quinta-feira, outubro 31, 2013

Jornalzinho em prol da Família Católica - 5.ª Edição (Outubro 2013)



EDIÇÃO NÚMERO 5
(clique no título acima para baixá-lo)

segunda-feira, outubro 28, 2013

Drones norte-americanos matando civis no Paquistão possuem precedentes na II Grande Guerra



Muito tempo antes de drones americanos matarem civis no Paquistão, pilotos americanos cometeram crimes de guerra similares na Alemanha:

Numa autobiografia de 1985 do primeiro piloto a quebrar a barreira do som, o autor descreveu como, durante a II Guerra Mundial, no outono de 1944, seu grupo de batalha estava atacando a Alemanha e “... foi designada uma área de 50 milhas por 50 milhas e mandado que eles metralhassem qualquer coisa que se movesse... Nós não fomos perguntados sobre como nos sentíamos atirando em pessoas. Foi uma missão miserável, suja, mas todos nós decolamos no horário e fizemos isso... Fomos ordenados a cometer atrocidades, pura e simplesmente, mas o bronze que aprovou esta ação provavelmente sentiu-se justificado porque em tempo de guerra a Alemanha não estava facilmente dividida entre "civis inocentes" e sua máquina militar. O agricultor cultivando seu campo de batatas poderia estar alimentando tropas alemãs."

Chuck Yeager, Yeager: An Autobiography (New York: Bantam Books, 1985) pp. 79-80.

Traduzido de On the Contrary.

sábado, outubro 26, 2013

Inquisições protestantes



Muitos não sabem que os protestantes perseguiram, torturaram e mataram - com requintes de crueldade -milhares de católicos e até mesmo protestantes. Se não sabe do que se trata, leia abaixo:

A Inquisição Protestante, por Fernando Nascimento.

A Inquisição protestante, de Rogério SacroSanctus.




Comentários Eleison: A Queda da FSSPX

Comentários Eleison – por Dom Williamson
CCCXXVIII – (328) – (26 de outubro de 2013): 

A Queda da FSSPX


Para a Glória de Deus e pela salvação das almas é essencial analisar por que, nas atuais circunstâncias, um fim ameaça os 40 anos gloriosos de defesa da Fé pela Fraternidade Sacerdotal São Pio X. Um artigo e uma carta escritos recentemente podem ajudar nesse sentido: um artigo que analisa a queda da Fraternidade, e uma carta com uma nota de esperança com o modo pelo qual ela pode se reerguer.

O artigo apareceu na internet em francês (ver “Um Évêque se lève”). Depois de ler um livro sobre utopismo na educação moderna, que compara este com o mesmo sonho irreal na política moderna, o autor do artigo descobriu que o mesmo padrão em seis estágios poderia ser aplicado à FSSPX. Em primeiro lugar, o padrão: 1. Uma recusa da natureza humana como um dado para se trabalhar com, e não contra. 2. Um sonho de fabricar a criança/homem completamente nova. 3. A exclusão das estruturas naturais da família/sociedade. 4. O total remodelamento da criança para gerar uma nova sociedade perfeita. 5. Os resultados desastrosos, apesar de todas as boas intenções iniciais – 6. Crianças ignorantes e perversas, e uma sociedade em apostasia e fazendo guerra contra Deus.

Em segundo lugar, a aplicação à FSSPX: 1. A recusa da realidade da crise sem precedentes na Igreja. 2. O sonho de fabricar uma reconciliação entre a Igreja Conciliar e a Tradição. 3. A exclusão da interação natural entre os líderes e liderados. 4. Um total remodelamento da autoridade católica para se impor o sonho (na educação, na política ou na FSSPX, quando o sonhador se confronta com a dura realidade, ele é obrigado a usar todas as forças que tem à disposição para esmagar a realidade – seu sonho é muito mais amável). 5. A desastrosa stalinização da FSSPX resultante, apesar de todas as piedosas intenções. 6. Perda do espírito de luta, o que tende a conduzir à completa perda da Fé.

