segunda-feira, junho 10, 2019

O Eclipse de Bolsonaro e a Constituição de um Governo Maçônico

O ECLIPSE DE BOLSONARO E A CONSTITUIÇÃO DE UM GOVERNO MAÇÔNICO

1) Repito o que disse muitas vezes: às lojas e aos poderes globais já não interessava a permanência da esquerda no poder. (Tinham estado em aliança com ela, como se pode ver pelo apoio a Lula de boa parte dos ministros e das personalidades do antigo regime militar.) Daí o impeachment de Dilma. Para os planos da revolução marcusiana global, era hora de mudar.
2) Bolsonaro, por seu lado, sempre foi figura singular. Corajoso, combativo contra a esquerda e em parte contra o mesmo marcusianismo, nunca se fundou porém em doutrina sólida, além de entretecer alianças com religiosos da pior espécie. Como quer que seja, manteve tal combatividade e coragem ao longo de toda uma dramática campanha eleitoral, o que mereceu de nós o voto como num mal menor.
3) Chegado ao poder, no entanto, boa parte das personalidades que o apoiaram ou se elegeram por causa dele mostraram-se ou meros arrivistas ou efetivos agentes das lojas e do globalismo. Mourão é talvez o exemplo mais notório. Mas também o são Guedes (ao menos por seu liberalismo globalista), a esfinge Moro (veja-se o convite feito por ele a que Karnal desse palestras no âmbito de seu ministério, etc.), o atual ministro da Educação (um alto financista que não tem a menor ideia do que é educação e que acaba de lançar um projeto de regulamentação do homeschooling que traz o inequívoco selo do globalismo), e outros.
4) Mas obviamente as lojas e o globalismo apoiam a pauta ou agenda global (aborto -- lembram-se do apoio de Mourão ao aborto? --, criminalização da "homofobia", internacionalização da economia, multiculturalismo, encurralamento da religião, etc.). E como tem reagido a isso o mesmo Bolsonaro? Com a combatividade e coragem de antes? Não. Cala-se quanto a essa pauta ou agenda, talvez com a desculpa esfarrapada de que é preciso antes aprovar a reforma da Previdência. Dupla falácia: antes de tudo, quando se votar tal reforma, já terão passado coisas como a criminalização da "homofobia", a regulamentação globalista do homeschooling, etc.; depois, quem conhece suficientemente economia para endossar a afirmação de Guedes de que sem tal reforma o Brasil falirá? Não faliu nem sequer na época da corrupção sob o governo Dilma.
5) Este silêncio de Bolsonaro é o que o eclipsa. Já não se trata daquele Bolsonaro cheio de defeitos mas cuja guerra corajosa a muitos aspectos da revolução comunista e da marcusiana mereceu de nós um voto prenhe de certa esperança. É hoje como um títere, uma marionete de um governo maçom-globalista, e entrega-se ao ridículo ou à irresponsabilidade ou à estupidez com ideias absurdas sobre cadeirinhas de bebê nos automóveis, rerreformas ortográficas, tomadas e pinos, etc.
6) Para sair de tal eclipse, não resta a Bolsonaro senão voltar à sua antiga combatividade antirrevolucionária e antiglobalista e convocar os que votaram nele a que o apoiem nas ruas. Ou isso, ou nosso voto num mal menor terá sido voto num mal puro e simples.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de fazer seu comentário: ele deve ser relacionado ao post, e feito respeitosamente. Reservo-me o direito de não publicar comentários que julgue desnecessários ou desrespeitosos. Os comentários não expressam a minha opinião e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.