quinta-feira, dezembro 05, 2019

Catecismo de São Pio X comentado em áudio

0 comentários


Olha só que maravilha! Temos áudios do Padre Joaquim comentando o Catecismo de São Pio X. Gente, isso é um tesouro! Todos nós devemos estudar o Catecismo, aprender bem as verdades de nossa Fé. E este é um recurso muito bom, pois podemos ouvir enquanto fazemos as atividades diárias (cozinhar, limpar, passar roupas, etc.).

E se você aí não é católico, ouça do mesmo jeito. Vai aprender muita coisa boa, vai se instruir com pérolas de sabedoria.

Há no canal do Youtube uma playlist com todos os áudios organizados. Clique neste abaixo e vá até o canal para acessar o restante. Se não se inscreveu ainda, inscreva-se, pois precisamos apoiar tais canais para que cresçam e ajudem mais e mais pessoas.


terça-feira, dezembro 03, 2019

Salvação: você tem pensado nisso?

0 comentários



A coisa mais importante para cada um de nós neste mundo é cuidar da salvação da própria alma. Você aí tem pensado nisso? Quanto tempo você tem dedicado a pensar na vida eterna, a pensar no quê você está fazendo para ganhar a vida eterna no Céu? 

Quanto tempo você tem passado pensando em bobagens, jogando videogame, assistindo novelas, fofocando e brigando em redes sociais? Já pensou em usar este tempo tão valioso para cuidar da salvação de sua alma? Que tal usar seu tempo livre para buscar ler bons livros sobre o assunto, estudar o Catecismo de São Pio X, conversar com bons padres, ouvir áudios maravilhosos como este que disponibilizo abaixo? É uma boa ideia.

O dia de amanhã ninguém sabe, a Deus pertence. Pense que agora você ainda tem chances de se salvar, de se santificar. Amanhã pode ser que seja tarde demais. Pense nisso.

Ouça:

A Necessidade da Salvação - Dom Tomás de Aquino OSB:



Comentários Eleison: Ambos...E...

0 comentários
Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DCXLVI (646) - (30 de novembro de 2019)



AMBOS...E...


Para lutar numa guerra, devo-me guarnecer,
Com boas armas, e o meu inimigo conhecer.

Se se podem dividir os números destes “Comentários”, de um modo geral, entre os que tratam do problema moderno e os que tratam da solução católica, constata-se, infelizmente, que muitos leitores tenham estado interessados ​​no problema, mas não na solução; ou na solução, mas não no problema. Isto é de lamentar-se, porque se eu conhecer o problema sem a solução, posso ficar seriamente tentado a desesperar-me, especialmente nos tempos atuais, quando Deus está dando aos seus inimigos uma permissão sem precedentes para quase destruírem a Sua Igreja. Por outro lado, se o conhecimento da solução me leva a não identificar ou a subestimar o problema, então é provável que o problema me pegue de surpresa ao contornar minhas defesas inadequadas.

São Paulo foi um caso clássico de alguém que conhecia ambos, e que captou muito bem a solução do Novo Testamento, Jesus Cristo (Rom. VII, 24–25), simplesmente porque ele mesmo havia sido um fariseu fervoroso em conformidade com o desvio dos homens pecadores da época em relação ao Antigo Testamento (1 Cor. XV, 8-10). Assim, foi somente porque São Paulo experimentou diretamente a impotência do Antigo Testamento para perdoar o pecado que ele compreendeu tão profundamente a salvação que Cristo havia trazido aos homens pelo Novo Testamento. Outro grande convertido que se beneficiou dos muitos anos de erro para tornar-se um dos maiores servidores da verdade católica da Igreja foi Santo Agostinho. Eis o porquê de os franceses dizerem: "Um convertido vale mais do que dois Apóstolos".

E aqui está o motivo pelo qual os católicos de hoje não devem desprezar o conhecimento sobre os inimigos de Deus ou sobre como eles estão lutando contra Ele, por mais vil que seja essa luta. E os não católicos serão prudentes em não desprezar a Igreja Católica, porque, por mais oprimida que pareça estar, ainda tem as únicas soluções verdadeiras para qualquer um dos problemas reais do mundo, ou seja, propriamente humanos. Todos esses problemas são o fruto envenenado do pecado que se levanta contra Deus nas almas dos homens, onde somente Deus, e não os psiquiatras, pode penetrar com Seu perdão, que Ele escolhe conceder somente por meio de Seu divino Filho, e da Igreja comprada com Seu Sangue.

Assim, sugerimos aos leitores não católicos destes “Comentários” que se interessem não somente por suas análises das artes modernas ou da política, mas também por seus argumentos que podem parecer meras disputas entre católicos, como em relação ao que está errado com o Vaticano II, ou ao fato de a Fraternidade Sacerdotal São Pio X estar seguindo cada vez mais o Vaticano II. Isso ocorre porque a Igreja Católica pode muito bem ser a única solução verdadeira dos verdadeiros problemas de todos os leitores, mas essa solução é vulnerável à constante falsificação cometida por homens pecadores, e se ela for falsificada, não será mais a solução, mas parte do problema. Ora, o Vaticano II foi o clímax lógico de muitos séculos de homens que desejavam colocar o homem no lugar de Deus, e a Fraternidade Sacerdotal São Pio X, ainda que tenha sido projetada e fundada em 1970 para resistir aos erros do Vaticano II, particularmente desde 2012 caiu sob o mesmo encanto venenoso desses erros. Portanto, os não católicos que buscam soluções reais para os problemas modernos que conhecem muito bem devem seguir os argumentos sobre o Vaticano II e a Fraternidade.