A carta que me chegou por e-mail segue as mesmas linhas gerais da análise, mas acrescenta uma nota de esperança. O Papa Francisco e o Bispo Fellay, por serem quem são (ambos utópicos, pode-se acrescentar), fazem o autor da carta pensar que o acordo entre Roma e a FSSPX certamente ocorrerá, e que a resistência será reprimida. Ele acha que, se a FSSPX cair, terá sido por subestimar os leigos e por subempregá-los para ajudar a estabelecer na Fraternidade o Reinado Social de Cristo Rei. A FSSPX precisa apenas restabelecer-se com os leigos para trabalhar por esse Reinado, e – aqui está a nota esperançosa – assim ela irá reunir e fortalecer todos os tipos de católicos que têm mantido a Fé apesar de tudo o que eles têm sofrido nos anos recentes, vindos do Novus Ordo, da Ecclesia Dei, dos Franciscanos da Imaculada, e de qualquer outro lugar. Assim, conclui o escritor da carta, “a FSSPX, pela ação daqueles fieis remanescentes, não irá mergulhar no caos, muito pelo contrário”.

De minha parte, apesar de concordar que o clericalismo (subvalorizando os leigos) tenha sido um aspecto do problema da FSSPX, não acho que seja a raiz do problema. Penso que a raiz tenha sido, antes, o generalizado voltar-se para o homem ao invés de para Deus (cf. Jer. XVII 5, 7), uma queda longe de estar restrita à FSSPX, com a conseqüente perda da verdade e falsidade objetivas, e do bem e do mal objetivos. Contudo, eu concordo com a visão do escritor da carta no tocante a uma nova aliança ser formada, em algum momento do futuro, de verdadeiros católicos vindos de todos os cantos da Neo-igreja e da Igreja, para levar adiante a Fé Católica (cf. Mt XIX, 30). Possa a FSSPX despojar-se de seus atuais problemas e passar a desempenhar um papel de liderança, ou melhor, um humilde papel nessa aliança.


Kyrie eleison

quinta-feira, outubro 24, 2013

Devoção das Quarenta Horas


A Igreja do Homem – Parte I



Uma Inversão Fundamental nos Objetivos da Igreja
Por Robert P. Banaugh
Traduzido por Andrea Patrícia

 


Paulo VI lança uma nova missão: a Igreja deve servir ao homem


Em 7 de dezembro de 1965, em seu discurso de encerramento no Concílio Vaticano II, o Papa Paulo VI anunciou: “A Igreja decidiu servir ao homem, ajudar o homem a construir um lar aqui nessa terra.”
De acordo com Paulo VI, as autoridades dos dias atuais da Igreja Católica não devem mais assistir aos fieis para cumprir o propósito sobrenatural pelo qual eles foram criados, que é “conhecer, amar e servir a Deus, e estar para sempre com Ele no Céu”. Assim, o objetivo principal da Igreja, estabelecido por Cristo para o propósito de dar honra e glória a Deus e a salvação das almas, foram invertidos. Não a salvação das almas, mas a melhora do bem estar humano tornou-se o maior objetivo da Igreja Conciliar.
Como o Papa está bem ciente das palavras de Jesus: “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e Sua justiça e todas essas coisas vos serão dadas de acréscimo” (Mt 6,33) – essa mudança de propósito foi realmente uma mudança mais radical.
No mesmo discurso o Papa também disse:
“A Igreja Conciliar, isso é verdade, também tem estado muito preocupada com o homem, com o homem como ele realmente é hoje, com o homem vivente, com o homem totalmente voltado para cuidar de si mesmo, com o homem que não somente faz de si mesmo o centro de seus próprios interesses, mas que ousa alegar que ele é o fim e a meta de toda existência.
“O humanismo secular, profano, finalmente revelou a si mesmo em sua terrível forma e, num certo sentido, desafiou o Concílio. A religião do Deus que se fez homem chocou-se com uma religião – por que é uma – do homem que se fez Deus.”
“O que aconteceu? Um impacto, uma batalha, um anátema? Isso poderia ter acontecido, mas não aconteceu. Foi a antiga história do Samaritano que serviu de modelo para a espiritualidade do Concílio. Ele foi permeado somente com uma infinita e ilimitada simpatia. A atenção do nosso Concílio foi tomada com a descoberta das necessidades do homem - que se tornam tão maiores quanto o filho da terra torna-se maior.
“Reconheçam ao menos isto, vós humanistas que não reconhecem a transcendência das coisas supremas, e reconhecei o nosso novo humanismo: nós também, mais do que ninguém, temos o culto do homem” (Ibid.)
Quatro anos mais tarde em 13 de julho de 1969, Paulo VI novamente enfatizou essa nova elevação do homem ao declarar:
“O homem é tanto gigante quanto divino, em sua origem e destino. Por isso, honra ao homem, honra à sua dignidade, ao seu espírito, à sua vida."
Então, de acordo com o Papa, não somente o propósito da Igreja foi radicalmente mudado, como também a relação entre Deus e o homem. O cumprimento de ambos os novos propósitos da Igreja e o novo “status” do homem, são baseados em noções tão intangíveis quanto diálogo, unidade na diversidade, construir uma comunidade mundial de amor através do diálogo, alcançar a unidade na diversidade entre todos os povos do mundo, estabelecer uma ‘religião’ única mundial definida pelo homem, etc.
O novo objetivo é claramente inatingível, pois contradiz as palavras de Jesus citadas acima bem como as palavras de Deus em Jeremias: 'Maldito o homem que confia no homem e que se apóia na carne e cujo coração se afastou do Senhor' (17.5).
O Concílio inspirou mudanças nos princípios básicos da fé e seus ritos litúrgicos como eram compreendidos antes do Concílio. As mudanças enfatizaram ações tais como colaboração com autoridades de diferentes seitas religiosas, bem como com autoridades seculares para a melhoria do bem estar humano, alcançar a paz mundial, etc. Para alcançar os novos objetivos, os ensinamentos de Cristo foram despreocupadamente ignorados, bem como Seu propósito para Sua Igreja.



