segunda-feira, outubro 15, 2018

Comentários Eleison: Feminilidade Inestimável - II

0 comentários
Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DLXXXVII (587)  (13 de outubro de 2018)


 FEMINILIDADE INESTIMÁVEL  – II


Para crescer, precisa de um caule forte o tomateiro, 
Para amarem suas mulheres, homens, voltem-se para Deus primeiro!

A feminilidade da mulher está hoje sob ataque feroz, e não é difícil descobrir a causa. Satanás quer o poder total sobre a humanidade para assegurar-se de que cada alma caia no inferno. Ora, o caminho que o Deus Todo-Poderoso traçou para os seres humanos irem para o Céu é por seu nascimento dentro de uma família humana normal, na qual o que hoje chamamos “pai biológico” e “mãe biológica” cuidam do fruto de seu amor mútuo: seus próprios filhos. O Dr. Henry Makow retoma a história dos “Comentários Eleison” da semana passada focando nos satanistas.

“Os judeus cabalistas e os maçons são satanistas. Controlam degradando e corrompendo. Como os cupins, eles comem as colunas de apoio da sociedade. A família é o glóbulo vermelho de uma sociedade sadia. Ela fornece-nos nossos papéis e identidade, bem como o apoio emocional e material necessário. Garante que os jovens nasçam, sejam amados e criados adequadamente, e que os idosos sejam cuidados. Nossa família é nosso elo na cadeia da eternidade. Então os satanistas sempre quiseram destruí-la. Eles foram atrás das mulheres, das que consideraram inconstantes, vaidosas e de mente débil. ‘Não há como influenciar os homens tão poderosamente como por meio das mulheres’, escreveu Adam Weishaupt. ‘Portanto, estas deveriam ser nosso estudo principal; deveríamos nos insinuar em sua boa opinião, dar-lhes indicações para emanciparem-se da tirania da opinião pública e erguerem-se por si mesmas; será um imenso alívio para suas mentes escravizadas se libertarem de qualquer laço de restrição, e isso as incendiará ainda mais, fazendo com que trabalhem para nós com zelo, sem saberem que o fazem; pois estarão apenas satisfazendo seu próprio desejo de admiração pessoal’.

“Então, os Satanistas convenceram as mulheres de que o matrimônio e a família eram ‘opressivos’. Os homens podem ter trabalhado duro em fábricas e morrido em guerra para prover e proteger as suas mulheres, mas de alguma forma as mulheres é que eram oprimidas. Os satanistas precisavam interferir no afeto e na atração natural que os machos e as fêmeas têm um pelo outro e por seus descendentes. Os satanistas existem para banir o amor. A essência de uma mulher é o amor, o poder de gerar amor, amando e sendo amada em troca. Esta é a fonte de seu poder. O amor de uma mulher por seu marido e filhos é a coisa mais preciosa do mundo. Para um homem, esse amor é seu maior tesouro. Ao deixar-se enganar, ao buscar o poder material em vez do espiritual, a mulher moderna perdeu essencialmente o poder de amar. Ela pode ter poder ou amor. Ela não pode ter a ambos. As mulheres precisam do amor de um homem como uma flor precisa de sol e água. Os homens nutrem as mulheres e as mulheres empoderam os homens, aquiescendo às suas exigências razoáveis. Essa é a dinâmica heterossexual...

“Mas isso é o que é condenado como a exploração da mulher (a “erotização da impotência”) por, por exemplo, uma Sheila Jeffreys, conhecida como erudita feminista lésbica e ativista política. Obviamente, ela não pode entender que o amor da mulher é o seu verdadeiro poder. Ela quer transformar todas as mulheres em lésbicas que, como ela, não conseguem entender que o estilo, a beleza e o encanto da mulher, em resumo, sua feminilidade, dependem de que evitem o poder material. Uma mulher que se entrega ao marido é amada, e amada por ele e por seus filhos. Uma mulher que busca poder como o faz o sexo masculino está condenada a uma vida de isolamento e amargura.

“Feministas ocidentais, vocês perderam seu presente mais precioso por nada. Vocês são vulgares, um verdadeiro fracasso. Vocês não têm personalidade, encanto, estilo, substância. Vocês não podem amar. Nem sequer são atraentes. E logo vocês perderão sua juventude. Não terão nada além de seu trabalho, seus cachorros e suas amigas igualmente desesperadas. Feministas ocidentais, vocês foram roubadas, traídas por sua sociedade, professores e líderes políticos e culturais; e consequentemente vocês se uniram às fileiras de seus traidores. Vocês traíram seus filhos não nascidos, sua cultura, sua família e a promessa do futuro. Mas o pior de tudo é que vocês traíram a si mesmas” (fim da citação de Makow).
                                                                                                                           
Kyrie eleison.