Da mesma forma, aos leitores católicos destes "Comentários" sugere-se que sigam não apenas seus argumentos relativos ao Vaticano II e ao perigoso deslizamento da Fraternidade até a conformidade com o mundo moderno, mas também suas análises aprofundadas do que há de errado com este mundo. Pois, em verdade, se os líderes da Fraternidade estão deslizando dessa maneira, não é porque subestimaram o problema deste mundo? Por estarem travando uma guerra sem conhecer o inimigo, eles não estão caminhando diretamente para a derrota? Enquanto o Arcebispo Lefebvre disse uma vez que todo o Vaticano II está cheio de subjetivismo, o Bispo Fellay não disse uma vez que 95% dos textos do mesmo Vaticano II são aceitáveis? E enquanto o Arcebispo costumava dizer, de várias maneiras, que alguém precisa de uma colher longa para cear com os romanos conciliadores de hoje, não está o sucessor do Bispo Fellay seguindo o exemplo deste último de comportar-se como se ele achasse que poderia ser mais esperto que os demônios romanos? A verdadeira força do Arcebispo nunca foi sua astúcia, mas sempre foi sua fé e sua fidelidade à verdade católica. E o mesmo se aplica à Fraternidade que ele fundou. Então, que os leitores católicos destes "Comentários" não pensem que não precisam considerar as análises dos Comentários sobre a corrupção moderna, por mais desagradável que lhes possam parecer. Enterrar a cabeça na areia pode-lhes custar caro.

Kyrie eleison.

sábado, novembro 30, 2019

Cura d'Ars sobre o Purgatório

0 comentários




Preparação: Uma Ave Maria em honra de Nossa Senhora do Carmo e em alívio das Benditas Almas.

"Eu não quero parar neste estágio para provar a existência do Purgatório, pois isso seria uma perda de tempo. Espero que nenhum de vocês tenha a menor dúvida a este respeito. A Igreja, à qual Jesus Cristo prometeu a guia do Espírito Santo e a qual, conseqüentemente, não pode se enganar nem nos enganar, ensina-nos sobre o Purgatório de um modo bem claro e positivo. Isto é uma certeza mais que certa, de que lá é um lugar onde as almas dos justos completam a expiação por seus pecados, antes de serem finalmente admitidas na glória do Paraíso, o qual, diga-se de passagem, já está assegurado a elas.

Sim meus caros irmãos, isto é um artigo de Fé: se nós não tivermos feito penitência proporcional à gravidade de nossos pecados, ainda que tenhamos sido absolvidos no Sagrado Tribunal da Confissão, nós seremos obrigados a expiar por eles.

Nas Sagradas Escrituras há muitos textos que mostram claramente, que embora nossos pecados possam ser perdoados, Deus ainda impõe-nos a obrigação de sofrer neste mundo duros trabalhos temporais ou no próximo através das chamas do Purgatório.
.
Veja o que aconteceu com Adão. Porque ele se arrependeu logo depois de ter cometido o pecado original, Deus garantiu a ele que o havia perdoado, mas ainda assim Ele o condenou a passar nove séculos sobre esta terra fazendo penitência. Penitências que ultrapassam qualquer coisa que possamos imaginar:..."maldita seja a terra por tua causa. Tirarás dela com trabalhos penosos o teu sustento todos os dias de sua vida. Ela te produzirá espinhos e tu comerás a erva da terra. Comerás o teu pão com o suor do teu rosto, até que voltes à terra de que fostes tirado; porque és pó, e em pó te hás de tornar..." (Gênesis 3, 17).

Veja novamente: Davi ordenou, contrariando a vontade de Deus, que se fizesse o recenseamento de Israel. Atingido pelo remorso de consciência, ele reconheceu o seu pecado, atirou-se ao chão suplicando ao Senhor que o perdoasse. Conseqüentemente, Deus tocado pelo seu arrependimento, o perdoou. Mas apesar disso, ele enviou Gad para dizer a Davi que ele teria que escolher entre 3 tipos de punições que Ele havia preparado para Davi reparar pelo seu pecado: a peste,a fome ou a guerra. Davi então respondeu: "Ah! Caia eu nas mãos do Senhor, porque imensa é a sua misericórdia; mas que eu não caia nas mãos do homem..." (I Crônicas 21).

Ele escolheu a peste e esta durou apenas 3 dias, mas matou 7 mil pessoas de seu povo. Se o Senhor não tivesse detido a mão do Anjo que estava estendida sobre Israel, Jerusalém inteira teria ficado despovoada! Davi ao ver todo o mal causado pelo seu pecado, implorou a graça de Deus pedindo que Deus punisse apenas ele mesmo, mas que poupasse o seu povo que era inocente. Vejam também as penitências de Santa Maria Madalena! Quem sabe não sirvam para amolecer um pouco seus corações?

Meus caros irmãos, o que serão então, o número de anos que nós teremos que sofrer no Purgatório, nós que cometemos tantos pecados e que sob o pretexto de já o termos confessado, não fazemos penitências e nem choramos por eles? Quantos anos de sofrimento nos esperam na próxima vida?"
.
São João Maria Vianney

terça-feira, novembro 26, 2019

Amas a Deus? Vê se passas este teste

0 comentários



Amar a Deus de todo o coração é nada amar tanto como Deus, nada amar senão com os olhos em Deus por Deus; é estar habitualmente disposto a fazer e tudo sofrer para agradar a Deus; é não ter no coração inclinação senão para o que conduz a Deus, aversão senão pelo que desvia de Deus.

Amar a Deus com toda a alma é estar pronto a dar a vida por Deus, a tudo perder antes que perder a graça de Deus; é desterrar da alma todas as impressões que possam desagradar a Deus ou impedir a união íntima com Ele.

Amar a Deus com todas as forças é não nos pouparmos a trabalhos nem sofrimentos para buscar a glória de Deus; é consagrar-lhe o nosso tempo, os nossos talentos o nosso corpo, a nossa saúde, o nosso repouso, toda energia da nossa alma e todo o vigor do nosso corpo.

Amar a Deus com todo o nosso espírito é aplicarmo-nos constantemente a conhecer cada vez melhor as infinitas perfeições de Deus, a vontade e o beneplácito de Deus; é não estudar as ciências profanas senão para nos tornarmos mais úteis ao serviço de Deus.

Vejamos, segundo estes dados, qual o grau de ama que já atingimos.