Francisco enviou uma carta ao Primeiro Ministro Cameron: 'O objetivo da política e da economia é servir a humanidade'


Por muitos séculos antes do Vaticano II, a Igreja foi devotada a ajudar os fiéis a cumprir a admoestação em Mateus 6,33. Como consequência a Igreja desfrutou de um período de constante crescimento no número de seus membros, de seu clero e de suas instituições. No mundo inteiro tanto sua autoridade moral quanto sua influência social foram respeitadas.
Além disso, a atividade caritativa da Igreja foi muito admirada devido ao grande número de escolas e hospitais que ela tinha construído, apoiado e dirigido, colocados à disposição de muitos dos pobres.
Entretanto, logo após o encerramento do Vaticano II dezenas de milhares de religiosos e sacerdotes abandonaram a Igreja. Esse abandono levou à restrição de muitos serviços religiosos, ao fechamento de centenas de escolas católicas e à grave limitação da capacidade dos hospitais católicos e organizações caritativas para prestação de assistência médica e serviços caritativos aos pobres.
Além disso, a fé católica foi abandonada por centenas de milhares de católicos. Esta devastação da igreja começou quase que imediatamente após o encerramento do Concílio. Ela rapidamente tornou-se tão evidente que, apenas três anos após o seu encerramento, Paulo VI se sentiu forçado a declarar: "a Igreja se encontra em processo de auto-demolição”.
A súbita e acentuada perda da influência religiosa e moral da Igreja tem sido tão evidente que tem levantado muita discussão entre católicos e não-católicos. Infelizmente, esta auto-destruição continua inabalável devido aos novos ensinamentos e ações de autoridades da Igreja conciliar.

A Igreja Conciliar assumiu os ideais da Maçonaria;
acima uma
Missa rezada para os Maçons no Brasil

Continua.

Original aqui.


quarta-feira, outubro 23, 2013

Eu também peço desculpas aos luteranos...



Eu também, junto com os Fiéis Católicos da Arquidiocese de Ribeirão Preto, peço desculpas aos luteranos:

Impulsionados pelas palavras do Santo Padre, o  Papa Francisco I, que disse durante um encontro com autoridades luteranas que "católicos e Luteranos podem pedir perdão pelo mal que causaram uns aos outros e pelas culpas cometidas perante Deus, alegrando-se ao mesmo tempo pela nostalgia de unidade que o Senhor tem despertado nos nossos corações e nos faz olhar em frente com esperança” (ler a notícia aqui), também gostaríamos de pedir desculpas.

Gostaríamos inicialmente de pedir desculpas por termos permanecido fiéis ao ensino católico até 1965. Guiados pelo concílio dogmático de Trento, ingenuamente nos equivocamos, não entendemos o verdadeiro Evangelho de Jesus Cristo e defendemos a integridade de uma Verdade que hoje está ultrapassada, que precisou do advento do salvífico concílio ecumênico do Vaticano II para ser corrigida. Perdoem-nos, queridos irmãos!

