sexta-feira, maio 24, 2019

Aos escrupulosos

0 comentários





Aos escrupulosos:
Não temam seus pensamentos involuntários, por mais blasfemos ou perigosos que sejam, pois não lhes levarão à apostasia, ao suicídio ou à ignomínia. Vocês são perfeitamente incapazes de escandalizar os outros e por razões que vagueiam entre o Transtorno Obsessivo-Compulsivo e à Psicastenia só escandalizam a si mesmos por certa debilidade psiconeurológica que carece de descansos, vitaminas e remédios.
Deus deseja vê-los bem e cobre os olhos para os pensamentos involuntários. Aprendam com a paz o que é a paz.
***
Meu comentário, uma dica:

As vitaminas são importantes para a saúde física e mental. Por isso pene em suplementar. A Vitamina D3 tem um papel importante até mesmo no combate à depressão, então pegue mais sol, e se não for possível, suplemente. Veja:

https://estaoteenvenenando.blogspot.com/2015/06/video-do-dr-cicero-coimbra-vitamina-d3.html

A Vitamina B3, ou Niacina, é ótima para tratamento de vários problemas mentais, leia:

https://estaoteenvenenando.blogspot.com/2014/09/a-vitamina-b-3-niacina-e-cura-de-varias.html

https://estaoteenvenenando.blogspot.com/2018/06/como-determinar-saturacao-da-niacina.html


quinta-feira, maio 23, 2019

Auxilie o Mosteiro – Aidez le Monastère – Help the Monastery – Ayude el Monasterio

0 comentários
Caros amigos e benfeitores,
Primeiramente, desejamos a todos um santo Tempo Pascal. Que o Divino Ressuscitado os cumule de todas as graças e lhes dê, sobretudo, a graça da perseverança até o fim no bom combate da fé.
Gostaríamos também de agradecer-lhes sua generosa ajuda, graças à qual o nosso mosteiro tem se sustentado, materialmente, há vários anos.
Neste início de ano, tivemos alguns gastos extras, devidos a reparos que tivemos de fazer na nossa escolinha infantil (forro do teto que havia cedido e reparos no sistema hidráulico), em nossa Capelinha São Miguel e na barragem que fornece peixes para a alimentação dos monges.  Todos esses gastos nos geraram algumas dívidas (cerca de R$ 22.000,00), e gostaríamos de poder contar com sua generosidade ainda esta vez, para podermos sanar essas dívidas.
Asseguramo-los de nossas orações quotidianas e de nossa amizade,
Em Jesus, Maria e José,
Renato Müller
Secretário de Dom Tomás de Aquino
…….
 FRANÇAIS
Chers amis et bienfaiteurs,
Tout d’abord, nous vous souhaitons un saint Temps Pascal. Que le Divin Ressuscité vous comble de toutes les grâces et vous donne surtout la grâce de persévérance jusqu’à la fin dans le bon combat de la foi.
Nous tenons également à vous remercier pour votre aide généreuse, grâce à laquelle notre monastère est soutenu, matériellement, depuis plusieurs années.
Dans ces premiers mois de 2019, nous avons eu des dépenses supplémentaires dues aux travaux qu’il nous a fallu effectuer dans notre école pour les enfants (des doublures du plafond étaient effondrées et le système hydraulique devrait être réparé), dans notre chapelle Saint Michel et aussi dans le barrage qui fournit des poissons pour l’alimentation des moines. Toutes ces dépenses nous ont coûté environ 5.000 €, et nous voudrions pourvoir compter sur votre générosité pour payer cette dette. Si vous pouvez nous faire un petit don que ce soit, nous vous remercions de tout notre coeur.
Nous vous assurons de nos prières quotidiennes et de notre amitié.
En Jésus, Marie et Joseph,
Renato Müller
Secrétaire de Mgr Thomas d’Aquin
……
 ENGLISH
Dear friends and benefactors,
First, we wish you all a holy Paschal Time. May the Divine Risen Lord fill you with all graces and, above all, give you the grace of perseverance to the end in the good fight of faith.
We would also like to thank you for your generous help, thanks to which our monastery has been materially supported for several years.
At the beginning of the year, we had some extra expenses, due to repairs we had to make in our children’s school (ceiling linings that had been provided and repairs to the hydraulic system), in our Saint Michael’s Chapel and in the dam that provides fish to feed the monks.  All of those expenses have cost us some debts (about 5,600.00 dollars), and we would like to be able to count on your generosity this time again so that we can pay such debts.
We assure you of our daily prayers and our friendship,
In Jesus, Mary and Joseph,
Renato Müller,
Bishop Thomas Aquinas’s Secretary
……
ESPAÑOL
Estimados amigos y benefactores,
Primero, deseamos a todos un santo Tiempo Pascual. Que el Divino Resucitado los llene de todas las gracias y les dé, sobre todo, la gracia de la perseverancia hasta el final en el buen combate de la fe.
Queremos también agradecerles su generosa ayuda, gracias a la cual nuestro monasterio se ha sostenido materialmente desde hace varios años.
En este inicio de año, tuvimos algunos gastos extras, debido a las reparaciones que tuvimos que hacer en nuestra escuela infantil (forro del techo que había cedido y reparaciones en el sistema hidráulico), en nuestra Capilla San Miguel y en el lago que suministra peces para la alimentación de los monjes. Todos estos gastos nos generaron algunas deudas (alrededor de 5.600 dólares), y nos gustaría poder contar todavía con su generosidad, para poder sanar esas deudas.
Les aseguramos de nuestras oraciones cotidianas y de nuestra amistad,
En Jesús, María y José,
Renato Müller
Secretário de Mons. Tomás de Aquino