Pe. Bruno Vercruysse, S.J. in 'Meditações práticas para todos os dias do ano'

segunda-feira, novembro 25, 2019

Comentários Eleison: O Mundo Deslizando

0 comentários
Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DCXLV (64) - (23 de novembro de 2019)




O MUNDO DESLIZANDO


Todas as árvores da Amazônia batendo palmas – seria possível isto concretizar-se?
Esperem, e verão o quão facilmente Deus pode fazê-lo realizar-se!


Não é somente a Fraternidade Sacerdotal São Pio X que está deslizando, é um mundo inteiro que desliza, dentro das almas dos homens. E assim como “não se pode fazer bolsas de seda com orelhas de porcos” e “não se pode fazer tijolos sem palha”, é impossível esperar que as instituições de ontem não sejam esvaziadas pelos seres humanos de hoje, como tantos balões colapsados dos quais o ar foi expelido. Eis a interessante resposta de alguém que ainda pensa, quando lhe perguntaram o que via, em relação ao futuro, para a "Resistência", para a FSSPX, para a Igreja e para o mundo:

Quanto à “Resistência”, não haverá grande aumento no número, nem uma grande colheita de almas, porque o material adequado simplesmente não existe. Como é possível fazer algo católico em pessoas que têm pouca ou nenhuma ideia do que é verdadeiro e do que é falso, do que é certo e do que é errado, daquilo ao que realmente é necessário resistir? A verdade e o certo foram minados, e mais e mais pessoas têm deixado de acreditar que são importantes, tanto porque o homem é um animal social que toma seu colorido daqueles que o rodeiam e que hoje desistiram massivamente da verdade e do certo, como porque a vida é muito menos exigente se a verdade e o certo são insignificantes. Então eu posso seguir o fluxo, e não há nada a que eu ainda precise resistir.

Quanto à FSSPX, se o Bispo Fellay é temeroso, seu medo se estenderá para o resto da Fraternidade, e de lá para o resto da Igreja, na medida em que a Fraternidade do Arcebispo foi em seu apogeu a rigidez da espinha dorsal da Igreja. Sem essa rigidez prevalecerá um conciliarismo suave, com um Missal híbrido que mistura a Missa Tridentina com a Missa Nova, com uma “hermenêutica de continuidade” que mistura a doutrina católica com o Vaticano II, com sacerdotes e ritos duvidosos, que possibilitam uma retomada ilusória da década de 1950. E assim a Igreja terminará sem ninguém que diga a Verdade, e a “luz do mundo” emitirá apenas um brilho tênue e opcional, e o “sal da terra” será impotente para impedir a corrupção universal.

O mundo, consequentemente, estará cada vez mais degenerado, tornar-se-á cada vez mais artificial, porque a Igreja era a protetora sobrenatural, pela graça, nas almas dos homens, de tudo o que era natural na criação de Deus. E, nesta Nova Ordem Mundial, até mesmo os restos da verdadeira Igreja continuarão sendo perseguidos pela intimidação passivo-agressiva de hoje. Sob uma aparência de tolerância passiva, a realidade é a de uma pressão implacável para conformar-se: "É melhor você ser 'politicamente correto', como todo mundo, ou faremos de você um pária". A essa pressão externa corresponde uma misteriosa fraqueza da mente moderna que não pode apegar-se a nenhuma verdade. O diabo, então, entra no nível natural e desvia a mente para a esquerda, para longe de Deus, fazendo com que os católicos duvidem de si mesmos: “Quem sou eu para dizer que o Arcebispo Lefebvre estava certo? Seus inimigos eram realmente maus? Quem sou eu para julgar?”. E nesse estado de espírito, é fácil trair...

Foi o Concílio dos anos 60 que desatou a confusão nos anos 70, e teve mais meio século para espalhar-se desde então, com a FSSPX trabalhando secretamente para o inimigo nos últimos 20 anos...”.

Essa visão do futuro é sombria, mas é uma previsão realista no nível meramente humano. Felizmente, Deus é Deus, Ele realmente existe, e Seus pensamentos não são os nossos pensamentos, nem os nossos caminhos são os Seus caminhos, “Porque, quanto os céus estão elevados acima da terra, assim se acham elevados os meus caminhos acima dos vossos caminhos, e os meus pensamentos acima dos vossos pensamentos” (Isaías LV, 8-9 [tradução da Vulgata pelo Pe. Matos Soares]). Tampouco este Deus se frustrará com as maquinações dos homens: “assim será a minha palavra, que sair da minha boca; não tornará para mim vazia, mas fará tudo o que eu quero, e produzirá os efeitos para os quais a enviei. Portanto, vós saireis com alegria, e sereis conduzidos em paz; os montes e os outeiros cantarão diante de vós cânticos de louvor, e todas as árvores do país baterão palmas. Em lugar do espigue subirá a faia, e em vez da urtiga crescerá a murta; e o Senhor será nomeado como um sinal eterno, que não será tirado” (Is. LV, 11–13 [tradução da Vulgata pelo Pe. Matos Soares]).

Kyrie eleison.

quinta-feira, novembro 21, 2019

Exercícios Espirituais (resumidos e adaptados) de Santo Inácio de Loyola. Ouça!!!

0 comentários

Que maravilhoso poder ouvir tais palestras! Aproveite, meu irmão, minha irmã! Aproveite você também que está na vida de pecado, longe de Deus, ouça e mude sua vida. A hora é agora, AMANHÃ PODE SER TARDE DEMAIS!

Palestras simples, com mensagens profundíssimas, mas fáceis de compreender. Todas pelo Padre Joaquim, do Mosteiro de Nossa Senhora da Fé e Rosário.

Ouça agora, reflita, reze e viva uma nova vida!

Em quatro partes:






terça-feira, novembro 19, 2019

Oração a São Judas Tadeu: já me ajudou muito!

0 comentários



São Judas Tadeu já me ajudou mais de uma vez, e por isso venho aqui deixar a oração para ser feita a este grande santo. Para causas urgentes, difíceis, desesperadas. Veja também o vídeo mais abaixo, se achar melhor.