Gostaríamos de pedir desculpas por termos defendido nossos países católicos contra as hordas de camponeses e nobres luteranos que pilharam cidades inteiras, destruíram catedrais, mosteiros, profanaram lugares santos, abusaram de freiras, esmagaram os crânios de seminaristas, monges, deportaram bispos, saquearam Roma, dizimando sua população a nada, enfim, desculpem-nos, irmãos, pois só hoje entendemos que tudo não passava de justiça social, dos direitos do homem, do homem preso, que tinha suas liberdades negadas pela hierarquia narcisista de então. Perdoem-nos!
 

A verdadeira razão da expulsão de D. Williamson


Trecho extraído de Non Possumus:

D. 9.- Otros comentaristas, evidentemente poco informados, han unido su decisión a las posiciones de Monseñor Williamson o de Don Floriano Abrahamowicz. ¿Qué puede decir al respecto ?

R.- Como superior de la FSSPX Distrito de Italia, tengo que precisar que tanto Monseñor Williamson como el padre Floriano Abrahamowicz han sido expulsados de nuestra fraternidad precisamente en razón de ciertas de sus posiciones que son incompatibles con la vocación de la Fraternidad. Sus afirmaciones no representan de ninguna manera la forma de pensar oficial de la FSSPX. Las amalgamas son puramente gratuitas.

Ora, mas não tinham dito que D.Williamson foi expulso por causa de sua "desobediência"? Nada como um dia após o outro, não é mesmo?

Agora duvidar de ditos fatos históricos é desobedecer? É ser incompatível com a vocação da FSSPX? É heresia? Durma-se com um barulho desses!
É, minha gente, com a nova religião da Shoah vem aí o novo dogma do Holocausto... ainda bem que não são todos os que caem nessa enganação e sustentam que tudo não passa de um Holoconto.

Leaim o restante aqui, pois a resposta do Non Possumus está muito boa.

terça-feira, outubro 22, 2013

Karl Marx e o Espiritismo



Interessante o vídeo abaixo, do espírita Clóvis Nunes, que afirma existir uma ligação de Karl Marx com Allan Kardec, e comenta sobre a destruição da religião. É sempre bom ver quando tais palavras saem das bocas deles mesmos que adoram nos acusar de intolerantes.

Aconselho aos católicos tomar um "Engov" antes e outro depois, porque é de dar náuseas. 

No vídeo, há distorções enormes, claro, mentiras deslavadas, como sempre, mas é interessante para que se veja como o pensamento revolucionário é o mesmo, sempre: destruir a ordem estabelecida por Deus.

Será que de fato o senhor "M" (que aparece no livro Obras Póstumas, de Kardec) era Marx? Pode ser mesmo. Eu lembro que quando desconfiei que esse senhor "M" era o judeu Moses Mordechai Levi, mais conhecido como Karl Marx, eu estava no começo de minha conversão e tentei alertar meu pai, que é espírita e anticomunista, mas ele não acreditou, claro, era demais para a cabeça dele acreditar nisso. Mas de qualquer forma esse tal M era alguém que, segundo os "espíritos de luz" (Lúcifer é espírito de luz, lembrem-se disso!), destruiria as bases estabelecidas (ou seja, a Igreja Católica) para dar lugar a vitória da Nova Ordem segundo o Espiritismo.

Marx era envolvido com satanismo, e por isso não surpreende que ele possa ter se encontrado com Kardec. Era bastante comum na época a prática da consulta aos "espíritos". Somente os ingênuos ou desinformados podem achar que Marx era um materialista total e que por isso não se interessaria pelo espiritismo ou espiritualismo. Como disse, acertadamente, o metafísico muçulmano Guenón "o materialismo o espiritualismo são duas faces de uma mesma moeda" . Claro, é tudo obra do Inimigo.

Fica aí o vídeo para quem se interessar em ver as ligações satânicas dos filhos das trevas na tentativa de destruir a Igreja. Loucos! Lutam contra o próprio Deus.


segunda-feira, outubro 21, 2013

Os católicos na Islândia




Recomendo a leitura de um blog muito interessante sobre os católicos na Islândia:

http://sagadoscatolicosislandeses.blogspot.com.br/

Ainda não li tudo, mas há boas informações.