segunda-feira, maio 20, 2019

Comentários Eleison: O Brexit de Daniel

0 comentários

Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DCXVIII (618) - (18 de maio de 2019):




O BREXIT DE DANIEL!

Do sublime Daniel à vergonha terrena da Grã-Bretanha,
Resgata, ó Deus, resgata Teu Santo Nome!

Se a pobre Inglaterra precisa urgentemente compreender em profundidade por que a Europa está-se equivocando, para salvar a Grã-Bretanha de seguir a Nova Ordem Mundial, os católicos ainda mais precisam compreender em profundidade como e por que sua Igreja se equivocou no Vaticano II, para salvarem o mundo inteiro de seu afastamento do único e verdadeiro Deus. No Antigo Testamento, o próprio Deus inspirou em Seu profeta Daniel, exilado longe de casa pelo cativeiro da Babilônia (cerca de 590 a 520 a.C.), uma oração urgente de contrição pelos pecados dos israelitas para que Deus perdoasse Seu povo e os concedesse restaurarem a glória do Seu nome, permitindo-lhes que voltassem a praticar uma vez mais a Sua santa religião na cidade santa de Jerusalém. Não é difícil adaptar ao cativeiro da Igreja Católica no século XXI a grande oração de Daniel (Capítulo IX):

[4] Orei ao Senhor meu Deus e fiz-lhe esta confissão; Ah! Senhor, Deus grande e terrível, que guardas a tua aliança e a tua misericórdia para com os que te amam e observam os teus mandamentos. [5] Nós pecamos, cometemos a iniquidade, procedemos impiamente, fomos rebeldes, afastamo-nos dos teus preceitos e das tuas leis. [6] Não temos escutado os teus servos, os profetas, que falaram em teu nome aos nossos reis, aos nossos príncipes, aos nossos pais e a todo o povo do país.