Oração a São Judas Tadeu


“São Judas, glorioso Apóstolo, fiel servo e amigo de Jesus, o nome do traidor foi causa de que fosseis esquecido por muitos, mas a Igreja vos honra e invoca universalmente como o patrono nos casos desesperados, nos negócios sem remédio.
Rogai por mim, que sou tão miserável. Fazei uso, eu vos peço, desse particular privilégio que vos foi concedido, de trazer visível e imediato auxílio, onde o socorro desapareceu quase por completo.
Assisti-me nesta grande necessidade, para que possa receber as consolações e o auxílio do Céu em todas as minhas precisões, atribulações e sofrimentos, alcançando-me a graça de … (aqui faz se o pedido particular), e para que eu possa louvar a Deus convosco e com todos os eleitos, por toda a eternidade.
Eu vos prometo, ó bendito São Judas, lembrar-me sempre deste grande favor, e nunca deixar de vos honrar, como meu especial e poderoso patrono, e fazer tudo o que estiver a meu alcance para incentivar a devoção para convosco.
Amém.
São Judas, rogai por nós e por todos que vos honram e invocam o vosso auxílio”.
Por fim pode rezar, 3 Pai-Nossos, 3 Ave-Marias e 3 Glória ao Pai.



domingo, novembro 17, 2019

Comentários Eleison: Deslizamento Comentado

0 comentários
Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DCXLIV (644) - (16 de novembro de 2019)




DESLIZAMENTO COMENTADO


A Fraternidade está seguindo o mundo.
Seu curso fatal é cada vez mais evidente.

Dois leitores dos dois últimos números destes “Comentários” (642 e 643, de 2 e 9 de novembro) fizeram observações úteis sobre o estado da Fraternidade Sacerdotal São Pio X. A primeira delas foi que a Neofraternidade parece estar querendo colocar todos os tradicionalistas, dentro ou fora dela, sob sua autoridade única, e a segunda foi que as “discussões doutrinárias” entre Roma e a FSSPX serão reabertas em Roma tendo o Bispo Fellay como líder dos representantes da FSSPX. O primeiro observador comenta as constantes táticas da Revolução, e o segundo comenta sobre o destino que ameaça Don Pagliarani. Aqui está o que diz primeiro observador:

Essas duas notícias são muito ruins. Mesmo que eu pessoalmente não sinta mais falta da FSSPX, dói-me vê-la em um estado de completa rendição à Roma apóstata. Cada vez que a Revolução na Igreja dá um passo importante que pode ocasionar resistência por parte dos católicos, a Fraternidade sempre tem à sua disposição de antemão – sempre – uma posição alternativa, um beco sem saída para o qual dirige aqueles que estavam resistindo, tornando-os ineficientes. Receio que a FSSPX esteja sendo preparada por Roma para acolher todos os católicos que resistem ao apóstata Bergoglio, a fim de guiá-los na direção de Roma. É bastante fácil prever que é isso o que eles estão fazendo. Como sempre, a única arma que temos em mãos é o Rosário, para obter a Consagração da Rússia. Que Deus tenha misericórdia de nós!

Esses comentários não são "teoria da conspiração" nem "fake news". Os enganadores da Igreja e do mundo moderno, a quem Deus está concedendo atualmente um grande poder para castigá-lo pela apostasia, não são pessoas honestas que podem dar-se ao luxo de operar abertamente. Com demasiada frequência são verdadeiros inimigos de Deus, revolucionários desonestos que precisam conspirar e enganar para disfarçar o que estão fazendo. Por isso, sempre que os católicos – que são não somente simples como as pombas, mas também prudentes como as serpentes (cf. Mt. X, 16) – denunciam as artimanhas desses revolucionários, estes os acusam de serem, por exemplo, "teóricos da conspiração", o que é ainda mais enganoso, porque a acusação costuma ser verdadeira.

Por exemplo, nesse caso, quando em 1988 o Arcebispo Lefebvre estava prestes a acertar um grande golpe nos liberais ao consagrar quatro Bispos (então) fiéis para garantir que a Fraternidade sobreviveria para defender a verdadeira fé, a Roma liberal havia preparado a Fraternidade Sacerdotal de São Pedro para receber e neutralizar todos os sacerdotes da FSSPX que se opunham a essas Consagrações episcopais. Da mesma forma, quando esse observador acima sugere que em 2019 Roma está transformando a FSSPX em um refúgio para todos os católicos que se opõem ao Papa Francisco, a fim de colocar toda a sua oposição sob o controle de Roma, é muito provável que isso esteja longe de ser uma "fake news". É típico dos inimigos de Deus cometer exatamente os mesmos ardis dos quais eles acusam aqueles que os denunciam.

Quanto ao segundo observador, ele sugere que Don Pagliarani pode ser menos culpável do que o Bispo Fellay por julgar mal as intenções de Roma, mas se ele continuar a agir tal como o seu predecessor à frente da Fraternidade, é ele, Don Pagliarani, quem assumirá a responsabilidade por paralisar a defesa da Fé da Fraternidade. Tampouco se pode ser indulgente com ele indefinidamente, porque ele deve ser cada vez menos inocente se, e na medida em que, continua a agir como o Bispo Fellay. Aqui estão os comentários do segundo observador:

A notícia de que a renovação das discussões doutrinárias entre Roma e a FSSPX está sendo dirigida em Roma para a FSSPX pelo Bispo Fellay, projeta uma sombra obscura sobre seu sucessor que o escolheu para isso, Don Pagliarani. Mesmo admitindo que este último não seja tão favorável a um acordo como o é o Bispo Fellay, parece que ele está preso na mesma maneira de pensar de seu predecessor. Portanto, ou ele se liberta desse estado ou está destinado a ser marcado como aquele que sepultou a Fraternidade. Que Deus não o permita! Rezarei por ele e pela Fraternidade,  e me dirigirei para a Mãe de Deus, para que abras os olhos dele e ilumine seus dois Assistentes.

Reparem como os dois observadores veem na oração a única solução. Humanamente falando, a Fraternidade está essencialmente, ainda que não completamente, paralisada. Ao optar por juntar-se à Igreja Conciliar, ela compartilhará o destino desta.