Vejam que bonito:



A inscrição, ao pé da estátua da Virgem Maria, diz que o bispo Gudmundur o Bom teve, em 1230, uma visão de uma mulher acompanhada por três anjos que lhe pedia para consagrar a fonte. Gudmundur cumpriu o pedido da Senhora e, desde então, acredita-se que a água da fonte nunca secará e que tem poderes curativos. Ainda hoje existem peregrinações para o local onde tal fato ocorreu, chamado Maríulind, em Snæfellsnes, na Islândia.

sábado, outubro 19, 2013

Comentários Eleison: Francisco sem Deus

Comentários Eleison – por Dom Williamson
CCCXXVII – (327) – (19 de outubro de 2013): 

FRANCISCO SEM DEUS


Os católicos que guardam algum senso real de sua fé estão sendo escandalizados pelas palavras e ações do homem que está atualmente sentado na cadeira de Pedro. Quase se pode perguntar se ele foi posto lá para destruir o que ainda resta da Igreja Católica. Como um verdadeiro filho do Vaticano II, ele está se desviando de Deus e se voltando para o homem. Aqui, por exemplo, estão as primeiras nove de onze citações chave extraídas (não por mim) de uma entrevista dada por Francisco em 24 de setembro para um editor ateu de um jornal italiano.

            As citações de 2 a 5 referem-se à Igreja (eu resumo): 2 A administração da Igreja deve ser mais horizontal e menos vertical. 3 A Cúria Romana está muito  preocupada em servir a si mesma. É preciso se voltar para o povo. 4 O Papa não deve mais ser um rei cercado por cortesãos lisonjeiros. 5 Muitos padres estão mais voltados para si, sendo assim obstáculos ao cristianismo. Ora, citações como essas irão obviamente satisfazer um público moderno e democrático que nunca gostou de que a Igreja oficial lhe dissesse o que fazer. Mas estariam essas citações sendo honestas ou justas com os inúmeros Papas, Cúrias, Administrações e padres que antes de Francisco mantiveram por 1900 anos a estrutura da Igreja pela salvação das almas? Irá Francisco, pelo contrário, deixar alguma estrutura de pé e alguma alma salva atrás dele?

            As citações 1 e 6 referem-se ao mundo: 1 Sob a minha guarda, a Igreja ficará fora da política. Para deixar o homem democrático se atirar no inferno? 6 Os dois piores problemas do mundo hoje são os jovens desempregados e a solidão dos idosos. Ora, esses são dois problemas humanos reais de hoje, mas por quê? Não é porque precisamente clérigos como Francisco deixam a política para políticos que priorizam o dinheiro em detrimento dos jovens? E porque clérigos como ele se recusam a cumprir aquelas leis da Igreja que ao manter a família unida ajudam a cuidar dos idosos?

As citações 7 a 9 referem-se à religião: 9 Jesus nos deu apenas um caminho de salvação: o amor ao próximo. Mas o amor ao próximo sem antes o amor de Deus, se torna ódio ao vizinho, como ocorre, por exemplo, no comunismo. 7a Converter pessoas não tem sentido. Faz o maior sentido se, como é o caso, ninguém pode atingir o Paraíso sem acreditar em Deus e em seu Divino Filho: Jesus Cristo! 7b Nós devemos todos nos misturar e mover uns aos outros para o Bem. Mas nós devemos todos nos mover uns aos outros em direção a Deus. O que mais é o Bem? Se Francisco não menciona Deus, quem irá acreditar em Deus?

            A citação 8 é a mais grave de todas: 8a “Eu acredito em Deus, não um Deus católico, não há Deus católico”. Isto é gravemente enganoso. Verdade, Deus é o Deus de todos os homens, mas ele instituiu para todos os homens uma religião, e somente uma religião, e essa religião é a católica. Assim o Deus do Catolicismo é o único Deus verdadeiro. 8b “Jesus é sua encarnação, meu guia e meu pastor, mas Deus, o Pai, Abba, é a luz e o Criador”. Também é gravemente enganoso. Esse “mas” não sugere que Jesus não é o Criador? Será que Francisco crê que Jesus seja algo mais do que apenas um homem? 8c “Cada um tem sua própria ideia de bem e mal e deve escolher seguir o bem e lutar contra o que considera o mal”. Isso não só é absolutamente enganoso, mas é a negação de toda moralidade objetiva, a negação dos princípios da moralidade católica. É um convite a todos os homens para que ajam do jeito que quiserem. Vindo do homem que por todas as aparências é um Papa Católico, é pura insanidade.