*Traduzido por Cristoph Klug.





sexta-feira, outubro 12, 2018

Oração ao Sagrado Coração de Jesus Ante uma Grave Necessidade

0 comentários
ORAÇÃO AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS
ANTE UMA GRAVE NECESSIDADE

Oh! Divino Jesus que dissestes:

«Pedi e recebereis; buscai e encontrareis; chamai e vos abrirá; porque todo o que pede recebe, e o que busca encontra, e a quem chama se abre».
Olhai-me prostrado a teus pés suplicando que me concedas uma audiência.
Tuas palavras me infundem confiança, sobretudo agora que necessito que me faças um favor:
(Em silêncio pedindo o favor)
A quem hei de pedir, senão a Vós, cujo Coração é um manancial inesgotável de todas as graças e dons?
Onde hei de buscar senão no tesouro de vosso Coração, que contém todas as riquezas da clemência e generosidade divinas?
Onde hei de chamar senão a porta desse Coração Sagrado, através do qual Deus vem a nós, e por meio do qual vamos a Deus?

A Vós acudimos, Oh! Coração de Jesus, porque em Vós encontramos consolo, quando aflitos e perseguidos pedimos proteção;
Quando acabrunhados pelo peso de nossa cruz, buscamos ajuda; quando a angústia, a enfermidade, a pobreza ou o fracasso nos levam a buscar uma força superior às forças humanas.

Creio firmemente que podes conceder me a graça que imploro, porque vossa Misericórdia não tem limites e confio que vosso Coração compassivo encontrará em minhas misérias, em minhas tribulações e em minhas angústias, um motivo a mais para ouvir meu pedido.
Quero que meu coração esteja cheio da confiança com que orou o centurião romano em favor de seu criado; da confiança com que oraram as irmãs de Lázaro, os leprosos, os cegos, os paralíticos que se acercavam a Vós porque sabiam que teus ouvidos e vosso Coração estavam sempre abertos para ouvir e remediar seus males.

Sem dúvida... deixo em vossas mãos meu pedido, sabendo que vós sabes as coisas melhor que eu; e que, se não me concedes esta graça que te peço, me darás em troca outra de que muito necessita minha alma; e me concederás olhar as coisas, minha situação, meus problemas, minha vida inteira, deste outro ângulo, com mais Espírito de fé.
Qualquer que seja vossa decisão, nunca deixarei de amar-vos, adorar-vos e servir-vos, Oh! bom Jesus.
Aceitai este meu ato de perfeita adoração e submissão ao que decrete vosso Coração misericordioso. Amém.
Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai...

Sacratíssimo Coração de Jesus, em Vós confio. (Três vezes).


terça-feira, outubro 09, 2018

RECORDAI-VOS SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS.

0 comentários
RECORDAI-VOS SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS.

Recordai-vos, oh! Sagrado Coração de Jesus! de tudo o que haveis feito por salvar nossas almas, e não as deixeis perecer.
Recordai-vos do eterno e imenso amor que haveis tido por elas; não desprezeis estas almas que vêem a Vós, agoniadas sob o peso de suas misérias oprimidas sob o de tantas dores.
Comovei-vos à vista de nossa debilidade, dos perigos que nos rodeiam por todas as partes, dos tantos males que nos fazem suspirar e gemer.

Cheios de confiança e amor, viemos a vosso Coração, como o coração do melhor dos pais, do mais terno e mais compassivo amigo.
Recebei-nos, oh! Coração Sagrado! em vossa infinita ternura; fazei-nos sentir os efeitos de vossa compaixão e de Vosso amor; sede nosso apoio, nosso mediador perante vosso Pai, e em nome de vosso precioso sangue e de vossos méritos, concedei-nos a força em nossas debilidades, consolo em nossas penas, e a graça de amar-vos no tempo e de possui-vos na eternidade.

Coração de Jesus, eu venho a Vós porque sois meu único refúgio, minha única mas certa esperança; Vós sois o remédio de todos os meus males, o alívio de todas as minhas misérias, a reparação de todas as minhas faltas, a segurança de todos os meus pedidos serem atendidos, a fonte infalível e inesgotável para mim, e para todos a luz, força, constância, paz e benção.
Estou seguro que não vos cansareis de mim e que não cessareis de amar-me, proteger-me e ajudar-me, porque me amais com um amor infinito.

Tende piedade de mim, segundo vossa grande misericórdia, e fazei de mim, por mim, e em mim tudo o que queirais, porque eu me abandono a Vós com inteira confiança de que Vós não me abandonareis jamais.

Assim seja.

Comentários Eleison: Feminilidade Inestimável - I

0 comentários
Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DLXXXVI (586)  (6 de outubro de 2018)



 FEMINILIDADE INESTIMÁVEL  – I



Santa Ana, Santa Ana, arranje-me um marido (o mais rápido que puder),
MAS QUERO UM BOM, NÃO UM HOMEM QUALQUER!


É onde os soldados de um exército sitiante estão derrubando os muros, que os defensores precisam combater. É onde a salvação das almas encontra maiores dificuldades, que os servos de Deus devem lutar mais. É por isso que estes “Comentários” e as “Cartas do Reitor” que os antecederam voltam muitas vezes à perda da feminilidade das mulheres e da masculinidade dos homens. O projeto complementar de Deus do homem e da mulher, que remonta a Adão e Eva, é básico para a vida e a natureza humanas. E quando esse projeto é despedaçado pelo homem e supostamente jogado fora pelas manipulações sujas de "gênero" e assim por diante, como pode a graça sobrenatural de Deus penetrar nas naturezas humanas tão radicalmente arruinadas? E sem graça, onde eles vão parar?