Kyrie eleison.

quinta-feira, novembro 14, 2019

Saúde: dois canais do Youtube

0 comentários


Alguns canais com informações boas sobre saúde. Deixo claro que indico somente o que eles dizem sobre saúde física (e ainda posso discordar de algumas de suas ideias sobre saúde), não sobre política, religião ou outros assuntos.

Dr. Marco Menelau:


Dr. Peter Liu:

terça-feira, novembro 12, 2019

Comentários Eleison: Ainda Deslizando - II

0 comentários
Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DCXLIII (643) - (9 de novembro de 2019)



AINDA DESLIZANDO – II


Quem deu a vara para Roma golpear-nos?
Como devem rir do modo como podem tratar-nos!

Caso os leitores pensem que a conversa relatada aqui na semana passada, que ocorreu em setembro entre Dom Placide de Bellaigue, na França, e as autoridades da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, na Suíça, é insuficiente para provar que a Fraternidade continua afastando-se da defesa da verdadeira Fé, eis outra informação que nos leva à mesma conclusão: mais ou menos na mesma época em que o Superior Geral da Fraternidade (SG) deu sua entrevista reconfortante de 12 de setembro, ele presidiu a nomeação de uma Comissão de três pessoas para irem a Roma retomar aquelas discussões teológicas com os romanos conciliares que ocorreram de 2009 a 2011 sem resultado. E quais foram os três representantes da Fraternidade escolhidos para as discussões? Ninguém menos que o Bispo Fellay e os padres Pfluger e Nély, o triunvirato da Fraternidade que governou entre 2006 e 2018, quando então todos os três foram destituídos do cargo no Capítulo Geral eletivo de julho! E novamente se faz necessário um pouco de contexto.

No Capítulo Geral eletivo anterior de 2006, os 40 principais sacerdotes da Fraternidade se mantiveram fiéis, menos fiéis do que em 1994 (como admitiu uma vez o Bispo Fellay), mas ainda assim fiéis ao princípio de bom senso católico do Arcebispo Lefebvre, segundo o qual, no choque entre a Fraternidade e Roma, estavam em jogo questões tão importantes de Fé que nenhum acordo meramente prático, sem um acordo doutrinário, poderia resolver. Ora, em 2006, o Bispo Fellay já havia deixado de levar a doutrina a sério havia algum tempo. Para ele, como para o Papa Bento XVI, para todos os modernistas e para a massa dos habitantes do mundo de hoje, a verdade de Deus é menos importante do que a unidade dos homens; mas ele sabia que dentro da Fraternidade muitos membros ainda continuavam seguindo o Arcebispo em seu respeito pela verdade de Deus, e, por isso, o SG continuou a pedir ao Papa Bento XVI que mantivesse as discussões doutrinárias a fim de que a Fraternidade e Roma pudessem unir-se.

O pedido era intrinsecamente insensato desde o início, porque as doutrinas da Tradição Católica e do Vaticano II não podem mais ser unidas do que o são as doutrinas de 2 + 2 = 4 e 2 + 2 = 5. Mas tanto o Papa como o SG aparentemente esperavam que os dois lados pudessem contentar-se com 2 + 2 = quatro e meio, porque, para os dois, a união era mais valiosa do que a verdade. E assim, ocorreram “discussões doutrinárias” entre quatro representantes de cada lado, de 2009 a 2011. No entanto, em 2009 o Bispo Fellay ainda teve de nomear quatro representantes da Fraternidade que levavam a sério a verdade católica, enquanto os romanos se mantiveram inflexíveis em seu apego às antiverdades do Vaticano II, de modo que as discussões não chegaram a lugar nenhum. A unidade não pôde, então, prevalecer sobre a Verdade.

Mas no Capítulo Geral interino (não eletivo) de 2012 da Fraternidade, a opinião havia mudado entre os 40 principais sacerdotes da Fraternidade, de modo que o princípio de doutrina do Arcebispo foi abandonado primeiramente, e a Fraternidade aceitou oficialmente que a unidade deveria vir em primeiro lugar. No entanto, surgiu imediatamente um forte movimento de resistência de sacerdotes da Fraternidade, ameaçando a unidade desta. E assim, quando no Capítulo eletivo de 2018 os 40 sacerdotes ainda amavam a Verdade o suficiente para votarem para que o Bispo Fellay e seus dois assistentes saíssem do cargo, o novo SG adotou posteriormente a ideia das discussões doutrinárias com os romanos conciliares, uma ideia intrinsecamente insensata, mas sempre tão atraente quanto ter um bolo e poder deliciar-se com ele. Ele desceu para Roma, e tanto os romanos como o SG ainda deviam estar sonhando com quatro e meio, de modo que parece que as "discussões doutrinárias" estão de volta à mesa.

Mas enquanto em 2009 o Bispo Fellay teve de escolher os defensores da Verdade para representarem a Fraternidade, agora o novo SG parece ter escolhido os três oficiais da Fraternidade que presidiram o Capítulo de 2012 que colocou a unidade antes da Verdade! Então, quem está enganando quem? Se o novo SG está enganando-se a si mesmo em relação a achar que uma unidade não doutrinária é possível, ai da Fraternidade, agora e no futuro próximo! Se ele não está enganando-se a si mesmo, ele está agindo sob pressão de Roma, de Menzingen fellayzado ou de ambos? Dá no mesmo, porque o Bispo Fellay fez tudo o que pôde para colocar Menzingen e a Fraternidade sob o poder de Roma. É Roma, portanto, quem está tomando as decisões e esfregando o nariz da Fraternidade em sua própria sujeira. Honorável Pe. Pagliarani, se o senhor não gosta da ideia de ser responsável por essa sujeira, a coisa honrosa que pode fazer é renunciar!

Kyrie eleison.

[Depopulação Mundial] Além das Vacinas, Bill Gates Investe em Carne Sintética para os Consumidores

0 comentários

Mais uma vez queridos leitores, cuidado com a propaganda pelo vegetarianismo e veganismo! Tudo isso é agenda da elite globalista, para controlar a população. Leiam, informem-se, e principalmente rezem! 




