segunda-feira, maio 18, 2015

Comentários Eleison: Pecado Vingado

Comentários Eleison - por Dom Williamson
CDIX (409) - (16 de maio de 2015): 

PECADO VINGADO


Quem quer que Deus seja, hoje a Ele culpam.
No entanto, quem, senão os homens, a Ira Divina inflamam?

Imersos que estamos no mundo que nos rodeia, é difícil, especialmente para os jovens, perceber a situação tão anormal na qual ele mergulhou. Nunca, em toda a história humana, Deus foi tão desacreditado, descrido, e, com efeito, descartado da vida dos homens. E ao perderem estes todo o sentido de Deus, perdem também todo o sentido do pecado, uma vez que todo pecado é primeiramente uma ofensa contra Deus. Portanto, eles estão sempre certos, e “Deus”, quem quer que Ele seja, está sempre errado, e por isso, quando as coisas dão errado,“Ele” pode vir a ser sempre ser lembrado, mas apenas por tempo suficiente para que leve a culpa.

Essa atitude tão amplamente difundida torna praticamente impossível a compreensão da aparente severidade de Deus no Antigo Testamento, onde, por exemplo, Ele manda os israelitas exterminar povos inteiros, tal como no livro de Josué. Mas os estudiosos católicos das Escrituras que não se perderam do sentido de Deus imutável e verdadeiro põem as coisas novamente em perspectiva. Aqui, por exemplo, está um resumo do comentário de um beneditino moderno, Dom Jean de Monléon (1890-1981), sobre a matança dos cananeus pelos israelitas sob o comando de Josué:

No que se refere ao próprio Josué, ele agiu não por ódio, racismo, ganância, ambição ou o que fosse, mas sob ordens estritas, precisas e reiteradas do próprio Deus. São João Crisóstomo disse que Josué poderia ter pessoalmente preferido alguma solução menos assassina, mas que Deus certamente tinha Suas próprias razões. Estas nós não podemos saber com segurança, mas podemos fazer suposições razoáveis. Para começar, todos nós seres humanos, por nosso pecado original (“O que é isso?” Grita o homem moderno), temos de pagar a dívida de morte, cujo momento, maneira e lugar são decididos pelo Mestre da Vida e da Morte, que é Deus. Para pecadores como os cananeus, morrer mais cedo pode ter sido um ato misericordioso, especialmente se a maneira de morrer lhes deu tempo para se arrepender e salvar suas almas para a eternidade.

Demais disso, os cananeus eram de fato pecadores imersos na prática de crimes terríveis, e tal como a humanidade antes do Dilúvio, ou como os sodomitas e os gomorreanos, eles fizeram a taça da ira de Deus transbordar: prostituição de todos os tipos, bestialidade, incesto, feitiçaria e, em particular, assassinato ritual de crianças – o que foi comprovado por múltiplas escavações arqueológicas na Palestina, nas quais pequenos esqueletos foram descobertos em circunstâncias que claramente as identifica como vítimas sacrificiais – etc. Além disso, se aos cananeus fosse permitido continuar a viver, eles apresentariam o sério perigo de corromper os israelitas, como a história subsequente mostrou muito claramente.

Em tempos mais recentes, há uns 400 anos (mas ainda antes do advento do liberalismo!), os primeiros missionários no Canadá viram-se obrigados a concluir que a única maneira de lidar com certa tribo era exterminando-a. Uma Santa canonizada disse: “Depois da experiência repetida de sua traição, seja pela paz ou pela Fé, nada mais há que se possa esperar deles”. (Fim do resumo de Dom Monléon.)

Isso, todavia, choca as susceptibilidades modernas; mas não é simplesmente pena capital tribal em oposição à individual? O princípio da pena capital é que por tais crimes antissociais tais como assassinato, traição, falsificação, homossexualismo, etc., os homens são capazes de se comportar de tal modo que os deixa inaptos a continuar vivendo sociedade, e então a autoridade legítima desta tem o direito de tirar suas vidas (alguém pode objetar que nem todos os indivíduos em uma tribo serão igualmente culpados, mas não há dúvida de que Deus Todo-Poderoso pode e fará todas as distinções necessárias).