[7] Tua é, ó Senhor, a justiça; a nós, porém, não nos resta senão a confusão do nosso rosto, como sucede hoje a todos os homens de Judá, aos habitantes de Jerusalém e a todo o Israel, aos que estão perto e aos que estão longe, em todos os países, para onde os lançaste, por causa das iniquidades que cometeram contra ti. [8] Para nós, Senhor, a confusão do rosto, para os nossos reis, para os nossos príncipes, e para os nossos pais, pois pecamos contra ti. [9] Mas do Senhor, nosso Deus, é própria a misericórdia e a propiciação, porque nos revoltamos contra ele. [10] Não ouvimos a voz do Senhor nosso Deus, não andamos segundo a lei, que nos prescreveu, por meio dos seus servos, os profetas.

[11] Todos os de Israel violaram a tua lei, desviaram-se para não ouvirem a tua voz; sobre nós, por isso, se derramaram a maldição e a imprecação, escritas na lei de Moisés, servo de Deus, porque pecamos contra ele. [12] Cumpriu as palavras que proferiu contra nós e contra os príncipes que nos governavam; fez vir sobre nós uma calamidade tão grande, que nunca se viu, debaixo de todo o céu, igual à que aconteceu a Jerusalém. [13] Todo este mal caiu sobre nós, segundo está escrito na lei de Moisés, e nós não acalmamos a face do Senhor nosso Deus, afastando-nos das nossas iniquidades e aplicando-nos ao conhecimento da tua verdade. [14] Assim o Senhor vigiou sobre a desgraça e fê-la cair sobre nós, porque o Senhor nosso Deus é justo em todas as obras que fez, mas nós não ouvimos a sua voz.

[15] Agora, Senhor nosso Deus, que tiraste o teu povo da terra do Egito com mão poderosa e que adquiriste então um nome, que dura até ao dia de hoje. (confessamos que) temos pecado, que temos cometido a iniquidade. [16] Senhor, por toda a tua justiça (ou misericórdia), digna-te afastar a tua ira e o teu furor da cidade de Jerusalém, do teu santo monte (Sião), porque Jerusalém e o teu povo são hoje o escárnio de todos os que nos cercam, por causa dos nossos pecados e das iniquidades de nossos pais. [17] Atende, pois, agora. Deus nosso, à oração do teu servo, às suas preces, e, sobre o teu santuário devastado, faze brilhar a tua face, por amor de ti mesmo.

[18] Inclina, Deus meu, o teu ouvido e ouve; abre os teus olhos e vê as nossas ruínas e (contempla) a cidade sobre a qual se invoca o teu nome. Não trazemos à tua presença as nossas súplicas (humildes) fundados em merecimentos da nossa justiça, mas sim nas tuas grandes misericórdias. [19] Ouve, Senhor, perdoa. Senhor; atende e põe mãos à obra; não tardes mais. Deus meu, por amor de ti mesmo, porque esta cidade e este teu povo têm a glória de lhes haver sido dado o teu nome.

Kyrie eleison.

domingo, maio 12, 2019

Comentários Eleison: Brexit II

0 comentários
Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DCXVII (617) - (11 de maio de 2019):


BREXIT – II


Brexistas, vocês querem realmente ser abençoados?
Busquem primeiro o Reino de Deus. Ele acrescentará o resto.


Há um poema inglês do século XIX merecidamente famoso que lança muita luz sobre o enorme rebuliço que foi despertado pela tentativa do povo britânico de escapar das redes da União Europeia. "Dover Beach [A Praia de Dover]" foi escrito provavelmente em 1851 por Matthew Arnold (1822-1888), e apresenta em quatro versos irregulares sua profunda melancolia quando se encontra em pé na beira do Canal da Mancha escutando o ritmo incessante das ondas na praia em frente a casa onde se encontra para passar a noite com sua amada, presumivelmente sua legítima esposa.

O primeiro verso é uma bela descrição do litoral iluminado pela lua e das ondas, que conclui com a “eterna nota de tristeza” que ele parece ouvir nas ondas. Como um completo erudito clássico, ele recorda uma citação do dramaturgo grego Sófocles (496-406 a. C.), que ouviu no mesmo vai e vem das ondas em uma praia parecida a milhares de quilômetros de distância, e há mais de dois mil anos, “o turvo vai e vem da miséria humana”, e o espírito de Arnold se volta para os profundos problemas de sua própria época, a da era Vitoriana. Arnold nunca foi católico, mas no terceiro verso ele remonta esses problemas à perda da Fé em seu século XIX, cujo “rugido melancólico de retirada lenta” parece ouvir o som das ondas que se esvaem diante dele.