O Papa Francisco pode alegar que ele está tentando chegar até o homem moderno, mas chegar até ele sem Deus é como pular num rio perigoso para ajudar um homem que se afoga sem uma corda presa à margem. Irá se afogar junto com ele. Sua Santidade, o senhor não está ajudando, mas se afogando!

Kyrie Eleison. 

quinta-feira, outubro 17, 2013

No Natal o Papa invocou o Grão-Rabino




 Apesar de o autor possuir algumas ideias que considero estranhas, publico aqui a tradução desse artigo que considero importante para demonstrar como os papas Conciliares favorecem o Judaísmo dentro da Igreja. Que os católicos abram os olhos para enxergar a tremenda crise de Fé que vivemos hoje.

***
O salário da moral de situação


Por Michael Hoffman
Traduzido por Andrea Patrícia


Em seu discurso de Natal 2012 para a cúria romana, o Papa Bento XVI invocou Gilles Bernheim, o Grão-Rabino da França, como um valente defensor dos valores da família. O papa declarou:

"O rabino-chefe da França, Gilles Bernheim, tem demonstrado em um estudo muito detalhado e profundamente comovente que o ataque à verdadeira estrutura da família que estamos experimentando atualmente, composta por pai, mãe e filho, é muito mais profundo. Embora até agora nós tenhamos considerado uma falsa compreensão da natureza da liberdade humana como uma das causas da crise da família, agora está se tornando claro que a própria noção de ser - do que realmente significa ser humano - está sendo posta em causa. Ele cita a famosa frase de Simone de Beauvoir: "não se nasce mulher, torna-se mulher" (On ne naît pas femme: on le devient). Estas palavras estabelecem as bases para o que se coloca hoje sob o termo "gênero" como uma nova filosofia da sexualidade. De acordo com esta filosofia, o sexo não é mais um dado elemento da natureza, que o homem tem de aceitar e compreender pessoalmente: é um papel social que nós escolhemos para nós mesmos, enquanto que, no passado, foi escolhido para nós pela sociedade".

Mas será que o Grão-Rabino e seu judaísmo talmúdico representam as verdades eternas às quais o papa deve finalmente apelar? Certamente que não! O Judaísmo é uma fonte de anulação e derrubada revolucionária da lei de Deus em favor do direito do homem e da moral de situação. O papa constrói sobre a areia quando se baseia nas palavras do Grão-Rabino Gilles Bernheim.

"Como a história talmúdica bem conhecida do forno de Akhnai ilustra, halacha – a lei religiosa judaica -não é feita no céu. Ela é criada por seres humanos. Esta liberdade quando se trata da lei não é meramente legal. Os rabinos anteriores desenvolveram um sistema ideológico e legal que lhes permitiu construir uma religião que se adaptaria a uma situação de mudança e assumirem um papel ativo em melhorá-la. Para todos os efeitos práticos, o discurso rabínico nos oferece uma leitura radical da própria ideia de "lei". A lei não apresenta uma situação objetiva que existe no mundo". - Ron Naiweld e Yaara Alon.

Observe os efeitos da moral de situação papal, que entrou na Igreja no alvorecer do Renascimento, com o nominalismo, a trapaça financeira dos Médici de Florença e seu papa da usura, Leão X [1]. A moral de situação, desde então, tem atormentado o papado. Observe a pobre estratégia do pontífice atual: ele imagina que ele está avançando com a causa da santidade do casamento por inteligentemente invocar um Grão-Rabino como seu aliado na luta, supostamente embotando desse modo a crítica da mídia e fazendo avançar a causa dos valores familiares.

A verdadeira Igreja Católica tal como existia há cerca de 1500 anos [2] anterior ao Renascimento teria condenado Bento XVI por utilizar um anticristo rabino para "defender" o casamento e a moralidade.

O grão-rabino da França acredita, de acordo com o seu Talmud Bavli, que Jesus Cristo era um idólatra e mágico que merecia a morte. Seu livro mais sagrado, o Talmud, declara Maria Mãe Santíssima de Cristo como uma prostituta. Nenhuma dessas abominações dissuade o Papa Bento XVI de declarar um grã-rabino como um defensor dos valores da família!