Não há dúvida de que, em todo o mundo, com exceção de países com motivos religiosos de abstenção, as pessoas adoram comer carne. Seja um bife delicioso no churrasco ou o frango assado da sua mãe, a maioria de nós associamos bons momentos e lembranças familiares com carne de algum tipo. Com o ritmo agitado em que a tecnologia está se movimentando, no entanto, mesmo a simples alegria de desfrutar de carne no jantar pode ser uma coisa do passado - a menos que você esteja disposto a comer carne sintética. É isso mesmo: todos nós podemos ser forçados a comer hambúrgueres de laboratório e frangos de tubo de ensaio, se uma empresa chamada Memphis Meats conseguir o que pretende.





O site Daily Mail do Reino Unido informou recentemente que a Memphis Meats - a qual produz frango e carne bovina em tubos de ensaio - se aproximou consideravelmente do seu objetivo de produzir carne sintética, depois de receber financiamento de vários grandes figurões, incluindo Richard Branson da Cargill - uma das maiores empresas agrícolas do mundo - e o cara envolvido em todos os negócios: Bill Gates.


É o próprio Bill Gates que disse em uma conferência TED 2010: "O mundo hoje tem 6.8 bilhões de pessoas... e se dirige para cerca de 9 bilhões. Agora, se fizermos um excelente trabalho em novas vacinas, cuidados de saúde e serviços de saúde reprodutiva, poderemos diminuir isso para talvez 10 ou 15%."



Independentemente de questões éticas ou outras relacionadas à carne sintética, seria sábio pensar duas vezes em comer "carne" financiada por um cara que acredita que as vacinas devem ser usadas para reduzir a população mundial.



Coletivamente, a empresa de capital de risco DFJ obteve US$ 17 milhões em capital de investimento da Memphis Meats de Gates e outros membros da elite rica.






Embora todo o conceito de carne cultivada em um tubo de ensaio usando "soro fetal bovino de sangue de bezerros" soa francamente nojento, Memphis está chamando suas novas ofertas de jantar de "carne limpa" e espera fornecer hambúrgueres, cachorros-quentes, salsichas e almôndegas falsos para os consumidores nos próximos dois anos.



A empresa já criou com sucesso uma almondega usando essa tecnologia, e a revelou ao público em fevereiro de 2016.



Os "filantropos" envolvidos parecem encantados com o seu investimento.


Richard Branson disse ao site Bloomberg: "Estou emocionado por ter investido na Memphis Meats. Eu acredito que em 30 anos ou mais não precisaremos mais matar nenhum animal e que toda a carne estará limpa ou baseada em vegetais, terá o mesmo sabor e também será muito mais saudável para todos".


O líder do grupo Cargill Protein, Brian Sikes, concordou com orgulho, dizendo: "Na Cargill, reconhecemos que a carne é uma parte central das dietas do consumidor e central para muitas culturas e tradições. Acreditamos que os consumidores continuarão a escolher a carne como uma fonte de proteína, e é por isso que estamos focados em trazê-la à sua mesa de forma sustentável e econômica o quanto pudermos. Nossas proteínas tradicionais, bem como novas inovações como carnes cultivadas, são ambas necessárias para atender a essa demanda".




A Memphis afirma que sua nova técnica produzirá 90 por cento menos emissões de gases de efeito estufa (o que certamente delicia a histeria do aquecimento global). O único benefício definido que tal "carne" teria é que eles afirmam que não será cheia de antibióticos.É de se perguntar, no entanto, se a bombearem com hormônios de crescimento para acelerar a produção para uma população global de bilhões de pessoas.



Claro, os amantes dos animais ficarão encantados com o fato de os animais não terem mais que ser abatidos, mas a questão ardente ainda permanece: o que dizer dos pobres bovinos necessários para o soro fetal bovino?



E como um mundo sem carne deixaria todos os criadores de gado? Como eles se ajustarão?



Finalmente, com a carne feita em tubos de ensaio, não será ainda mais fácil para os poderes colocar todos os tipos de coisas em nosso abastecimento de alimentos?

sexta-feira, novembro 08, 2019

Campanha de Catecismos

0 comentários


Caros, a Editora Caritatem está fazendo uma bela campanha com os Catecismos do Monsenhor Álvaro Negromonte. As capas dos catecismos estão um primor, belíssimas! O trabalho deles está muito bonito, e eles estão fazendo promoção com frete grátis! Vale a pena participar e adquirir os catecismos. Clique aqui para obter informações.

quinta-feira, novembro 07, 2019

Palavras incríveis!

0 comentários


Você quer um apoio para melhorar sua vida espiritual? Quer um empurrãozinho para começar a ter efetivamente uma vida espiritual? Então ouça estes sermões maravilhosos, homilias para os dias de hoje. Saia de sua zona de conforto! Acesse e ouça:



quarta-feira, novembro 06, 2019

A Psicologia à Luz do Tomismo

0 comentários


Pensa que Santo Tomás não conhecia o inconsciente? Sim, conhecia! Ele foi um grande psicólogo. Assista a esta aula maravilhosa do professor Carlos Nougué e entenda:



terça-feira, novembro 05, 2019

Comentários Eleison: Ainda Deslizando - I

0 comentários
Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DCXLII (642) - (2 de novembro de 2019)


AINDA DESLIZANDO – I


“Apagamos Lefebvre. Morreremos satisfeitos.”
Esses líderes não são do céu, estão inclinados ao inferno!

Há sinais que podem dar esperança de que a Fraternidade Sacerdotal São Pio X oficial já não estaria mais deslizando para ficar sob o poder e o controle dos clérigos conciliares em Roma, mas esses sinais são esmagados pelas evidências que apontam para o contrário. Por exemplo, no dia 12 de setembro, o novo Superior Geral (SG) que foi eleito para substituir D. Fellay em julho do ano passado, o Pe. Davide Pagliarani, tornou pública uma entrevista na qual ele dizia muitas coisas boas, o suficiente para que ao menos um dos leitores destes “Comentários” se alegrasse com a ideia de o deslizamento da Fraternidade estar sendo revertido. Infelizmente, um informe recente da sede da Fraternidade na Suíça nos faz temer que o Pe. Pagliarani esteja recebendo instruções para dizer coisas bastante conservadoras com o fim de enganar todos os tradicionalistas que não estão observando suas ações. Seguem abaixo os antecedentes e o informe.