Em teoria, as mulheres católicas não deveriam ter muita dificuldade em entender e aceitar como Deus as projetou. Na prática, a propaganda pró-feminista é tão implacável na educação abjeta e na mídia vil dos dias de hoje que mesmo os instintos naturais das mulheres católicas e o sentido dado por Deus de seu verdadeiro papel na vida são muitas vezes subjugados pelo impulso do orgulho em direção ao poder aparente. Aqui estão algumas palavras ásperas, mas sábias, sobre a mulher, de Irene Claremont de Castillejo, Knowing Woman: Feminine Psychology [Conhecendo a Mulher: Psicologia Feminina]:



“Qualquer garota que desenvolveu a feminilidade sem saber que o amor é seu valor supremo foi espiritualmente violentada. A espiritualidade feminina expressa uma atitude de vigilância, prontidão e espera espiritual para o encontro com o oposto, que é um pré-requisito para a totalidade interior da mulher. Sem isto ela se torna uma presa do masculino dentro de si mesma, um espírito furioso de atividade intelectual ou física, com o qual nenhum homem pode-se relacionar, e com o qual ela não pode de modo nenhum relacionar-se. Ela é uma mulher possuída".
E, então, de Henry Makow, Ph.D., Western Women Have Lost Their Power to Love [A Mulher Ocidental Perdeu o Seu Poder de Amar] (corrigido):

“As mulheres ocidentais foram enganadas, para que busquem o poder em vez do amor. Paradoxalmente, elas nunca foram tão impotentes. Querem ser amadas, mas não têm mais amor para oferecer em troca. No filme "Jogos de Guerra [War Games]", de 1983, o herói, Matthew Broderick, é um jovem gênio da informática que acidentalmente inicia uma contagem regressiva nuclear e corre para evitar uma catástrofe. Sua namorada, interpretada por Ally Sheedy, é vista em um papel complementar, basicamente ajudando-o, encorajando-o e admirando-o. Ele é o líder. Mas a presença dela informa, valida e eleva tudo o que ele faz. É como se suas ações fossem dedicadas a ela. É assim que a heterossexualidade funciona. A mulher reforça o homem, confiando seu poder ao marido. É assim que a mulher ama, isto é, "confiando", alistando-se como o primeiro oficial para o seu Capitão. Se este filme fosse refeito hoje, ela seria a Capitã, ele seria emasculado, e eles se separariam.

“De Chaucer a Freud, os homens perguntaram: o que as mulheres querem? É algo realmente muito simples. Elas querem ser amadas. Especificamente, querem o amor apaixonado de um marido por toda a vida. Mas o que faz um homem amar uma mulher dessa maneira? O sacrifício dela. Unindo-se a ele, aceitando sua liderança e servindo a ele e a seus filhos. Em outras palavras, o amor duradouro se ganha com as obras. Não é baseado em sex appeal (que diminui) ou em conversas espirituosas. É construído sobre laços de GRATIDÃO.

“Ao ensinar as mulheres a ser egoístas em vez de abnegadas, o feminismo privou-as de seu poderio, o amor. Tudo o que lhes resta é dar o ato do matrimônio sem matrimônio. Porque elas não se renderão a um marido amoroso, reduzem-se a entregarem-se a estranhos”. (Fim da citação de Makow.)

“Mas, Excelência, onde estão os Capitães? Onde estão os potenciais maridos amorosos que nos guiarão? Os homens hoje estão sendo arruinados, e isso não exclui os Católicos Tradicionais!”. Meninas, assim como vocês perderam a feminilidade sem perceber, também eles perderam a masculinidade pela cultura miserável de hoje. Vocês devem rezar, porque Deus pode facilmente encontrar um jovem para cada uma de vocês. Rezem para Santa Ana, como acima, mas, antes de tudo, prometam a ela que se ela encontrar-lhes um homem, vocês estarão dispostas a se submeterem a ele, e prontas para isto. Assim, ela estará mais inclinada a procurá-lo. Importunem-na, sejam insistentes. O céu não se importa com isso (Lc XVIII, 2-8).

Kyrie eleison.

*Traduzido por Leticia Fantin.





sábado, outubro 06, 2018

Programa de Governo do PT tem tom bolivariano até em seus conceitos

0 comentários

Caros leitores, não desperdicem seu voto! Votem para colocar o PT para bem LONGE da presidência, vote Bolsonaro 17. Vejam só o horror que é o plano de governo do PT. Se eles voltarem ao pode vai ser para IMPLANTAR AQUI UM GOVERNO COMUNISTA COMO O DA VENEZUELA!  Assista!



quinta-feira, outubro 04, 2018

Por um Estado Católico

0 comentários
Por Prof. Carlos Nougué



A ADMIRÁVEL ADVOGADA Chris Reis Tonietto (do CDB) declara, em audiência pública da Comissão de Cultura da Paz da Câmara dos Deputados, que só haverá paz em nossa nação quando Cristo for proclamado Rei na sociedade brasileira! 