Jesus e Maria são dois terços do que era anteriormente conhecido na Cristandade como a "Sagrada Família" (São José, o pai adotivo de Jesus, sendo o terceiro). Como eles podem ser postos de lado - como eles são quando o papa elogia um representante de uma religião que os enlameia - em qualquer batalha pela família que Deus iria abençoar? Será que o Papa Bento imagina que Deus vai aprovar uma união alquímica do bem e do mal, na luta pelo bem? Ou será que Bento XVI não está buscando a bênção de Deus, mas do mundo?

Além disso, como um judeu ortodoxo e figura religiosa de alta autoridade, o Grão-Rabino Bernheim impõe as ímpias halachos de Niddah (leis rabínicas menstruais) às mulheres. Estas são derivadas não do Antigo Testamento, mas do Chazal (o corpo de situações éticas rabínicas). Os halachos de Niddah constituem uma das coleções mais opressivas e misóginas de regulamentos psicopatas para o comportamento humano na história da humanidade (veja p. 729-748 de Judaism Discovered). Como tal, os halachos de Niddah, em sua essência, são a corrupção dos valores da família.

O apóstolo Paulo ensinou: "Não vos prendais desigualmente no mesmo jugo com os incrédulos: pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial?" (II Cor. 6, 13-15).

Este papa é, na melhor das hipóteses, profundamente confuso. Se ele queria ser ecumênico, ele poderia ter encontrado um adversário articulado sobre a homossexualidade entre os principais imãs do Islã, mas ele não quis chamá-los porque citar as admoestações de clérigos muçulmanos não vai lhe fazer ganhar elogios nos meios de comunicação ocidentais. O que mais, se neste momento o Islã é visto como particularmente estranho à Cristandade, enquanto a mensagem dos meios de comunicação ocidentais e do Vaticano é que os adeptos do Talmudismo são nossos "irmãos mais velhos na fé"?

O papa pretende alcançar a meta de manter o casamento e a dignidade de homens e mulheres não através de confiança na graça de Deus, mas através do glamour e do prestígio de um talmúdico grão-rabino negador de Cristo, odiador de Maria, com quem o papa está desigualmente unido no jugo. Este cínico estratagema papal irá representar, na mente dupla daqueles que são perdedores perenes na guerra para a moralidade, uma grande vitória.

A união infernal da Igreja pós-renascentista da usura com a sinagoga do Talmud continua em ritmo acelerado.


Original aqui.
_____________________________
Notas da tradutora:
[1] Não sei o que ele quer dizer ao chamar Leão X de “papa da usura”.
[2] O autor acredita que no Renascimento aconteceu uma grande mudança na Igreja, um afastamento da Fé. Por isso ele fala sobre a “Igreja pós-renascentista da usura”.

Correção no Endereço Postal da Saint Marcel Initiative

Caros amigos,

            Infelizmente havia um erro no endereço da Saint Marcel Initiative publicado nos Comentários (326) da semana passada.
            O endereço CORRETO é 9051 Watson Rd., Suite 279, Crestwood, MO 63126, USA. (o errado mostrava 6051 como número da rua).

Pedimos desculpas pela confusão.


Os administradores do Dinoscopus

terça-feira, outubro 15, 2013

D. Lefebvre – um bispo na tormenta.


Recomendo a leitura desse texto de Bruno Luís Santana, D. Lefebvre – um bispo na tormenta.

Trechinho:

"Eu não deixo de acompanhar com certa alegria as ordenações sacerdotais em Écône e alhures, minha inclinação (ainda) é para a FSSPX, mas sei que – com todo o meu desânimo, ou apesar dos pesares – D. Williamson e seus padres refratários, cuja resistência em termos até mesmo numéricos cresce devagar e sempre, com uma gradual e lenta adesão de padres, leigos e religiosos – está com a razão. E devo segui-lo. É duro, é muito duro dizer isso, mas por amor à Igreja Católica Apostólica Romana, deve-se fazer um cordão de isolamento total contra o clero conciliar – a começar pelo papa, e por todos os outros contaminados pelo liberalismo católico – e rezar por eles. E não ter previsão para mudanças, aliás, não esperar nesta vida alguma alteração, a menos que haja uma visível e completa conversão do lado dos que sustentam a igreja conciliar.