A Tradição Católica possui casas na França de três ordens excepcionais de monges e frades do passado da Igreja: os Beneditinos em Bellaigue, os Dominicanos em Avrillé, os Franciscanos em Morgon. As três foram encorajadas e ajudadas desde sua fundação pelo Arcebispo Lefebvre, mas ele nunca reivindicou autoridade sobre nenhuma delas; na verdade, ele recusou-se positivamente a fazê-lo, porque não via que a Fraternidade tivesse a missão de monopolizar a Tradição ou de controlar todas as iniciativas tradicionais. Desde a sua fundação, todas as três casas independentes floresceram, relativamente falando, e, em 2019, como é normal para monges e frades, as três exercem uma influência especial sobre tradicionalistas de todo o mundo.

No entanto, com a grande mudança de direção da Fraternidade que se tornou pública em 2012, as relações dessas casas com a Fraternidade tornaram-se problemáticas, porque seus líderes naturalmente queriam que esses religiosos influentes também mudassem de direção. Há alguns anos, a FSSPX rompeu relações com os Dominicanos de Avrillé, que foram considerados independentes demais, enquanto os Franciscanos precisaram, durante o mesmo período de tempo, adotar uma política cuidadosamente equilibrada entre cooperação e independência. E, quanto aos Beneditinos, seu jovem Superior do Brasil, Dom Placide, sofreu uma pressão especial no último mês de agosto por parte da Fraternidade.
Chamado a comparecer em Menzingen pelo Pe. Pagliarani, ele foi repreendido por sua falta de cooperação com a Fraternidade, e diante dele colocou-se uma folha de papel para que assinasse, a fim de que todo o controle sobre o Mosteiro Beneditino fosse cedido à Fraternidade! Quando – para dizê-lo de forma educada – ele recusou a oferta, ele foi ameaçado de que se diria a todo mundo que a FSSPX estava cortando todas as relações com o Mosteiro. Dom Placide respondeu que cabia ao SG fazer o que julgasse melhor, e a ameaça mudou. Agora a ameaça era a de que todos os priorados da Fraternidade receberiam ordens para não enviarem mais vocações para Bellaigue. E essa ameaça foi cumprida. Dom Placide recusou a oferta de ficar e almoçar em Menzingen.

Temos o direito de especular sobre essa conversa. Se queremos manter nossas esperanças no Pe. Pagliarani pessoalmente, podemos especular que ele próprio foi instruído a usar essas táticas de intimidação contra o relativamente jovem chefe dos Beneditinos. Mas ele não pode evitar a responsabilidade de, pelo menos, consentir em desempenhar o papel do agressor. O que é mais grave ainda é que as táticas de intimidação sugerem que Roma e Menzingen estão conspirando em conjunto para varrerem juntos sob a Fraternidade todos os grupos tradicionais atualmente independentes, e, em seguida, reestruturarem a Fraternidade e substituírem-na por uma Prelatura Pessoal sob o controle total de Roma. Isso teria duas vantagens para a guerra de Roma contra a Tradição: em primeiro lugar, a independência e as últimas marcas do Arcebispo Lefebvre na estrutura da Fraternidade que ele projetou, desapareceriam; em segundo lugar, Roma poderia então estrangular suavemente, juntamente com a Fraternidade, todos os grupos e iniciativas tradicionais de um só golpe. Os atuais líderes da Fraternidade também não desaprovariam esse golpe, pelo contrário, porque, quando morressem gentilmente por estrangulamento, teriam pelo menos o reconhecimento oficial pelo qual lutaram por tanto tempo.

Assim agem os enganadores da Fraternidade. Mas, e seus seguidores, sacerdotes e leigos?


Kyrie Eleison


A chance é AGORA!

0 comentários


Meu querido leitor, minha querida leitora, não deixe para amanhã o trabalho da conversão. O inferno está logo ali, cada passo que você dá vivendo essa vida de pecado, sem se converter, sem se confessar, sem se arrepender, é um perigo mortal para você!

Não brinque com a sorte de sua alma, não feche os olhos, não tape os ouvidos, ouça, entenda, busque agora a conversão. Antes que seja tarde demais. No inferno você não terá uma segunda chance. Todas as chances estão aqui e agora enquanto você vive na Terra.

Deixe de lado as loucuras do espiritismo, do espiritualismo, do ocultismo, do budismo, do protestantismo, do niilismo, do agnosticismo, do ateísmo, e tantas outras loucuras que levam à perdição eterna.

Amanhã poderá ser tarde demais. As portas do inferno estão fechadas por dentro, porque quem morre assim está obstinado no mal, não quer mudar, não quer fazer diferente. A chance de mudar é aqui na Terra, é AGORA!

Peça a Deus iluminação, peça a Ele para mostrar a Verdade a você, AGORA!

Lembre-se, o inferno existe, é eterno. Caindo lá, não se sai nunca mais.

sexta-feira, novembro 01, 2019

Halloween: festa neopagã e esotérica

0 comentários

Festival do Samhain no século 18
Muito se fala a respeito da festa do Halloween, celebrada no dia 31 de outubro sobretudo nos EUA e que merece, por lá, até feriado. Nas últimas década a data se consolidou no Brasil como referência cultural. A data também é celebrada no México como dia dos mortos, envolvendo elementos da antiga cultura asteca no que tange a exaltação do culto aos antepassados, numa tentativa clara de combater a influência da festa norte americana do Halloween, se valendo de símbolos locais. Deste modo é preciso compreender corretamente donde vem a festa em tela, objeto de imensas polêmicas pois há quem diga que ela nada mais é que uma versão popular da festa de todos os santos, tendo origem no calendário da liturgia católica enquanto outros insistem em referi-la unicamente a cultos pré cristãos e pagãos do mundo antigo e até a práticas satânicas. 