O caos que o Brasil enfrenta é uma consequência direta do enfraquecimento da fé devido às perseguições que todo estado laico promove à Verdade. Por isso, precisamos proclamar abertamente: POR UM ESTADO CATÓLICO! VIVA CRISTO REI!



quarta-feira, outubro 03, 2018

O Que Vem a Ser a Igreja Conciliar

0 comentários

Por Arsenius



Feliz culpa de Adão, que nos mereceu um tal e tão grande Salvador!
Deus só permite o mal para daí tirar um bem maior. Ele permitiu o pecado de Adão, para daí tirar o bem infinitamente maior da Encarnação e da Redenção. E, em consequência da Encarnação e da Redenção, constituiu a Santa Igreja.
A Santa Igreja é o meio, que Deus instituiu, através do qual os homens devem participar da vida divina, primeiramente na obscuridade da Fé e depois na visão, no gozo e na posse de Deus. Essa é a finalidade para a qual foram criados todos os homens, finalidade cheia de amor (e que amor! Amor incrível! Infinito!) por cada um de nós. E não temos o direito de não querer esse dom inestimável. Seremos justamente castigados se o recusarmos.
Poderíamos pensar que o nosso bem é o que queremos para nós. Mas nosso Pai, nosso bom Pai, nosso melhor Amigo, Aquele que se fez nosso irmão e até quer ser nosso Filho, Ele sabe que, muitíssimas vezes, o que queremos é péssimo para nós. Como alguém que tenha um filho ou um irmão ou uma mãe que não querem absolutamente vê-lo bêbado porque sabem que isso é um mal para ele. Mas ele acha que isso é bom: como ele gosta de beber até a embriaguez!… “Por que essas pessoas, que deveriam me querer bem, ficam me reprovando de fazer o que tanto gosto?” Porque sabem que isso não é bom. Assim Deus para conosco.
Conclusão, todo homem deve pertencer à Santa Igreja para se salvar. E só se pode pertencer à Santa Igreja por causa de Nosso Senhor Jesus Cristo. Foi porque Ele morreu por nós é que cada um de nós pode receber a participação de Sua vida divina, pela graça santificante.
A Igreja Católica define-se com mais propriedade como sendo o Corpo Místico de Cristo. E nesse corpo, Nosso Senhor Jesus Cristo é a cabeça e todos os mais que pertencem a esse mesmo corpo (inclusive o Papa) são seus membros.
Dessa Cabeça divina desce a graça santificante a seus membros. E essa graça é para todos os homens (ainda que nem todos a recebam), desde Adão até o último homem que existir. Portanto, mesmo os homens do Antigo Testamento que tiveram a dita de recebê-la, receberam-na por Nosso Senhor Jesus Cristo, e pertenciam à Igreja Católica. E se alguém, por acaso, se salva com o batismo de desejo, pertencendo externamente a uma falsa religião, na verdade pertence à Igreja Católica, mesmo sem o saber.
Vimos uma primeira distinção em partes, que se pode fazer na Igreja: uma parte é a Cabeça, e a outra os membros. Mas a Igreja é uma realidade complexa, acerca da qual precisamos fazer várias outras distinções para poder bem compreendê-la. Com efeito, sob um outro aspecto, o do lugar onde se encontram os seus membros, podemos distinguir a Igreja triunfante (composta por aqueles que estão no Céu), a Igreja padecente (composta por aqueles que estão no Purgatório) e a Igreja militante (composta por aqueles que estão na Terra). Ainda, sob o aspecto da guarda e da transmissão da Revelação, faz-se a distinção entre a Igreja docente (a que ensina: o Papa e os Bispos) e a Igreja discente (a que é ensinada: os demais membros). Mais outro aspecto: a Igreja, que é comparada a um homem, tem um corpo e uma alma. E nesse corpo podemos distinguir seus membros vivos e seus membros mortos. Os vivos são os que estão recebendo, da Cabeça, a vida sobrenatural da graça santificante. Os mortos são os que não estão recebendo essa vida. São como os membros gangrenados de uma pessoa: esses membros pertencem ao corpo aparentemente, materialmente, mas não formalmente, pois o sangue não os irriga mais; neles não está mais a vida do corpo.
Como vimos, a Santa Igreja tem um corpo e uma alma. Em que consiste o seu corpo? No culto (parte externa dos Sacramentos, da Santa Missa etc.), no governo (postos hierárquicos), no ensino, nas pessoas batizadas. E em que consiste sua alma? São as virtudes sobrenaturais (teologais e morais), os dons do Espírito Santo, o depósito das verdades reveladas (morais e dogmáticas), as graças santificante e atuais, que nos vêm ordinariamente pelos Sacramentos.
A Igreja Católica é Santa. É um erro dizer que ela é santa e pecadora. No entanto, é um fato que muitos de seus membros são pecadores. Portanto, o que inalienavelmente é santo é a alma da Igreja, onde não há ruga nem mancha. Assim como, por sinédoque, chamamos os homens de almas (“nesta paróquia há tantas almas”), dando ao todo o nome da parte principal. A alma da Igreja é o que há de principal na Igreja e na qual não pode haver pecado nem erro algum. Na medida em que o corpo da Igreja está em conformidade com a santidade de sua alma, ele, o corpo, é santo. Se o que é realizado nesse corpo é conduzido, ordenado, direcionado por sua alma, de acordo com sua doutrina dogmática (inteligência) e moral (vontade), isso é católico e divino, caso contrário, é humano e falível.
Demos um exemplo à guisa de comparação: se um sonâmbulo pular de um lugar alto e morrer com a queda, não se lhe pode imputar esse ato como um suicídio, porque a pessoa que age no sono age sem o uso da razão (inteligência e vontade) e, portanto, sem culpa, podendo-se dizer que não foi a pessoa que agiu: foi o seu corpo sem estar sob o império da alma (cujas duas potências são a inteligência e a vontade)
Deve-se observar que entre os pecados que pode haver nos membros do corpo da Igreja, encontra-se a heresia: pecado contra a Fé. Esse pecado, nos bons tempos, levava à exclusão desse membro, por um decreto da hierarquia; mas enquanto esse decreto não é feito, o dito membro continua a ser membro da Igreja (membro morto se a heresia é formal, membro vivo se a heresia é somente material).
