segunda-feira, maio 20, 2019

Comentários Eleison: O Brexit de Daniel


Comentários Eleison – por Dom Williamson
Número DCXVIII (618) - (18 de maio de 2019):




O BREXIT DE DANIEL!

Do sublime Daniel à vergonha terrena da Grã-Bretanha,
Resgata, ó Deus, resgata Teu Santo Nome!

Se a pobre Inglaterra precisa urgentemente compreender em profundidade por que a Europa está-se equivocando, para salvar a Grã-Bretanha de seguir a Nova Ordem Mundial, os católicos ainda mais precisam compreender em profundidade como e por que sua Igreja se equivocou no Vaticano II, para salvarem o mundo inteiro de seu afastamento do único e verdadeiro Deus. No Antigo Testamento, o próprio Deus inspirou em Seu profeta Daniel, exilado longe de casa pelo cativeiro da Babilônia (cerca de 590 a 520 a.C.), uma oração urgente de contrição pelos pecados dos israelitas para que Deus perdoasse Seu povo e os concedesse restaurarem a glória do Seu nome, permitindo-lhes que voltassem a praticar uma vez mais a Sua santa religião na cidade santa de Jerusalém. Não é difícil adaptar ao cativeiro da Igreja Católica no século XXI a grande oração de Daniel (Capítulo IX):

[4] Orei ao Senhor meu Deus e fiz-lhe esta confissão; Ah! Senhor, Deus grande e terrível, que guardas a tua aliança e a tua misericórdia para com os que te amam e observam os teus mandamentos. [5] Nós pecamos, cometemos a iniquidade, procedemos impiamente, fomos rebeldes, afastamo-nos dos teus preceitos e das tuas leis. [6] Não temos escutado os teus servos, os profetas, que falaram em teu nome aos nossos reis, aos nossos príncipes, aos nossos pais e a todo o povo do país.

[7] Tua é, ó Senhor, a justiça; a nós, porém, não nos resta senão a confusão do nosso rosto, como sucede hoje a todos os homens de Judá, aos habitantes de Jerusalém e a todo o Israel, aos que estão perto e aos que estão longe, em todos os países, para onde os lançaste, por causa das iniquidades que cometeram contra ti. [8] Para nós, Senhor, a confusão do rosto, para os nossos reis, para os nossos príncipes, e para os nossos pais, pois pecamos contra ti. [9] Mas do Senhor, nosso Deus, é própria a misericórdia e a propiciação, porque nos revoltamos contra ele. [10] Não ouvimos a voz do Senhor nosso Deus, não andamos segundo a lei, que nos prescreveu, por meio dos seus servos, os profetas.

[11] Todos os de Israel violaram a tua lei, desviaram-se para não ouvirem a tua voz; sobre nós, por isso, se derramaram a maldição e a imprecação, escritas na lei de Moisés, servo de Deus, porque pecamos contra ele. [12] Cumpriu as palavras que proferiu contra nós e contra os príncipes que nos governavam; fez vir sobre nós uma calamidade tão grande, que nunca se viu, debaixo de todo o céu, igual à que aconteceu a Jerusalém. [13] Todo este mal caiu sobre nós, segundo está escrito na lei de Moisés, e nós não acalmamos a face do Senhor nosso Deus, afastando-nos das nossas iniquidades e aplicando-nos ao conhecimento da tua verdade. [14] Assim o Senhor vigiou sobre a desgraça e fê-la cair sobre nós, porque o Senhor nosso Deus é justo em todas as obras que fez, mas nós não ouvimos a sua voz.

[15] Agora, Senhor nosso Deus, que tiraste o teu povo da terra do Egito com mão poderosa e que adquiriste então um nome, que dura até ao dia de hoje. (confessamos que) temos pecado, que temos cometido a iniquidade. [16] Senhor, por toda a tua justiça (ou misericórdia), digna-te afastar a tua ira e o teu furor da cidade de Jerusalém, do teu santo monte (Sião), porque Jerusalém e o teu povo são hoje o escárnio de todos os que nos cercam, por causa dos nossos pecados e das iniquidades de nossos pais. [17] Atende, pois, agora. Deus nosso, à oração do teu servo, às suas preces, e, sobre o teu santuário devastado, faze brilhar a tua face, por amor de ti mesmo.

[18] Inclina, Deus meu, o teu ouvido e ouve; abre os teus olhos e vê as nossas ruínas e (contempla) a cidade sobre a qual se invoca o teu nome. Não trazemos à tua presença as nossas súplicas (humildes) fundados em merecimentos da nossa justiça, mas sim nas tuas grandes misericórdias. [19] Ouve, Senhor, perdoa. Senhor; atende e põe mãos à obra; não tardes mais. Deus meu, por amor de ti mesmo, porque esta cidade e este teu povo têm a glória de lhes haver sido dado o teu nome.

Kyrie eleison.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de fazer seu comentário: ele deve ser relacionado ao post, e feito respeitosamente. Reservo-me o direito de não publicar comentários que julgue desnecessários ou desrespeitosos. Os comentários não expressam a minha opinião e são de total responsabilidade de seus autores.