domingo, janeiro 14, 2018

Comentários Eleison: Fé Crucial - II

0 comentários
Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DXLVIII (548) (13 de janeiro de 2018)


FÉ CRUCIAL  –  II


Deus está sempre ali, ainda que para nós seja invisível,
Somente se um homem crer n’Ele, compartilhar Seu Céu lhe será possível.


Sua Excelência,

            Conversando com um sacerdote de indulto (que diz a verdadeira Missa, mas obedece aos oficiais da Igreja em Roma), fiquei confuso sobre Dom Lefebvre e a posição que ele tomou em defesa da Fé. Eu acreditava que ele estava certo, mas agora já não tenho tanta certeza. Eis aqui alguns dos argumentos do sacerdote:

1 O Arcebispo desobedeceu Roma. Isto prova que ele era orgulhoso.
2 Tivesse ele desistido de sua Fraternidade e seminários para obedecer Roma, isto teria sido heroico.
3 Se ele desobedeceu Roma para salvar a Tradição, ele fez o mal para alcançar o bem, o que é errado.
4 Obedecer a um papa tão mal orientado quanto o Papa Francisco é um martírio pelo qual se imita a Cristo.
5 Dom Fellay entrar na jaula dos leões romanos é, em termos espirituais, heroico.


Prezado Senhor,

            Em tempos sãos a Igreja Católica dá às almas uma direção clara sobre o que é verdadeiro ou falso, certo ou errado, e o senhor não estaria confuso. Mas desde o Concílio Vaticano II (1962-1965) estes não têm sido tempos sãos, porque os próprios clérigos romanos naquele Concílio abandonaram a verdadeira religião católica de Deus e adotaram uma falsa religião feita pelo homem, à qual podemos chamar conciliarismo. Assim, a partir dos anos 60 os católicos tornaram-se confusos de alto a baixo na Igreja por tentarem ir em duas direções ao mesmo tempo. Por exemplo, este sacerdote de indulto diz a Missa da verdadeira religião, enquanto pretende obedecer aos romanos subordinados à falsa religião. Não admira que o senhor esteja confuso após ouvi-lo. E continuará confuso até que compreenda completamente a diferença entre a verdadeira religião de Deus e o conciliarismo dos homens – talvez Deus queira que faça mais dever de casa!

Um católico é um católico pela Fé na qual acredita, pelos sacramentos que recebe e pela hierarquia à qual obedece. Mas ele é primeiramente católico pela Fé, sem a qual não se interessaria pelos sacramentos e hierarquia católicos. Portanto, a Fé católica é fundamental para um católico, e foi esta Fé que os oficiais romanos abandonaram no Vaticano II para saírem da sintonia com Deus e entrarem na sintonia com o homem moderno. Assim, o conciliarismo é fundamentalmente diferente do catolicismo, e cria um ponto de vista extremamente diferente sobre o que considera orgulho, heroísmo, obediência, e assim por diante. O ponto de vista católico é verdadeiro, o ponto de vista conciliar é falso. Agora, vamos aos argumentos do sacerdote de indulto:

1 O Arcebispo não era orgulhoso, pois estava defendendo a verdade de Deus e colocando-O antes dos homens. Em contrapartida, hereges como Lutero e os conciliaristas são orgulhosos por desafiarem a Deus para agradar aos homens.
2 Ele foi heroico por não ceder a Roma, e por resistir a ela, para colocar Deus em primeiro lugar.
3 Quando fez o que fez para salvar a Tradição, ele não estava fazendo um mal, mas um bem para alcançar um bem.
4 O martírio católico consiste em sofrer o mal e a morte não por qualquer causa, mas somente pela verdadeira Fé católica. O Arcebispo sofreu um verdadeiro martírio por não ceder aos Papas que erravam, e por fazer tudo o que pôde para que eles enxergassem como estavam abandonando a Fé verdadeira.
5 Em contrapartida, seus sucessores vêm pelo menos desde o ano 2000 fazendo tudo o que podem para colocar a Fraternidade do Arcebispo sob o controle dos romanos conciliares, não sendo, portanto, de modo algum heroicos, porque estão colocando os homens antes de Deus. Tampouco são mártires ou verdadeiros imitadores de Cristo. São, na verdade, orgulhosos.

Prezado senhor, espero que agora possa ver que tudo na Igreja deve, em última análise, ser julgado à luz da Verdade e da Fé. Isto porque a fé de um homem ou a falta dela é sua atitude básica para com Deus. Um homem pode escolher ir para o Inferno se quiser, mas se ele quer ir para o único Céu verdadeiro do único Deus verdadeiro, então deve começar acreditando n’Ele, de acordo com a verdadeira Fé.

Kyrie eleison.

Tradução: Leticia Fantin.



segunda-feira, janeiro 08, 2018

Comentários Eleison: FSSPX, 2018?