A Igreja Católica é Una. Essa unidade é requerida porque a verdade se opõe à falsidade. Uma diferença (de culto, por exemplo, entre os orientais) que não inclui uma falsidade não requer uma diversidade de igrejas.
A Igreja (com maiúscula) é a Igreja Católica. Ela é a Igreja, por antonomásia. É o protótipo, aquela em que se realiza plenamente o significado dessa palavra (a qual vem do latim ecclesia, que quer dizer reunião, com motivo religioso, organizada, com finalidade religiosa). É a reunião por excelência: a melhor de todas e que todas devem considerar como modelo. Assim, por exemplo,  acontece com a palavra bíblia (que quer dizer: o livro): isso não porque os outros livros não sejam livros, mas porque a Bíblia é o livro por excelência.
O mesmo não se pode dizer da palavra religião, a qual só se aplica verdadeiramente ao Catolicismo, pois ela significa religar, ligar novamente o que estava separado; e o que se trata aqui é de religar o homem com Deus, os quais haviam sido separados pelo pecado, tanto o de Adão como os nossos. Ora, só a Igreja fundada pelo mesmo Deus é depositária do Sacrifício Redentor que realizou a obra de reunir o que havia sido separado. Portanto, é um uso indevido aplicar às outras “igrejas” o nome de religião, pois não religam nada.
Diante do que foi dito, vamos considerar a expressão “Igreja Conciliar”. Ela foi empregada pelo Cardeal Beneli. Dom Lefebvre, já em 1976, havia denunciado a existência de uma outra “igreja” no seio da Santa Igreja. Afirmação, portanto, não causada por uma emoção passageira por ocasião das sagrações episcopais de 1988 (como, parece, está-se pensando entre aqueles que, na “Tradição”, não querem acreditar na existência dessa outra “igreja”, pois agora eles têm em vista um “acordo” ou “entendimento” ou “reconhecimento” ou “oficialização” ou qualquer outro nome que queiram dar à mesma realidade). De seu lado, também Gustavo Corção já falava na “outra”, referindo-se à mesma infiltrada “igreja”.
No decurso dos séculos, Deus permitiu as heresias; e um grande bem que Ele tirou desse mal foi a explicitação da doutrina já crida na Igreja. Creio que, semelhantemente, podemos aplicar isso à realidade da “Igreja Conciliar”. Dom Lefebvre e Corção afirmaram a real existência de uma “igreja parasita”, sem descer a detalhes sobre no quê ela consistia. Depois, procurou-se explicar essa realidade com comparações: moedas, câncer, “amante” etc.. Mas, como “toda comparação claudica”, fazia-se mister uma explicação mais precisa. Julgo haver sido encontrada na exposição feita em um artigo da revista Le Sel de la Terre(revista que, aliás, aconselho nossos leitores a assinarem), cujo autor cuidou em não se identificar (provavelmente para não ser “punido”) e que parece haver encontrado o verdadeiro significado dessa Igreja Conciliar: é uma seita, uma reunião de pessoas que têm uma doutrina “religiosa” diferente da da Santa Igreja, organizada, com a finalidade de “reformar” essa mesma Santa Igreja por dentrosem sair dela, tomando os seus postos de comando.
Então, essa “igreja” se encontra dentro da Igreja Católica, mas é distinta dela. E os membros dessa seita, tendo nas mãos os postos de comando da Santa Igreja, impõem a sua “organização eclesial”, para os católicos se submeterem a ela. Daí vêm a Nova Missa, o novo Catecismo, o novo Magistério, o novo Código de Direito Canônico, os novos Sacramentos… Não foi a Santa Igreja que decretou a Nova Missa, não foi a Santa Igreja que decretou o novo Catecismo, não foi a Santa Igreja que decretou o novo Código de Direito Canônico, não foi a Santa Igreja que decretou os novos Sacramentos. Foi um homem que ocupa o mais alto grau da hierarquia católica, mas que pertence à dita seita ao mesmo tempo que pertence ao corpo da Santa Igreja, pois é batizado, e talvez até mesmo pertença à alma da Igreja (só Deus sabe), pois o modernismo estraga de tal modo as cabeças, que é possível haver verdadeira Fé (interior) junto com erros doutrinais.
O novo Magistério não é o Magistério da Santa Igreja, ainda que tenha coisas verdadeiras, mas misturadas com falsas. Assim, as diversas doutrinas dos diversos hereges são falsas, ainda que tenham coisas verdadeiras, pois estas estão misturadas com falsas. A Igreja só tem o direito (e o dever) de transmitir o depósito revelado, no qual, evidentemente, não há erro algum.
Conclusão: submeter-se ao Catecismo tradicional, ao Magistério tradicional, ao Código de Direito Canônico anterior ao novo, aos Sacramentos tradicionais, à Missa de sempre, é submeter-se à Santa Igreja e à hierarquia da Santa Igreja, é submeter-se ao Papa e ao episcopado católicos. Pois quando, por uma imperscrutável permissão divina, ocorre de o Papa e os bispos pertencerem a uma seita (ainda que verdadeiro Papa e verdadeiros bispos, que ocupam verdadeiros postos na hierarquia católica), eles passam a não ser mais referência para os católicos, os quais devem referir-se aos Papas anteriores a essa situação anormal, e aos bispos que ainda hoje se opõem a essa situação.
O que está ocorrendo atualmente na Igreja é dramático. Nossa atitude pode ser mesmo apavorante para alguém que não mediu a profundidade do problema. Mas é um fato. As coisas são o que são, e não podemos “tapar o sol com a peneira”. Queira Deus que Ele continue a ter misericórdia de nós, mostrando às pessoas, como tem feito frequentemente, quão verdadeiro é o nosso modo de encarar essa fase da história da Igreja, pela qual passamos. Que Maria Santíssima não nos abandone e nos faça perseverar na fidelidade à Igreja de Seu Divino Filho.