É duro, não é? Mas se é para ter moleza, melhor desistir de ir para o Céu, porque está escrito que “O Reino de Deus sofre violência, e todo dia os violentos o arrebatam” (Mt. XI, 12)."

sábado, outubro 12, 2013

Comentários Eleison: Feliz Aniversário

Comentários Eleison – por Dom Williamson
CCCXXVI – (326) – (12 de outubro de 2013): 

FELIZ ANIVERSÁRIO

            Eu tenho novidades para todos os católicos que já entenderam o que fez Monsenhor Lefebvre. Uma casa com oito dormitórios está sendo comprada no sudeste da Inglaterra para servir como base de operações para quem quiser continuar seu trabalho fora da atual FSSPX. Durante um ano inteiro, desde a minha “exclusão” da FSSPX, eu tenho ficado quieto, ao menos fisicamente falando, observando e esperando para ver como as coisas iriam se desenvolver dentro da FSSPX; mas elas não vêm melhorando, infelizmente.

            E assim como o Monsenhor desejara que a Roma Conciliar trouxesse de volta o seu senso católico, de modo tal que não houvesse mais a necessidade de sua Fraternidade sustentar a Tradição; assim também alguém poderia estar agora a desejar que os presentes líderes da FSSPX trouxessem de volta o modo como o Monsenhor pensava sobre a Roma Conciliar, a ponto de a resistência ao seu conciliarismo virtual tornar-se desnecessária. Mas desejos não afastam a realidade, e essa realidade é que, assim como a Roma Conciliar está obstinada em sua apostasia, os líderes da FSSPX também não cessam de promover sua própria autoridade para fazerem o que eles bem querem com o legado do Monsenhor – ou seja, colocando a autoridade acima da verdade. É por isso que a construção se tornou uma necessidade para que se continue a servir à verdadeira Igreja.

            A casa está sendo comprada na Inglaterra por ser o único país do qual eu não posso ser expulso como estrangeiro. Está localizada no sudeste, com um clima relativamente suave para os padrões ingleses, em uma cidade não tão distante para quem pegar o rápido trem de Londres, e de fácil acesso por duas estações inglesas regularmente servidas pelo Eurostar de Paris e Bruxelas. É uma pitoresca cidade litorânea – amada por Charles Dickens, o mais famoso romancista da Inglaterra –, e deve ser um agradável lugar para os padres visitarem, relaxarem, falarem (com toda discrição), e se recomporem para o difícil apostolado dos dias de hoje. Mas irá custar mais ou menos 400.000 libras para comprá-lo, e seu funcionamento irá custar ainda mais do que meu atual estilo de vida frugal, no qual eu não tenho estado em necessidade e por isso dificilmente tenho feito alguma apelo. Que as pessoas que estão elas mesmas em necessidade não pensem em contribuir (veja II Cor 8, 12-13), mas que os investidores com investimentos frágeis pensem na transferência de fundos para suas contas bancárias completamente seguras no Céu antes do colapso do mercado de ações, e antes das notas de dinheiro se tornarem irreconhecíveis. Eu preciso conseguir um décimo da soma dentro de dois meses, e o restante logo em seguida.

* Pequenas contribuições em QUALQUER MOEDA por cartão de débito ou crédito de qualquer lugar do mundo podem facilmente chegar até nós via Paypal (Vá para  www.paypal.com/sendmoney e envie a contribuição para buildingfund@stmarcelinitiative.com.)
* Contribuições em libras esterlinas por cheque bancário ou cheque devem ser feitas e enviadas para St Marcel Initiative, P.O. Box 423, Deal CT 14 4BF, England.
* Cheque bancário ou cheque em DÓLARES AMERICANOS deve também ser feito para St Marcel Initiative e enviado para 9051 Watson Rd., Suite 279, Crestwood, MO 63126, USA (as contribuições nos EUA serão logo deduzidas).
* Em EUROS, os cheques devem ser feitos para “Institut Culturel St Benoît”, devendo ser enviados para ICSB, BP 60232, F78002 Versailles Cedex, France. Euros também podem ser enviados por transferência bancária de dentro da França para RIB - 20041 01012 6704 141J033 09; e de fora da França para a conta do International Bank de número (que deve ser suficiente) IBAN - FR85 2004 1010 1267 0414 1J03 309, com BIC – PSSTFRPPSCE.    
* Para transferência bancária de outro banco pedimos que, por favor, nos escreva para obter detalhes no seguinte endereço: buildingfund@dinoscopus.org, ou, nos EUA, use a conveniente forma “e-check/bank wire” em www.stmarcelinitiative.com.       

Mediante qualquer contribuição, por favor, marque “Fundo de Construção”. Agradeço desde já por toda e qualquer ajuda.


Kyrie Eleison