupro". Felizmente, o caso IPEA serviu pra desmoralizar essa idéia absurda.
-----------------------------------------------------------------------
[1] Exagero meu? De forma alguma. Basta que assistamos Luciana Genro perguntar ao Pr. Everaldo no debate da Band se ele não se considera responsável por esse tipo de crime [http://goo.gl/NGE4iD], ou Jean Wyllys chamando textualmente os cristãos de assassinos [http://goo.gl/hRlCu4] por um crime cometido por um homossexual contra o outro [http://goo.gl/VCwKrq]. A propósito, este já é o segundo caso de grande repercussão em 2014 que tentam colocar na conta da "homofobia" para depois a casa cair. O primeiro foi este [http://goo.gl/rZYFtR].

[2] Enquanto isso, as páginas oficiais tanto de Marina Silva [http://goo.gl/B5nn5U], quanto de Dilma Rousseff [http://goo.gl/i4QM72] atestam seu compromisso em criminalizar a tal da homofobia. É claro que elas omitirão que, com isso, os cristãos é que acabarão sendo tratados como criminosos, mas, como escrevi certa vez, Luciana Genro é o que Marina e Dilma gostariam de ser mas não podem porque precisam ganhar a eleição [http://goo.gl/Od0aBO].
[3] "O 'pecado' de homofobia: a sociedade cristã em decúbito ventral", por Sidney Silveira:

[4] "A Armadilha do 'Preconceito' e da 'Homofobia' – O vocabulário que quer a inversão do que é racional", por Pe. Daniel Pinheiro:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de fazer seu comentário: ele deve ser relacionado ao post, e feito respeitosamente. Reservo-me o direito de não publicar comentários que julgue desnecessários ou desrespeitosos. Os comentários não expressam a minha opinião e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.