O problema todo se resume à descrença na grandeza e na bondade de Deus, mas vamos apenas dizer que o Antigo Testamento não é nem cruel nem desatualizado como se faz frequentemente parecer.


Kyrie eleison.

terça-feira, maio 12, 2015

Ajude o Mosteiro da Santa Cruz e o Colégio São Bento & Santa Escolástica!


Ajude o Mosteiro da Santa Cruz e o Colégio São Bento & Santa Escolástica!

O Mosteiro da Santa Cruz, situado em Nova Friburgo, estado do Rio de Janeiro no Brasil, é um Mosteiro Beneditino onde se preserva a autêntica regra monástica do Glorioso Patriarca São Bento e onde se conserva no Brasil A imútavel Profissão de Fé Católica.

O Colégio São Bento & Santa Escolástica também situado em Nova Friburgo, Rio de Janeiro, é uma escola Católica, voltada para o atendimento das crianças da pequena comunidade que vive aos arredores do Mosteiro.

A Página Formação Católica pede a todos que contribuam com qualquer quantia, pois essas duas obras de Deus, são mantidas materialmente pelos poucos fiéis Católicos que conhecem esses dois tesouros da Fé Católica.

Visite a página e conheça mais a história do Mosteiro da Santa Cruz e do Colégio.

Site: http://beneditinos.org.br/

Como ajudo? http://beneditinos.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=74&Itemid=104

Colégio São Bento & Santa Escolástica.
http://beneditinos.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=73&Itemid=82

segunda-feira, maio 11, 2015

Novidade da Cruzada da Boa Leitura!

Mega divulgação do mês de Maria para a Cruzada da Boa Leitura.

Clique aqui para saber!

domingo, maio 10, 2015

Comentários Eleison: "Falto de Peso"

Comentários Eleison - por Dom Williamson
CDVIII (408) - (9 de maio de 2015): 

"FALTO DE PESO" (Dn 5, 27)


Resistentes, Deus quer os que têm em Sua vontade o objetivo central.
Buscar nosso conforto cinquentista só nos fará mal.

Não é fácil a tarefa dos católicos que atualmente se esforçam para manter a Fé. Segue abaixo uma descrição, feita por um observador, do presente estado da Fraternidade Sacerdotal São Pio X nos EUA, tal como ele a vê, tanto do lado positivo como do negativo. Vejamos primeiro o negativo, não a fim de ofender a Fraternidade, mas de medir o problema. Como disse o patriota americano Patrick Henry em 1775: “De minha parte, qualquer que seja a angústia de espírito que isso possa custar, estou disposto a ouvir toda a verdade, por pior que seja, e apoiá-la”. 

Até agora os sacerdotes da Fraternidade nos EUA não reagiram à infiltração modernista em sua Fraternidade. A maioria diz qualquer coisa para justificar cada palavra e ação de seu Superior Geral. Como eles podem justificar o compromisso com a doutrina, é um mistério para mim. Um deles disse que basta conversar com Dom Fellay que tudo se esclarecerá. Alguns seminaristas americanos com quem me encontrei estão sendo mal formados, se perdem ao tentar justificar tudo, até mesmo o “bem” encontrado no Vaticano II. Estão a marchar ao som do tambor da obediência cega. As teorias da conspiração se tornaram tabu no Seminário, de modo que como futuros sacerdotes eles serão presas fáceis para o inimigo. Não houve reação à visita do bispo do Novus Ordo Dom Schneider, ou à “assimilação argentina”. A “Resistência” ao modernismo de Dom Fellay não é absolutamente discutida, sendo rejeitada como se fosse outra revolta, tal como a dos “Nove” Sacerdotes em 1983.