0 comentários
Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DXLVII (547) (6 de janeiro de 2018)


FSSPX, 2018?


São Paulo exige “doutrina e piedade”,
Católicos! Leiam e rezem, ou vocês cairão.


À medida que o mundo mergulha num declive, mais e mais pessoas estão abrindo os olhos e se perguntando onde isto terá fim. Como a Igreja Católica é conduzida decididamente em declive por um Papa que parece que tenta somente apagar os últimos vestígios da Igreja pré-conciliar, cada vez mais católicos estão abrindo os olhos e sendo levados a pensar se o Concílio (1962-1965) não teria sido um tipo de problema para a verdadeira Igreja Católica. Então eles olham para a Fraternidade São Pio X, porque foi fundada em 1970 pelo Arcebispo Lefebvre precisamente para garantir a continuidade da Igreja pré-conciliar; e o que encontram? Um grupo de sacerdotes cada vez mais solidários com a Igreja pós-conciliar, cada vez menos claros sobre o Vaticano II, e deslizando nos braços dos romanos conciliares. Resultado? Muitas dessas almas que procuram a Verdade estão mais confusas do que nunca. Então, para onde se dirigem a Igreja e a Fraternidade São Pio X em 2018?

As almas que procuram a Verdade devem ler (por exemplo, O Reno se Lança no Tibre, de Ralph Wiltgen, ou Carta Aberta aos Católicos Perplexos, de Dom Lefebvre). Foi assim que muitos católicos descobriram seu caminho, nos anos de 1970 e nos de 1980, em direção ao movimento tradicional, onde encontraram novamente a verdadeira Igreja que eles sabiam que haviam perdido depois da “renovação” do Concílio. E em Dom Lefebvre (1905-1991) eles encontraram um líder com uma visão clara e católica do que aconteceu no Concílio – que ocorreu sob a pressão do mundo moderno para conformar-se ao mundo, enquanto que desde o início da Igreja até o século XX foi sempre a Igreja quem pressionou o mundo para conformar-se com Deus. Nesta perspectiva, o Vaticano II representou uma convulsão, uma reviravolta sem precedentes em toda a história da Igreja, mas os Padres do Concílio estavam quase todos meio deslumbrados com o mundo moderno. Foi essa convulsão que estabeleceu o curso da Igreja oficial do Concílio até hoje. E dado que os inimigos de Deus e do homem estavam por trás do mundo moderno e por trás do Vaticano II, e uma vez que, por um justo castigo de Deus, eles estão agora profundamente enraizados nos escritórios do Vaticano, então, em 2018, sem que um milagre ou que eventos graves intervenham, a Igreja oficial continuará sua queda em declive.

E a Fraternidade São Pio X em 2018? No início de julho, no prazo de seis meses, a FSSPX realiza suas eleições para aqueles que devem ser nos próximos doze anos seus três superiores, o Superior Geral e seus dois Assistentes. Se os quarenta principais sacerdotes da Fraternidade que votarem nessas eleições desejam dar continuidade ao deslizamento da Fraternidade para os braços da Roma Conciliar, ou seja, a Igreja oficial, então, sem dúvida eles votarão para que o Bispo Fellay seja Superior Geral, a fim de que ele possa terminar o trabalho de substituir a visão clara do Arcebispo sobre a necessidade de resistir ao Vaticano II com sua confusa visão de misturar a Tradição Católica com o Vaticano II, que é como misturar o fogo com a água. Pois assim como Paulo VI (1963-1978) sonhou em salvar a Igreja e o mundo moderno, misturando-os no Vaticano II, e quase destruiu a vida da Igreja por seu sonho tirânico, assim o Bispo Fellay neutraliza a vida da Fraternidade ao impor sobre ela o seu sonho paralelo de salvar a Tradição e o Concílio em uma reconciliação messiânica de sua própria imaginação. A visão dele é bastante diferente da do Arcebispo. Então, como os 40 sacerdotes votarão? De seu voto depende a forma como a Fraternidade se desenvolverá em 2018, pelo menos a partir de julho.

No entanto, havia um motivo para o Vaticano II, e esse era o abismo cada vez maior entre a verdadeira Igreja de Deus e o homem moderno. A tensão de mantê-los juntos tornou-se insuportável, e os padres do Concílio cederam. O Arcebispo Lefebvre manteve sua posição católica e fundou a Fraternidade, mas seus sucessores na liderança desta, por sua vez, cederam sob a mesma pressão. O mundo sem Deus de hoje rodeia-nos a todos, e seus encantos de sereia são altamente sedutores. Os católicos devem “vigiar e orar” – eles precisam ler e continuar lendo, e devem ter uma forte vida de oração para se unirem a Deus – os Quinze Mistérios do Santo Rosário, todos os dias.

Kyrie eleison.