terça-feira, outubro 02, 2018

Não creem no pecado porque não querem servir

0 comentários


"O orgulho é a galinha sob a qual todos os outros pecados são chocados" (C.S. Lewis)


A mentalidade reencarnacionista, de quem crê em carma, gera o tipo de gente que aponta o dedo para o sofredor e diz que quem sofre é culpado por sua dor, mesmo que o sofrimento tenha sido causado por aquele mesmo que apontou o dedo.

Acreditar em reencarnação e carma, serve como refúgio para quem prefere viver na mentira e dar desculpas para sua vida longe das Leis de Deus. Se há outras vidas, ele pode mudar depois; se alguém sofre por causa dele, é por causa do carma, do "pensamento negativo" do atingido...a tendência é escapar da responsabilidade pelo mal que causa aos outros. Quanto mais a pessoa mergulhar nessas crenças, mas profundamente sua consciência vai adormecer.

Estas pessoas não querem enxergar a realidade, porque assim podem continuar no erro, na sua vida de prazeres inconsequentes, nas suas falsas crenças. Elas não aceitam que exista o pecado, tudo colocam na conta de "carma", "pensamentos negativos ou positivos", coisas do tipo.

Quem não crê no pecado, no fim das contas crê somente em si mesmo. Se ele é a fonte da moralidade, e não o Criador, ele termina por viver uma vida imoral. Ele NÃO QUER acreditar no pecado, porque sabe que teria de prestar contas a Deus, teria que mudar de vida.

É uma mentalidade diabólica, da qual se deve fugir pelo bem da própria alma. No fundo da alma ele sabe que existe um Criador, ele só não quer servi-Lo, por isso afeiçoa-se a falsas doutrinas que arranjam desculpas para seu modo errado de viver. Non serviam, é o grito dele. O egoísmo não é o maior problema dele, o orgulho sim. O orgulho não deixa que ele baixe a cabeça e reconheça que Deus existe e ordena que obedeça Suas Leis. 

segunda-feira, outubro 01, 2018

Comentários Eleison: Prevenção Sueca

0 comentários
Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DLXXXV (585)  (29 de setembro de 2018)


Prevenção Sueca




Se providenciada hoje, a prevenção não será dispendiosa,
Se se deixá-la para amanhã, poderá ser demasiado custosa.


“Se a crise ou a guerra vierem” é o título de um folheto de dezenove páginas emitida para todos os lares suecos em maio deste ano pelo Estado da Suécia, “para ajudar-nos a estarmos melhor preparados para qualquer coisa, desde acidentes graves, condições meteorológicas extremas e ataques de TI ( Tecnologia da Informação) a conflitos militares... Muitas pessoas podem sentir ansiedade quando confrontadas com um mundo incerto...”. Uma página útil de listas do folheto, de modo sensato, as quatro necessidades naturais mais importantes de qualquer lar em uma emergência nacional: água, comida, aquecimento e informação.

O estado da Suécia, obviamente, não é o único que está a observar um alto grau de tensão no mundo à nossa volta. Todo estado é formado de nada mais que seres humanos: cada um dos quais vem de Deus e recebeu a vida para fazer o uso correto dela, de modo a poder ir para Deus quando morrer. No entanto, a massa da humanidade hoje vive em um estado de indiferença para com Deus, ou em revolta positiva contra Ele. Muitos homens podem não ser ateus, podem ainda acreditar que Ele existe, mas dificilmente O levam a sério, porque a ciência e a tecnologia parecem ter assumido Seu lugar, e é daí em diante que a política e a economia modernas garantem para nós a boa vida. A velhice é convenientemente transferida para uma casa de idosos, e a morte para um hospital. No entanto, Deus existe, é claro, como sempre, e Ele mais do que nunca se preocupa em ver mais almas do que nunca lançando-se do pecado ao Inferno, e é por isso que nosso mundo está em tal estado de tensão sem precedentes: está vivendo intencionalmente contrapondo sus objetivos aos de seu Criador. Alguma enorme crise deve estar por vir.