Em primeiro lugar é preciso que se diferencie a etimologia da palavra "Halloween" (Termo que se refere diretamente à data de todos os santos: hallow - santo/ eve - véspera; em suma, dia da véspera de todos os santos que cai em 1 de novembro) da festa que lhe dá origem - o Samhain, celebrado pelos celtas e galeses, durante a idade média, na Ilha da Britânia - atual Inglaterra. Durante o século 8 o Papa Gregório 3 mudou a data de todos os santos - antes celebrada dia 13 de maio - para o dia 1 de novembro. O objetivo era claro; substituir o culto do Samhain pelo dia de todos os santos. Na época a Igreja estava em franca expansão entre os celtas e bárbaros germânicos através das missões dos monges beneditinos que abriam mosteiros e escolas nas zonas habitadas por estes povos a fim de cristianizá-los. A mudança da data contextualiza a ação do Papa dentro destes esforços evangelizadores. 

Logo, o Samhain, É uma festa que remente a celebração celta de cunho agrário ligado ao fim do verão. Na época esse festival assumia caráter sacrifical. Durante o auge da cristandade o Samhain foi semi-esquecido tendo ficado restrito a seitas que praticavam a antiga bruxaria e magia dos povos pagãos, uma religião subterrânea que sobreviveu nos porões da sociedade medieval apesar dos esforços de cristianização da Igreja. Mas a tradição do Samhain foi recuperada na Inglaterra e assumida nos EUA no século 18/19 .Na Inglaterra as leis contra bruxaria foram suspensas em 1736. Essa suspensão mantinha relação com o advento do iluminismo que considerava a crença em bruxas um sinal das "trevas da ignorância" produzida pelo império da religião católica sobre as massas. Desde então, apesar de todo o racionalismo da época, houve um ressurgimento do interesse na bruxaria mas de forma a positivá-la. As bruxas passaram a ser vistas como mulheres incompreendidas e a bruxaria como um fonte de conhecimento ignorada pelas "trevas da religião". Neste contexto se dá a retomada da prática céltica do Samhain. No século 18 esse processo teve como resultado a publicação dos Grimoires - livros populares de magia que tencionavam facultar à população o acesso a esse conhecimento oculto e a cabala. Uma nova visão sobre a bruxaria começava a ser construída nos círculos intelectuais da Europa do século, concepção que acabaria se refletindo na cultura popular do Halloween que só toma força no século 19, período onde existiu uma retomada romântica da bruxaria via ocultismo que tem muita relação com as correntes que revalorizavam os cultos agrários e de fertilidade.

O livro do historiador Jules Michelet reabilitou a bruxaria


Em 1828 Karl Jarche argumentava que a religião agrária do Samhain e a bruxaria a ela relacionada, eram a antiga religião dos povos bárbaros que a Igreja, falsamente, qualificou de culto ao Diabo. A literatura de Walter Scott, apresentando as bruxas como mulheres perseguidas injustamente, literatura que vai ter amplo alcance popular, terá um papel fulcral para a retomada do Samhain. Franz Mone e Michelet relacionavam a bruxaria à religião do povo, das camadas baixas, oprimidas pelas nobreza e clero católico em suas manifestações sagradas. A bruxaria seria a emergência do espírito democrático dos camponeses medievais contra a opressão da aristocracia feudal, uma religião popular de massas avessa a religião da ordem e da lei (o catolicismo).
Livro de magia dos Grimoires


Foi justamente este caldo de cultura que foi transportado para os EUA no meado do século 19 dando origem ao "Halloween" moderno. Houve uma grande fome em torno de 1840 na Irlanda levando muitos irlandeses a migrar para os EUA. Por volta de 1870, 30 anos depois dessa migração, já vemos referências à celebração do Samhain nos EUA. Nela várias tradições se misturavam como o uso de maçãs para prever o futuro - algo originado nas práticas de bruxaria medievais - com referências a elementos da vida agrária - a abóbora, o espantalho, etc. Tudo isto porém, está fortemente relacionado ao culto a natureza e aos aspectos noturnos da natureza humana - a tradição de vestir-se de fantasma e do susto, por exemplo. 
Crowley foi um grande divulgador da bruxaria e ocultismo na Europa e em Nova Iorque, EUA. 

O Samhain é o ano novo pagão que marca o fim das colheitas e o começo dum novo ciclo natural que será iniciado com a morte invernal - não é sem razão que a festa do Halloween faça menção constante a morte e aos mortos; no hemisfério norte, outubro é o mês da queda das folhas e da última colheita, da morte da natureza para ressurgir na próxima primavera.  Os esotéricos do fim do século 19 e início do século 20 - como os seguidores de Aleister Crowley e MacGregor adoravam Pã e Ísis como símbolos da natureza. O Samhaim celta era um culto a natureza. O Halloween é uma retomada deste culto. O caldo de cultura gerado pelo Halloween é, ao mesmo tempo, causa da retomada do paganismo antigo agora sob forma esotérica - no neopaganismo - como efeito de sua restauração no século 19. Não é a toa que Halloween esteja muito presente nos EUA, país fundado pela Maçonaria - que pratica ritos ligados ao culto da mãe natureza - e de forte influência britânica e irlandesa - cabe dizer que a Inglaterra foi o pólo de onde partiu grande parte do movimento wicca moderno, da literatura esotérica vinculada a magia - Crowley, MacGregor, Graves e Gardner, esotéricos ligados a thelema, golden dawn, etc, eram todos ingleses e tiveram seus livros amplamente divulgados nos EUA - e da restauração de cultos de bruxaria em razão de eles estarem vinculados a recuperação da tradição céltica - mais preservada na Inglaterra e Irlanda que em qualquer outro lugar da Europa. Assim devemos enxergar o Halloween como uma expressão popular dessa renascença neopagã que começa no século 19 e como uma festa frontalmente anti-católica. 
Cartão postal em celebração ao Halloween, EUA década de 1920. 
Fonte: Catolicidade