segunda-feira, julho 23, 2018

Comentários Eleison: Inteligência Artificial - II

Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DLXXV (575) (21 de julho de 2018):

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL - II

O mundo pelas máquinas não será conquistado,
Mas, pelos sonhos infantis mecânicos dos homens, arruinado.

Inteligência Artificial é de fato uma contradição em termos. Nenhuma coisa artificial pode ser inteligente. Nada que seja verdadeiramente inteligente pode ser artificial. Qualquer ente inteligente deve (como tal) ser vivo, espiritual e livre. Qualquer coisa artificial deve (como tal) ser não viva e material, e não pode ser livre. Portanto, nada artificial pode ser inteligente no verdadeiro sentido da palavra, e nada verdadeiramente inteligente pode ser artificial. Uma inteligência pode ser criada somente por Deus. O homem pode criar apenas coisas artificiais.
Para demonstrá-lo, vamos assumir com os “Comentários” da semana passada que existem três ordens de entes espirituais: (1) o Criador, (2) anjos e (3) homens, e quatro ordens de seres materiais: (3) homens, (4) animais, (5) vegetais e (6) minerais. Isto significa que o homem é a mais complexa das criaturas, porque somente ele é espiritual e material. Quando alguém afirma que o homem é puramente material, está provavelmente cometendo o erro mais elementar da filosofia, a saber, que existem somente entes materiais. Esse erro está difundido em nosso mundo materialista atual, mas esse tal homem nunca pensou ou amou, ou então está negando a natureza plena de sua própria experiência. Mas se, então, ele não é mais que matéria, por que tem um senso tão aguçado de sua própria dignidade humana? E por que se comporta como se a liberdade fosse de suma importância para ele?
Na verdade, as seis ordens de entes podem ser classificadas pelo quanto eles superam a matéria. (6) O mineral está encerrado na matéria, mas (5) as plantas não estão tão encerradas – elas vivem e movem-se, mas ainda assim elas estão fixas em seu lugar e não conhecem nada fora delas mesmas. (4) Os animais vivem e movem-se, mas não estão fixos em um lugar, e pelos sentidos conhecem e desejam coisas materiais que lhes são externas. (5) Os homens vivem e movem-se, não estão fixos em um lugar, e não só pelos sentidos conhecem e desejam coisas materiais que lhes são externas, mas também pela inteligência e pela vontade conhecem e desejam abstrações não materiais que lhes são externas, o que é um imenso passo adiante na superação livre da matéria. A palavra “inteligência” vem do latim “intus-lego”, que significa “eu leio o interior”, isto é, a inteligência lê dentro das coisas percebidas pelos sentidos, lê sua forma ou essência não material. Isto ocorre porque a inteligência e a vontade que a segue são ambas faculdades espirituais, pertencentes à parte do homem que está, como tal, livre da matéria e acima da matéria.
E com essas duas faculdades segue a liberdade da (3) vontade do homem, compartilhada por nenhum outro dos (4) animais que estão completamente encerrados em seus instintos. E essa liberdade manifesta até mesmo para o mais ateu dos materialistas sua dignidade superior sobre todos os meros (4) animais, se ele for apenas honesto o suficiente para reconhecer o fato. Acima do homem estão os (2) anjos que são puramente espirituais e inteligentes, mas ainda são entes particulares, ao passo que (1) o Criador é o próprio Ente espiritual universal por si mesmo, encerrado em nenhuma matéria e mesmo em nenhuma particularidade.
Assim (3) o homem é vivo e espiritual por sua alma imortal, com sua inteligência e vontade, que são a base de seu livre arbítrio, tornando-o livre. Ora, pode alguma coisa “artificial”, como um computador ou um robô, ser vivo ou espiritual ou livre? Em primeiro lugar, tal coisa não vive desde dentro de si mesma. A natureza dispersa sementes humanas, animais e vegetais em todas as direções, e cada semente contém vida. Mas, apesar do tremendo esforço realizado durante tantos anos, até agora a arte humana não conseguiu criar uma semente com vida em seu interior (e suspeita-se que nunca o conseguirá). Em segundo lugar, se nenhuma coisa feita pela arte humana está viva, menos ainda pode ser espiritual, porque um ser espiritual pressupõe uma elevada (3) forma de vida. E, em terceiro lugar, nenhum computador ou robô feito pelo homem pode ser livre, porque o livre-arbítrio pressupõe uma inteligência espiritual que nenhuma arte humana pode fabricar. Uma (3) inteligência espiritual não pode ser criada nem mesmo por um (2) anjo, mas somente pelo (1) Criador, Deus.
Portanto, (6) os computadores e os robôs controlados por computador não podem estar vivos e não podem iniciar nada além do que foi programado neles. Não podem ser inteligentes no sentido pleno da palavra, porque isso requer um ente espiritual que somente Deus pode criar. E assim não podem ser livres para tomar qualquer decisão por si mesmos; eles são meras (6) máquinas, encerradas dentro de seu (6) programa material. Creditá-los com quaisquer paixões humanas, com o pensamento original ou com a liberdade é simplesmente materialismo infantil.

Kyrie eleison.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de fazer seu comentário: ele deve ser relacionado ao post, e feito respeitosamente. Reservo-me o direito de não publicar comentários que julgue desnecessários ou desrespeitosos. Os comentários não expressam a minha opinião e são de total responsabilidade de seus autores.