No quarto e último verso, ele apresenta a única solução que tem para o problema da vida que desaparece do que uma vez foi a cristandade, e que é voltar-se para sua amada ao seu lado e implorar-lhe que permaneça fiel a ele, porque tudo o que eles realmente têm é um ao outro. Assim, na obscura conclusão do poema, tudo o mais

Não tem realmente alegria nem amor nem luz,
Nem certeza nem paz nem amparo para a dor;
E estamos aqui como em uma planície obscura
Arrastados por confusos alarmes de luta e fuga,
Onde exércitos ignorantes se chocam à noite.

Assim, Arnold teve fé suficiente para ver que o problema essencial de sua civilização era a perda da fé religiosa, mas lhe faltava a fé para acreditar na alternativa real e existente para a obscuridade e para a confusão resultantes, nomeadamente, a Igreja Católica. Da mesma forma, os brexistas têm instintos sadios suficientes para sentirem que a União Europeia está indo na direção errada, mas eles têm menos religião ainda do que Arnold, e então eles têm menos ideia do que ele tinha de como evitar a “planície obscura”. Portanto, o debate sobre o Brexit continua sendo um “choque de exércitos ignorantes à noite”, porque todo mundo está enquadrando o debate no âmbito econômico, quando na realidade o verdadeiro debate é religioso, entre os últimos vestígios das nações cristãs, por um lado, e, por outro lado, o início do Anticristo com sua Nova Ordem Mundial. É a dimensão religiosa que dá ao debate sua força em ambos os lados. É a falta de religião de ambos os lados que dá ao debate sua confusão.

Pois, de fato, Deus é o grande ausente da “civilização” moderna, mas como disse certa vez o Cardeal Pie, se Ele não governa com Sua presença, Ele governará com Sua ausência. Sem Ele, o debate sobre o Brexit está sendo conduzido sob a perspectiva econômica, e desse modo os brexistas estão fadados a perder. Mas será que eles estão dispostos a se voltarem para Deus? Eis a questão.

Kyrie eleison.

sábado, maio 11, 2019

Educação e os problemas sociais no Brasil

0 comentários


Um texto lúcido, simples e direto sobre a Educação e os problemas sociais no Brasil. A autora prefere não se identificar. 

Leia e reflita.



"Querem que as universidades públicas acabem com a meritocracia e recebam só alunos de baixa renda.

A primeira coisa a ser corrigida seria melhorar a educação fundamental da rede pública. Um colégio de ponta no meio da favela com tiroteios causa estresse emocional nos alunos.

Estes alunos vem de famílias muitas vezes disfuncionais, mal convive com os responsáveis que trabalham o dia inteiro, mas vezes passam fome, vivem em regiões com guerra constante sem nenhuma condição para viver em paz e com dignidade. Isto irá refletir na vida educacional dele


Para realmente dar igualdade, o governo deveria dar condições para que todos tenham direito a habitação digna. E preciso diminuir a carga horária de trabalho para que pais tenham tempo para criar seus filhos. Mas isto nunca será feito.


Cada vez mais se torna impossível comprar um imóvel e quem o tem é açoitado com aumento exponencial de impostos e com as reformas trabalhistas cada vez mais vai aumentar a carga horária do trabalhador. Então é mais fácil jogar números sobre o problema do que meter o dedo nele.

O problema da desigualdade será resolvido acabando com a classe média, ao invés, de acabar com a pobreza. Com a desculpa que só classe média vai pra universidade pública, elas serão extintas e ensino superior será só para os milionários que podem pagar 10, 15 mil por mês num curso.

Somos reféns de um sistema de governo que trabalha em prol de banqueiros e não para o povo."