No entanto, os priores da FSSPX permitem indiscriminadamente que se assista às Missas da Fraternidade São Pedro, e definem o Modernismo como uma “pilha de pó” que deve ser varrida para o lado. Um sacerdote recentemente ordenado foi enviado para ajudar na instalação de um bispo local do Novus Ordo. Em geral, não há luta contra os erros do Vaticano II nem contra os erros da própria Declaração Doutrinal da Fraternidade de 2012. Pior de tudo é o deslize doutrinário que tomou lugar na Fraternidade desde 2012; apesar dele, muitos sacerdotes da FSSPX estão a dizer que não agirão até que vejam algo concreto.

Tal cegueira só pode ser um castigo de Deus. O que está Ele a punir? Nos anos cinquenta os católicos que buscavam demais seu próprio conforto mundano foram punidos pelo Concílio dos anos sessenta. Para os fieis remanescentes Deus concedeu Dom Lefebvre, o verdadeiro pastor dos anos setenta e oitenta. Certamente Deus tinha o direito de esperar que esses católicos restantes entendessem o problema, e se esquivassem da falsa solução tomada para os anos cinquenta. Mas não. Desde o fim da década de noventa os líderes da FSSPX, e então os sacerdotes e fieis, têm retornado lentamente, mas firmemente, ao “cinquentismo”, ou seja, ao “catolicismo de domingo” dos anos cinquenta, que é uma resposta pobre às múltiplas graças concedidas por Deus à Fraternidade. Parece que Ele já está farto, e então permitiu que uma diocese na Argentina desse um exemplo da Igreja oficial a conceder aprovação oficial à Fraternidade. Isto foi minimizado pelo QG da Fraternidade, que alegou se tratar uma “simples medida administrativa”, mas abriu caminho para uma aprovação completa da Igreja, quer poderá se dar a partir de Roma ou de diocese em diocese. Todos fingirão não notá-la, mas se rejubilarão com ela. Esses romanos são mestres!

Mas Deus Todo-Poderoso continua recrutando resistentes remanescentes a partir dos tradicionalistas que ainda restam. O observador supracitado concluiu: Eu acho que quando o momento decisivo chegar, surgirá um punhado de Nicodemos e Josés de Arimateia entre os sacerdotes e irmãos da Fraternidade, e irmãs também, esperamos. Os fieis “resistentes” pela América do Norte estão firmes, com alguns novos recém-chegados, a maioria do Novus Ordo, ou do nada. A mesma firmeza era evidente na reação de muitos católicos à consagração de Dom Faure. Eis um futuro para as almas. Mas não nos enganemos: Deus Todo-Poderoso não quer mais e mais católicos de domingo. Ele quer potenciais mártires.


Kyrie eleison.

segunda-feira, maio 04, 2015

Casa de Estudos Santo Anselmo






Buscando vocações de jovens para o verdadeiro sacerdócio católico, sem compromisso com a Igreja Conciliar, o Mosteiro da Santa Cruz, situado em Nova Friburgo, oferece aos que se interessarem a possibilidade de receber algo da boa formação e cultura de ontem, a qual não visava à Química, nem à Física, nem à Matemática, nem à Tecnologia, mas sim a conhecimentos mais altos que perfazem a verdadeira sabedoria.
 Oferecer-se-ão, para começar, cursos de História, Música, Literatura, Gramática Portuguesa, Catecismo e, sobretudo, Latim. Tentaremos adaptar-nos ao nível dos jovens que se apresentarem. Cada um permanecerá perfeitamente livre para ir-se a qualquer momento, e nada os obrigará a seguir uma vocação religiosa ou sacerdotal. 
Trata-se de oferecer-lhes um pouco da boa e clássica cultura cristã, a da Antiga Ordem Mundial, a do Cristo Rei, diametralmente oposta à anticultura da Nova Ordem Mundial. 
Os jovens interessados devem contactar o professor Carlos Nougué pelo e-mail carlosnougue@gmail.com .

In nomine Christi,

Dom Tomás de Aquino, OSB.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...