Uma vez que o problema é radicalmente religioso, deve-se dizer que a melhor solução é também religiosa. Aquele lar está comprando a melhor apólice de seguro para proteger-se a si mesmo enquanto o Rosário é rezado regularmente por toda a família. Como o Diabo deve odiar o Rosário! Mas, entretanto, as sugestões práticas da Suécia são um bom começo para qualquer agregado familiar que ainda não tenha pensado em quaisquer medidas práticas para preparar-se para os problemas. Aqui estão algumas delas:

ÁGUA – Água potável é vital. Considere pelo menos três litros por adulto por dia. Preveja um meio de fervê-la, se isto fizer-se necessário. Tenha garrafas, baldes com tampas, garrafas plásticas para congelar a água e galões, de preferência com uma torneira para recolher a água.

ALIMENTOS – Tenha comida extra em casa que forneça calorias suficientes. Use alimentos não perecíveis que podem ser preparados rapidamente, requerem pouca água ou podem ser consumidos sem preparação: por exemplo, pão com longa vida útil, comidas pastosas em bisnagas, leite em pó, óleo de cozinha, macarrão, lentilhas, latas de sardinha, macarrão, carne cozida, sopa, mel, nozes, sementes (essas são apenas algumas das sugestões do folheto).

AQUECIMENTO – Em uma casa fria e sem eletricidade, reúna todos os habitantes em um quarto, pendure cobertores nas janelas, cubra o chão com tapetes e construa uma guarida debaixo de uma mesa para manterem-se aquecidos. Apague todas as velas e queimadores de óleo antes de dormir. Areje a sala regularmente para deixar entrar oxigênio. Tenha roupas de lã, colchões e sacos de dormir, isqueiros, fontes alternativas de calor, etc.

COMUNICAÇÃO – Em uma crise, haverá a necessidade de receber notícias nacionais, contatar amigos e parentes, contatar os serviços de emergência. Portanto, ter um rádio alimentado por baterias ou células solares ou de bobinas: um rádio de carro e um carregador de celular que funcionam em um carro, baterias extras, etc.

E o folheto menciona muitas coisas mais, como dinheiro à mão, um armário de remédios, combustível no tanque. Muitas dessas coisas custam relativamente pouco agora, mas deixe que se aproxime uma crise perigosa, e de repente elas passam a se tornarem muito mais escassas e caras, se é que ainda poderão ser obtidas. "Confie em Deus", diz o provérbio, "mas continue remando para a praia".


Kyrie eleison


*Traduzido por Leticia Fantin.





sexta-feira, setembro 28, 2018

A Virgem tinha as emoções sujeitas à razão

0 comentários


"A Virgem tinha as emoções sujeitas à razão, pois era perfeita em virtude. Dessa forma, a vida emocional de Nossa Senhora era mais intensa que a nossa. A intensidade não está na agitação, mas na disposição de que a alma tem para discernir e sujeitar as emoções ao intelecto. O corpo de Nossa Senhora era perfeitamente disposto para as operações da virtude. São Tomás de Aquino, doutor da Igreja, diz que o corpo foi feito para a virtude, e por isso delineia que 'o corpo se ajusta às operações da alma', de forma que o pecado causa o entorpecimento do intelecto (literalmente emburrece) e a virtude amplia a inteligência. Nossa Senhora não conheceu pecado; dessa forma, seus sentidos eram muito mais acurados que o nosso. Não compreenderíamos o que Nossa Senhora passou ao ver Cristo crucificado nem que quiséssemos". - Padre Ripperger sobre Nossa Senhora.
Ao meditar nos mistérios das DORES de nossa Senhora, ela nos ajuda na aproximação com seu filho, nosso Senhor e salvador Jesus Cristo

quinta-feira, setembro 27, 2018

5 Coisas que você tem de saber sobre ensino domiciliar (homeschooling)

0 comentários



Tivemos a oportunidade de participar do último podcast Ideias (#72) da Gazeta do Povo, junto com os colunistas Rodrigo Constantino, Gustavo Nogy e Guilherme Fiuza.
O tema foi o ensino domiciliar, também chamado de homeschooling.
link do podcast pode ser acessado AQUI.
Durante o programa fizemos menção a alguns materiais que agora disponibilizamos para você, enquanto lhe mostramos 5 coisas que você precisa saber sobre ensino domiciliar.