*Traduzido por Cristoph Klug

quarta-feira, janeiro 03, 2018

Comentários Eleison: Importância da cultura – II

0 comentários
Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DXLVI (546) (30 de dezembro de 2017)


Importância da cultura – II


A cultura superior pode vir de Deus somente.
Por ter a Ele renunciado, no lixo deve chafurdar o Ocidente.

Voltemos ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, ao senso comum politicamente incorreto sobre a noção de "cultura", que ele está tomando em seu sentido mais amplo, mas real, como os valores, as normas e o modo de vida dos diferentes povos em nível nacional e internacional. Os inimigos do homem e de Deus desejam homogeneizar todas as nações em um mundo global com o qual será muito mais fácil para o Anticristo dominar na tirania mundial com a qual sonham. O Deus Todo-Poderoso, pelo contrário, estabelece uma variedade surpreendente ao longo de Sua Criação, porque a variedade ordenada de criaturas reflete melhor a Sua própria plenitude de ser. Mas qualquer variedade ordenada significa um alto e um baixo, ou seja, desigualdade. É por isso que seus inimigos desejam nivelar tudo em nome da igualdade – "Liberdade, Igualdade, Fraternidade", por exemplo. Os católicos, pelo contrário, devem desejar que todas as criaturas sejam tão variadas e tão desiguais quanto o Criador quis que elas fossem. Putin está neste sentido do lado do Deus Todo-Poderoso.

Veja aqui a conversa que ele teve com um grupo internacional de jovens que participaram do 19º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes, realizado em Sochi, na Rússia, em outubro passado: http://​en.​kremlin.​ru/​events/​president/​news/​55842.

A Índia, nossa vizinha à esquerda, tem uma população de 1,2 bilhão, e a China tem uma população de 1,5 bilhão. Quanto aos Estados Unidos, continua recebendo cada vez mais imigrantes; e, em minha opinião, a população de cristãos brancos lá tornou-se recentemente uma minoria: menos de 50% da população total. O que quero dizer é que o mundo atravessa mudanças dramáticas e globais. Não estou dizendo que isso é bom ou ruim, apenas que as mudanças globais estão ocorrendo.

Vocês disseram que a Rússia é um vasto território – de fato. Mas da sua fronteira ocidental à sua fronteira oriental, é um espaço eurasiano. No que diz respeito à cultura, mesmo a linguagem, o grupo linguístico e a história, é, sem dúvida, um espaço europeu na medida em que é habitado por pessoas da cultura europeia. Digo isto porque é o que temos para preservar se quisermos continuar a ser um centro significativo no mundo – e não quero dizer isso no sentido militar ou em qualquer outro sentido similar. Não devemos dividir os povos de acordo com a sua etnia, e não devemos olhar para trás na história, pensando, por exemplo, na guerra entre a França e a Rússia de 1812 a 1814; em vez disso, devemos olhar para o futuro para encontrarmos formas de construir um futuro comum e seguir um caminho comum.

É assim que podemos preservar a Rússia e sua gente como um centro global significativo para as relações com os países asiáticos e com o continente americano. Se não conseguirmos preservar a Rússia, ela será dividida em associações quase nacionais de estados menores que eventualmente perderão seu significado no sentido global como centros independentes. Se preservarmos a Rússia, esta será uma grande vantagem para o desenvolvimento de toda a humanidade, porque a Rússia é uma parte importante da cultura global, e certamente tem de ser preservada.

Realmente. Uma parte importante da cultura do homem sempre foi sua literatura, suas artes visuais e sua música, porque os seres humanos de todos os tempos e em todos os lugares precisam especialmente contar histórias, exibir imagens e executar música para expressar e compartilhar o que está acontecendo dentro deles. É por isso que o teatro e o cinema, que podem combinar os três, são tão influentes, especialmente o cinema atual. Na literatura, a Rússia possui uma série de autores mundialmente famosos: Pushkin, Tolstoi, Dostoievski, Chekov, Soljenítsin, etc.; na música, Tchaikovsky, Rimsky-Korsakov, etc.; No cinema, Eisenstein e Tarkovski têm reputação internacional. Putin está certo – graças aos longos invernos e aos profundos pensadores russos, seu país tem contribuído muito para a cultura mundial, a qual é muito superior ao monte de lixo democrático que atualmente expressa o que se passa dentro dos homens.

Rezem para que Putin não seja assassinado, porque os inimigos de Deus o odeiam, e não sem razão – ele está levando seu país para a sua Consagração ao Imaculado Coração de Maria, que afastará, pelo menos por um tempo, o Anticristo. Que Ela o proteja.


Kyrie eleison.

Feliz Ano Novo!

0 comentários


Cada qual com suas metas, e que sejam sempre em direção a Deus!

Feliz 2018, caríssimos leitores! Que a Virgem Santíssima cuide de cada um de vocês.

A Paz de Cristo, o Amor de Maria, a Bondade de São José!