1) Alunos formados em ensino domiciliar têm excelente desempenho acadêmico

boys-286245_1280
Durante o podcast Ideias #72 fizemos menção a três fontes que compilam resultados de artigos científicos sobre o ensino domiciliar.
São elas:
i) Homeschool Progress Report: relatório sobre desempenho acadêmico e perfil social dos adeptos do homeschooling nos Estados Unidos. O documento é extremamente acessível, com vários gráficos e uma bibliografia básica ao final;
ii) Academic Statistics on Homeschooling: artigo elaborado pela Home School Legal Defense Association, baseado em farta bibliografia e pesquisa de campo, sobre os resultados obtidos com alunos em educação domiciliar;
iii) Research facts on Homeschooling: exposição de resultados de pesquisas sobre ensino domiciliar, elaborada pela National Home Education Research Institute, de janeiro de 2018.
A partir do exame dessas fontes, é possível concluir que:
a) alunos educados em ensino domiciliar têm resultados substancialmente superiores aos alunos das escolas públicas americanas em todas as áreas;
b) esses resultados são homogêneos entre brancos e minorias, ao contrário do que ocorre nas escolas regulares;
c) esses resultados independem do nível de regulação do governo: ou seja, o desempenho acadêmico é alto tanto nos estados americanos com alta regulação, como naqueles em que ela é quase inexistente;
d) famílias em que os pais não possuem ensino superior também apresentam resultados superiores aos das escolas públicas. Há leve melhora na média das notas à medida que a escolarização dos pais aumenta;
e) os resultados são homogêneos entre meninos e meninas e famílias com diferentes níveis de renda.

2) O ensino domiciliar gera ótimos resultados em termos de socialização


Sobre o tema da socialização, foram três as fontes usadas durante o programa Ideias #72:
i) Research facts on Homeschooling: já citado na lista acima;
ii) Revisiting the Common Myths about Homeschoolingartigo científico que busca desmistificar algumas “lendas” sobre o ensino domiciliar, entre elas a de que o homeschooling poderia prejudicar a socialização da criança;
iii) Homeschooling: Depriving Children of Social Development: artigo científico sobre a socialização de crianças educadas em ensino domiciliar.
A partir dessas fontes é possível perceber que:
a) os estudos, levando em conta pesquisas que mensuram dados como “interação com pares”, “autoestima”, “habilidades de liderança”, “coesão familiar” e “participação em serviços comunitários”, apontam que alunos de ensino domiciliar têm resultados satisfatórios, em geral acima da média, em termos de desenvolvimento social, emocional e psicológico;
b) há vários ambientes aptos a promover uma intensa e saudável socialização de crianças e jovens, ao lado do sistema escolar, e os estudos apontam que pais que adotam o homeschooling possuem forte engajamento em atividades que promovam a socialização dos filhos. Segundo levantamentos, as atividades mais comuns são: clubes esportivos, escoteiros, grupos jovens religiosos e serviços comunitários e voluntários. Em média, estudantes em ensino domiciliar estão envolvidos em mais de 5 atividades extracurriculares, sendo que 98% deles estão ligados a pelo menos 2;
c) pesquisas apontam que adultos que, na juventude, foram educados mediante ensino domiciliar têm maiores níveis de tolerância política e são politicamente mais ativos.

3) A Constituição brasileira autoriza o homeschooling


Foto: Wikimedia Commons
Foto: Wikimedia Commons

Cuidamos do tratamento constitucional da matéria em post anterior, cujo link deixamos AQUI.

4) O STF não proibiu o ensino domiciliar


Foto: Wilson Pedrosa - Estadão Conteúdo
Foto: Wilson Pedrosa – Estadão Conteúdo

Tratamos da decisão do Supremo Tribunal Federal acerca do tema em nosso post anterior, intitulado: “Em decisão histórica, voto condutor no STF reconhece a constitucionalidade do ensino domiciliar (homeschooling)“.
Deixamos o link AQUI.

5) Estados e Municípios podem regulamentar a prática do homeschooling

girl-1641215_1280
Em vista da decisão do STF exigindo a regulamentação estatal para a prática do homeschooling, fica agora a grande dúvida: quem deve fazer essa regulamentação.
A resposta mais comum e intuitiva é: o Congresso Nacional. Não há dúvida de que ele pode fazer essa regulamentação. Mas não é o único órgão.
Com efeito, nossa Constituição fixa, no art. 24, IX, que educação ensino são temas de competência concorrente da União, dos Estados e do Distrito Federal.
PUBLICIDADE
Nesse caso, cabe à União, por meio do Congresso Nacional, fixar as normas geraisaplicáveis a todos os entes (§ 1º do art. 24). No tocante às normas específicas, cada ente publica as regras aplicáveis ao seu âmbito de competência (§ 2º do art. 24).
Os municípios, embora não sejam mencionados no art. 24, também podem fixar normas específicas para seu espaço de atribuições, por força do art. 30, I e II.
Ocorre que, caso a União permaneça silente e omissa em fixar as regras gerais (situação atual, em relação ao ensino domiciliar), os Estados e o Distrito Federal podem legislar sobre toda a matéria (§ 3º do art. 24), visto que a União não pode por sua omissão impedir os demais entes de exercer suas atribuições.
Embora haja debate na doutrina, filio-me à corrente que entende que igual poder caberá aos municípios, caso tanto a União como o respectivo Estado quedem omissos.
Caso Estados, DF ou municípios legislem sobre o tema, e após a União venha a tratar do assunto, a lei superveniente da União suspenderá a eficácia das regras editadas pelos demais entes no tocante às normas gerais (§ 4º do art. 24).
Portanto, hoje, em vista do silêncio da União, é possível a quaisquer dos entes federativos regulamentar o ensino domiciliar dentro de seu âmbito de atribuições sobre a matéria.